Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

PM se manifesta sobre confusão e atropelamento de cachorro
Divulgação

Segunda, 23/1/2017 10:11.

Policiais militares atropelaram um cachorro na madrugada de ontem (22), no Bairro dos Municípios, em Balneário Camboriú. A comunidade não gostou nada e tentou partir pra cima dos PMs.

Entenda o caso

Segundo informações da Guarda Ambiental, os policiais foram atender uma ocorrência na Rua Anitápolis, pouco depois da meia noite, quando não conseguiram desviar do cachorro.

Os guardas tiveram que ir até o local porque os policiais não sabiam o que fazer com o cão, que ficou bastante ferido. Para piorar a situação, os moradores que presenciaram o atropelamento não gostaram nem um pouco e tentaram atacar os PMs. Por isso, foi preciso pedir reforço.

Voluntários da ONG Viva Bicho também foram até lá para dar um destino ao cachorro, que foi encaminhado para a clínica BC Vet.

O que diz a PM

O policial Denício Rosa explica que os militares foram atender uma ocorrência de briga na Rua Anitápolis, envolvendo mais de 15 pessoas. Por ser um local que é conhecido como ponto de tráfico de drogas e onde já houve algumas prisões, quem atendeu o caso foi o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT). Com a chegada das viaturas, algumas pessoas passaram a insultar os policiais.

O cão atravessou a rua, latindo em direção a viatura, e então acabou sendo atropelado. “A prioridade era atender a situação e acabar com a briga. Nossa prioridade é a segurança, nesse caso, dos policiais que estavam sendo xingados. Fomos conter a confusão e infelizmente o cachorrinho foi mais uma vítima”, relata.

Um casal foi preso, mas antes eles tentaram reagir e teriam agredido os policiais. Segundo a PM, além das ofensas, moradores passaram a bater nas viaturas e eles usaram gás lacrimogêneo para dispersar o grupo. No local os militares encontraram um rádio comunicador que copiava a frequência da PM. As outras pessoas envolvidas na briga conseguiram fugir e não foram identificadas.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Política


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

PM se manifesta sobre confusão e atropelamento de cachorro

Divulgação
Segunda, 23/1/2017 10:11.

Policiais militares atropelaram um cachorro na madrugada de ontem (22), no Bairro dos Municípios, em Balneário Camboriú. A comunidade não gostou nada e tentou partir pra cima dos PMs.

Entenda o caso

Segundo informações da Guarda Ambiental, os policiais foram atender uma ocorrência na Rua Anitápolis, pouco depois da meia noite, quando não conseguiram desviar do cachorro.

Os guardas tiveram que ir até o local porque os policiais não sabiam o que fazer com o cão, que ficou bastante ferido. Para piorar a situação, os moradores que presenciaram o atropelamento não gostaram nem um pouco e tentaram atacar os PMs. Por isso, foi preciso pedir reforço.

Voluntários da ONG Viva Bicho também foram até lá para dar um destino ao cachorro, que foi encaminhado para a clínica BC Vet.

O que diz a PM

O policial Denício Rosa explica que os militares foram atender uma ocorrência de briga na Rua Anitápolis, envolvendo mais de 15 pessoas. Por ser um local que é conhecido como ponto de tráfico de drogas e onde já houve algumas prisões, quem atendeu o caso foi o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT). Com a chegada das viaturas, algumas pessoas passaram a insultar os policiais.

O cão atravessou a rua, latindo em direção a viatura, e então acabou sendo atropelado. “A prioridade era atender a situação e acabar com a briga. Nossa prioridade é a segurança, nesse caso, dos policiais que estavam sendo xingados. Fomos conter a confusão e infelizmente o cachorrinho foi mais uma vítima”, relata.

Um casal foi preso, mas antes eles tentaram reagir e teriam agredido os policiais. Segundo a PM, além das ofensas, moradores passaram a bater nas viaturas e eles usaram gás lacrimogêneo para dispersar o grupo. No local os militares encontraram um rádio comunicador que copiava a frequência da PM. As outras pessoas envolvidas na briga conseguiram fugir e não foram identificadas.

Publicidade

Publicidade