Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Polícia
“Verinha” presa por suposto envolvimento na morte do engenheiro Sérgio Renato Silva

Colaboração de um dos envolvidos pode ter sido decisiva. Haveria outros presos.

Quinta, 10/5/2018 10:55.
Divulgação
Vera Lúcia depondo na CPI da Câmara que investigou o homicídio.

Publicidade

A despachante Vera Lúcia da Luz, a “Verinha”, foi presa pelo Gaeco nesta quinta-feira (10) por suposto envolvimento na morte do engenheiro Sérgio Renato Silva.

Ela atuava há anos no interesse de construtoras junto à prefeitura de Balneário Camboriú e os motivos da sua prisão ainda não são conhecidos pela reportagem do Página 3.

Também há indícios que outras pessoas foram presas, possibilidade igualmente não confirmada pela reportagem.

Em depoimento à CPI que tratou do homicídio na Câmara de Vereadores, funcionários da prefeitura contaram que no governo anterior "Verinha" tinha livre acesso ao setor, inclusive usando computadores da prefeitura.

O Gaeco de Itajaí peticionou no último dia 3 ao Ministério Público daquela Comarca para que um dos envolvidos na morte do engenheiro Sérgio Renato Silva tivesse a prisão preventiva relaxada porque se dispôs a esclarecer os fatos e estaria sendo ameaçado de morte por outro envolvido que também está preso.

O preso que colaborou é acusado –com provas substanciais- de ter intermediado a tratativa entre quem mandou matar e quem executou o homicídio.

Sérgio Renato, morto em fevereiro de 2017, foi até o final de 2016 responsável pela aprovação de projetos de construção na prefeitura de Balneário Camboriú e sua morte ocorreu quando ele investigava, por conta própria, a falsificação de sua assinatura em alguns desses projetos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação
Vera Lúcia depondo na CPI da Câmara que investigou o homicídio.
Vera Lúcia depondo na CPI da Câmara que investigou o homicídio.

“Verinha” presa por suposto envolvimento na morte do engenheiro Sérgio Renato Silva

Colaboração de um dos envolvidos pode ter sido decisiva. Haveria outros presos.

Publicidade

Quinta, 10/5/2018 10:55.

A despachante Vera Lúcia da Luz, a “Verinha”, foi presa pelo Gaeco nesta quinta-feira (10) por suposto envolvimento na morte do engenheiro Sérgio Renato Silva.

Ela atuava há anos no interesse de construtoras junto à prefeitura de Balneário Camboriú e os motivos da sua prisão ainda não são conhecidos pela reportagem do Página 3.

Também há indícios que outras pessoas foram presas, possibilidade igualmente não confirmada pela reportagem.

Em depoimento à CPI que tratou do homicídio na Câmara de Vereadores, funcionários da prefeitura contaram que no governo anterior "Verinha" tinha livre acesso ao setor, inclusive usando computadores da prefeitura.

O Gaeco de Itajaí peticionou no último dia 3 ao Ministério Público daquela Comarca para que um dos envolvidos na morte do engenheiro Sérgio Renato Silva tivesse a prisão preventiva relaxada porque se dispôs a esclarecer os fatos e estaria sendo ameaçado de morte por outro envolvido que também está preso.

O preso que colaborou é acusado –com provas substanciais- de ter intermediado a tratativa entre quem mandou matar e quem executou o homicídio.

Sérgio Renato, morto em fevereiro de 2017, foi até o final de 2016 responsável pela aprovação de projetos de construção na prefeitura de Balneário Camboriú e sua morte ocorreu quando ele investigava, por conta própria, a falsificação de sua assinatura em alguns desses projetos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade