Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Delegado de Balneário sob investigação por agredir casal de Joinville
Divulgação

Terça, 17/1/2017 9:24.

A Polícia Civil determinou o afastamento do delegado Rodolfo Farah Valente Filho, que atua na Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú. Isso aconteceu porque no último dia 08 ele agrediu um casal de vizinhos que tem casa de veraneio em Piçarras, onde ele mora.

Farah é policial civil há 13 anos.

Entenda o caso

Segundo informações da Polícia Civil, uma discussão começou porque o casal, que estava junto do filho de 11 anos, fazia um churrasco e a fumaça, que entrou por uma janela da casa de Farah incomodou o delegado e a esposa dele.

Farah teria ido conversar com os vizinhos, uma mulher de 45 anos e um homem de 47. A ‘conversa’ não foi boa e culminou com o casal sendo fortemente agredido.

Segundo publicado pelo jornal Diário do Litoral, a mulher chegou a ter fraturas no rosto e ficou internada no Hospital Marieta Konder Bornhausen.

O delegado alegou que agiu em legítima defesa, porque também teria sido agredido. Porém, o casal negou ter agredido Farah.

Ao Diário do Litoral, os joinvilenses disseram que já haviam registrado boletins de ocorrência contra o delegado por invasão, pois ele teria entrado no terreno sem permissão.

Farah, por sua vez, informou que irá processar o casal por dano, ameaça, calúnia, difamação, injúria e lesão corporal.

O que vai acontecer

Quem está investigando o caso é a delegacia de Piçarras, através do delegado Wilson Masson. A corregedoria da Polícia Civil de Santa Catarina também abriu uma sindicância e a primeira determinação foi o afastamento temporário das funções operacionais (investigações nas ruas) que Farah cumpria na DIC BC.

A Polícia Civil também recolheu a arma de fogo que Farah usava no trabalho e a carteira profissional dele. Foi informado que no momento ele está atuando em atividades administrativas na sede da Divisão de Investigação Criminal.

A expectativa é que a sindicância seja concluída em 30 dias. O delegado pode ser suspenso ou até expulso da Polícia Civil.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Política


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Delegado de Balneário sob investigação por agredir casal de Joinville

Divulgação
Terça, 17/1/2017 9:24.

A Polícia Civil determinou o afastamento do delegado Rodolfo Farah Valente Filho, que atua na Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú. Isso aconteceu porque no último dia 08 ele agrediu um casal de vizinhos que tem casa de veraneio em Piçarras, onde ele mora.

Farah é policial civil há 13 anos.

Entenda o caso

Segundo informações da Polícia Civil, uma discussão começou porque o casal, que estava junto do filho de 11 anos, fazia um churrasco e a fumaça, que entrou por uma janela da casa de Farah incomodou o delegado e a esposa dele.

Farah teria ido conversar com os vizinhos, uma mulher de 45 anos e um homem de 47. A ‘conversa’ não foi boa e culminou com o casal sendo fortemente agredido.

Segundo publicado pelo jornal Diário do Litoral, a mulher chegou a ter fraturas no rosto e ficou internada no Hospital Marieta Konder Bornhausen.

O delegado alegou que agiu em legítima defesa, porque também teria sido agredido. Porém, o casal negou ter agredido Farah.

Ao Diário do Litoral, os joinvilenses disseram que já haviam registrado boletins de ocorrência contra o delegado por invasão, pois ele teria entrado no terreno sem permissão.

Farah, por sua vez, informou que irá processar o casal por dano, ameaça, calúnia, difamação, injúria e lesão corporal.

O que vai acontecer

Quem está investigando o caso é a delegacia de Piçarras, através do delegado Wilson Masson. A corregedoria da Polícia Civil de Santa Catarina também abriu uma sindicância e a primeira determinação foi o afastamento temporário das funções operacionais (investigações nas ruas) que Farah cumpria na DIC BC.

A Polícia Civil também recolheu a arma de fogo que Farah usava no trabalho e a carteira profissional dele. Foi informado que no momento ele está atuando em atividades administrativas na sede da Divisão de Investigação Criminal.

A expectativa é que a sindicância seja concluída em 30 dias. O delegado pode ser suspenso ou até expulso da Polícia Civil.

Publicidade

Publicidade