Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Polícia
Circo sem alvará é fechado após incidente em Balneário Camboriú

Chefe da fiscalização da prefeitura nega que ela tenha sido omissa ou conivente

Segunda, 22/1/2018 5:35.
Divulgação PMBC
Estrutura aparenta ser precária

Publicidade

O Circo da Rússia, instalado na Avenida das Flores, foi interditado no sábado (20) pela prefeitura de Balneário Camboriú após parte da arquibancada ceder e quatro pessoas ficarem levemente feridas devido ao incidente e ao pânico.

Houve incompetência ou conivência da fiscalização do município porque o circo estava funcionando sem alvará e o dever da fiscalização é não deixar funcionar para proteger a população.

O chefe da fiscalização da prefeitura, Laurindo Ramos, negou que tenha havido omissão ou conivência e que o circo abriu apesar de não possuir alvará.

Ele antecipou que os diretores do circo pretendem funcionar hoje sem as licenças e se isso ocorrer convocará a Guarda Municipal para prendê-los.

O solo naquele local é ruim e a orientação do engenheiro que assessorou o circo era não abrir com chuva ou solo encharcado devido ao risco da arquibancada ceder, como ocorreu.

Depois do incidente as autoridades fizeram uma série de exigências que dificultarão a reabertura do circo.



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação PMBC
Estrutura aparenta ser precária
Estrutura aparenta ser precária

Circo sem alvará é fechado após incidente em Balneário Camboriú

Chefe da fiscalização da prefeitura nega que ela tenha sido omissa ou conivente

Publicidade

Segunda, 22/1/2018 5:35.

O Circo da Rússia, instalado na Avenida das Flores, foi interditado no sábado (20) pela prefeitura de Balneário Camboriú após parte da arquibancada ceder e quatro pessoas ficarem levemente feridas devido ao incidente e ao pânico.

Houve incompetência ou conivência da fiscalização do município porque o circo estava funcionando sem alvará e o dever da fiscalização é não deixar funcionar para proteger a população.

O chefe da fiscalização da prefeitura, Laurindo Ramos, negou que tenha havido omissão ou conivência e que o circo abriu apesar de não possuir alvará.

Ele antecipou que os diretores do circo pretendem funcionar hoje sem as licenças e se isso ocorrer convocará a Guarda Municipal para prendê-los.

O solo naquele local é ruim e a orientação do engenheiro que assessorou o circo era não abrir com chuva ou solo encharcado devido ao risco da arquibancada ceder, como ocorreu.

Depois do incidente as autoridades fizeram uma série de exigências que dificultarão a reabertura do circo.



Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade