Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Polícia
Não aceitou o fim do namoro e socou a ex, em Bombinhas

Homem acabou preso

Quinta, 20/9/2018 11:27.

Publicidade

Mais um caso de agressão contra a mulher foi atendido pela Polícia Militar, desta vez na cidade de Bombinhas. Aconteceu na madrugada de quarta-feira (19), no bairro Mariscal.

A própria vítima, de 23 anos, chamou a polícia. Ela contou que o ex-companheiro não aceita o fim do relacionamento e a agrediu com socos.

Devido às lesões, a mulher foi encaminhada ao Pronto Atendimento de Itapema para receber cuidados necessários, enquanto os policiais fizeram rondas em busca do autor.

O homem foi encontrado em casa. Ele não teve a identidade revelada.

Foi conduzido à Delegacia de Itapema para que os procedimentos cabíveis pudessem ser tomados.

Em nota, a PM destacou que “quer que todas as mulheres que sofrem algum tipo de violência doméstica se sintam livres para fazer a denúncia com segurança em nosso pelotão, pois sabemos como pode ser aterrorizador, mas saibam que é a escolha certa a fazer, e que teremos todo o cuidado em lidar com a situação”.

A central de emergência pode ser acionada pelo 190.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Não aceitou o fim do namoro e socou a ex, em Bombinhas

Homem acabou preso

Publicidade

Quinta, 20/9/2018 11:27.

Mais um caso de agressão contra a mulher foi atendido pela Polícia Militar, desta vez na cidade de Bombinhas. Aconteceu na madrugada de quarta-feira (19), no bairro Mariscal.

A própria vítima, de 23 anos, chamou a polícia. Ela contou que o ex-companheiro não aceita o fim do relacionamento e a agrediu com socos.

Devido às lesões, a mulher foi encaminhada ao Pronto Atendimento de Itapema para receber cuidados necessários, enquanto os policiais fizeram rondas em busca do autor.

O homem foi encontrado em casa. Ele não teve a identidade revelada.

Foi conduzido à Delegacia de Itapema para que os procedimentos cabíveis pudessem ser tomados.

Em nota, a PM destacou que “quer que todas as mulheres que sofrem algum tipo de violência doméstica se sintam livres para fazer a denúncia com segurança em nosso pelotão, pois sabemos como pode ser aterrorizador, mas saibam que é a escolha certa a fazer, e que teremos todo o cuidado em lidar com a situação”.

A central de emergência pode ser acionada pelo 190.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade