Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Polícia
Gaeco investiga ligação do vereador Moacir Schmidt com “Verinha”

Ela está presa, acusada de mandar assassinar o engenheiro Sérgio Renato Silva

Quarta, 23/5/2018 8:49.
Divulgação CVBC
O vereador Moacir irá prestar depoimento ao GAECO.

Publicidade

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) intimou o vereador Moacir Schmidt a prestar depoimento devido às suas relações com a despachante Vera Lúcia da Luz, a “Verinha”.

Ela está presa, acusada de ser a mandante do assassinato do engenheiro Sérgio Renato Silva, responsável pela aprovação de projetos na prefeitura até o final de 2016.

Sérgio foi morto ao descobrir que sua assinatura foi falsificada em projetos de edifícios despachados por “Verinha” junto à prefeitura e cartórios de registro de imóveis.

Para relacionar o vereador com “Verinha” o GAECO pegou provas de outra investigação, onde o vereador Moacir era o alvo e por isso teve seu telefone monitorado com autorização da justiça.

Nessa ocasião “Verinha” não era monitorada, mas telefonou para Moacir e caiu no “grampo”.

Essas gravações mostram, nos últimos dias de 2016, “Verinha” apelando a Moacir para obter um documento na secretaria municipal de meio ambiente.

Ele toma algumas providências e aciona seu filho, Marcelo, funcionário da prefeitura, para que ajude a despachante.

Os diálogos entre o vereador e “Verinha” mostram um relacionamento estreito.

Em determinado momento ela diz a Moacir que queria o documento mesmo que não estivesse assinado o que levou o GAECO a reafirmar que "Verinha" costumava falsificar assinaturas.

Nesse processo pai e filho são acusados de advocacia administrativa.

OUTRO LADO

O advogado da despachante, Guilherme Gottardi, afirmou que sua cliente não tem relação alguma com crimes e que não existem provas contra ela.

Em contato com a reportagem Marcelo Schmidt disse que seu advogado fará uma nota a respeito e divulgará à sociedade.

O vereador Moacir Schmidt não foi encontrado pela reportagem.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação CVBC
O vereador Moacir irá prestar depoimento ao GAECO.
O vereador Moacir irá prestar depoimento ao GAECO.

Gaeco investiga ligação do vereador Moacir Schmidt com “Verinha”

Ela está presa, acusada de mandar assassinar o engenheiro Sérgio Renato Silva

Publicidade

Quarta, 23/5/2018 8:49.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) intimou o vereador Moacir Schmidt a prestar depoimento devido às suas relações com a despachante Vera Lúcia da Luz, a “Verinha”.

Ela está presa, acusada de ser a mandante do assassinato do engenheiro Sérgio Renato Silva, responsável pela aprovação de projetos na prefeitura até o final de 2016.

Sérgio foi morto ao descobrir que sua assinatura foi falsificada em projetos de edifícios despachados por “Verinha” junto à prefeitura e cartórios de registro de imóveis.

Para relacionar o vereador com “Verinha” o GAECO pegou provas de outra investigação, onde o vereador Moacir era o alvo e por isso teve seu telefone monitorado com autorização da justiça.

Nessa ocasião “Verinha” não era monitorada, mas telefonou para Moacir e caiu no “grampo”.

Essas gravações mostram, nos últimos dias de 2016, “Verinha” apelando a Moacir para obter um documento na secretaria municipal de meio ambiente.

Ele toma algumas providências e aciona seu filho, Marcelo, funcionário da prefeitura, para que ajude a despachante.

Os diálogos entre o vereador e “Verinha” mostram um relacionamento estreito.

Em determinado momento ela diz a Moacir que queria o documento mesmo que não estivesse assinado o que levou o GAECO a reafirmar que "Verinha" costumava falsificar assinaturas.

Nesse processo pai e filho são acusados de advocacia administrativa.

OUTRO LADO

O advogado da despachante, Guilherme Gottardi, afirmou que sua cliente não tem relação alguma com crimes e que não existem provas contra ela.

Em contato com a reportagem Marcelo Schmidt disse que seu advogado fará uma nota a respeito e divulgará à sociedade.

O vereador Moacir Schmidt não foi encontrado pela reportagem.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade