Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Administração e segurança realizaram operação no Calçadão da Central
Divulgação.
Policia e fiscalização reprimindo a bagunça no espaço público.

Sexta, 13/1/2017 11:33.

O Calçadão da Avenida Central foi alvo de uma grande operação conjunta entre áreas da prefeitura e forças de segurança na noite de ontem (12). Participaram da ação Guarda Municipal, Polícia Militar, Polícia Civil, fiscalização municipal. e Conselho Tutelar.

O objetivo foi coibir o tráfico e o uso de drogas, a venda de bebidas alcoólicas para menores de idade, furtos e outras ocorrências.

Na segunda-feira o Página 3 publicou fotografias do Calçadão, mostrando a bagunça, a desordem e o desrespeito com a cidade.

O promotor Rosan da Rocha reagiu, se manfestando com, energia: "ESSA BADERNA JÁ PASSOU DOS LIMITES FAZ TEMPO. TEM QUE ACABAR IMEDIATAMENTE. JÁ EXISTE DECISÃO JUDICIAL. CUMPRA-SE. Existe uma ação judicial proposta pelo Ministério Público onde foi concedida liminar para retirada de todos os obstáculos (mesas , cadeiras e similares) do Calçadão" publicou.

Após a publicação da notícia o prefeito Fabricio Oliveira convocou reunião com sua assessoria para tratar do acúmulo de lixo no local.

Depois ocorreu outra reunião com comerciantes do Calçadão, forças da segurança e o prefeito para discutir o abandono e a desordem.

A soma desses fatores resultou na operação de ontem até porque parcela dos comerciantes não concorda com práticas de uma minoria que afeta a todos.

A operação

Durante a operação dois homens foram presos em flagrante por vender bebida alcoólica para adolescentes. Eles foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil.

Um Termo Circunstanciado também foi feito por posse de maconha.

Alguns estabelecimentos que apresentavam irregularidades foram identificados através de imagens. Cada um teve que assinar um Termo de Constatação, a multa pode variar entre um e cinco salários mínimos.

A principal irregularidade é a ocupação do espaço público com mesas, cadeiras e placas publicitárias.

O que diz o secretário de segurança

O novo secretário municipal de Segurança, Gabriel Castanheira, avalia que essa primeira operação foi positiva.

“Iremos intensificar essas ações para coibir o tráfico, o uso de drogas e a ingestão de bebidas alcoólicas por menores de idade, principalmente. Com a continuidade, o público terá que tomar mais cuidado, já que estaremos de olho. O Calçadão deixará de ser tão permissivo como era”, informou.

Castanheira destaca o uso de drogas visível na orla da Praia Central e diz que não só em Balneário como em todo o país há a crença de que é ‘ok’ usar maconha.

“E não é. Isso é um problema, é ilegal. Há famílias circulando pela praia e o indivíduo usando drogas por ali. Não podemos permitir isso, e vamos intensificar nossas ações junto da PM e Polícia Civil”, explicou.

As operações tendem a acontecer não só na praia, mas por toda a cidade, para tentar surpreender os criminosos e infratores.

Castanheira já começou a mudar algumas coisas que incomodavam a população no antigo governo, como a permanência dos guardas municipais em pontos fixos.

O posto da Praça Almirante Tamandaré era alvo de denúncias constantes, já que no local é comum a permanência de menores de idade consumindo bebidas alcoólicas.

“Coloquei os guardas para patrulhamento, não só na Praça, mas em toda a região. Fui informado que a poucos metros dali costumavam acontecer brigas, uso de drogas, e outros. Por isso, a ordem é que eles atuem na rua, deixando os postos. Foi simplesmente uma mudança de procedimento. A outra gestão entendia que posto fixo era mais eficiente, e eu discordo”, concluiu.

 

 

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Administração e segurança realizaram operação no Calçadão da Central

Divulgação.
Policia e fiscalização reprimindo a bagunça no espaço público.
Policia e fiscalização reprimindo a bagunça no espaço público.
Sexta, 13/1/2017 11:33.

O Calçadão da Avenida Central foi alvo de uma grande operação conjunta entre áreas da prefeitura e forças de segurança na noite de ontem (12). Participaram da ação Guarda Municipal, Polícia Militar, Polícia Civil, fiscalização municipal. e Conselho Tutelar.

O objetivo foi coibir o tráfico e o uso de drogas, a venda de bebidas alcoólicas para menores de idade, furtos e outras ocorrências.

Na segunda-feira o Página 3 publicou fotografias do Calçadão, mostrando a bagunça, a desordem e o desrespeito com a cidade.

O promotor Rosan da Rocha reagiu, se manfestando com, energia: "ESSA BADERNA JÁ PASSOU DOS LIMITES FAZ TEMPO. TEM QUE ACABAR IMEDIATAMENTE. JÁ EXISTE DECISÃO JUDICIAL. CUMPRA-SE. Existe uma ação judicial proposta pelo Ministério Público onde foi concedida liminar para retirada de todos os obstáculos (mesas , cadeiras e similares) do Calçadão" publicou.

Após a publicação da notícia o prefeito Fabricio Oliveira convocou reunião com sua assessoria para tratar do acúmulo de lixo no local.

Depois ocorreu outra reunião com comerciantes do Calçadão, forças da segurança e o prefeito para discutir o abandono e a desordem.

A soma desses fatores resultou na operação de ontem até porque parcela dos comerciantes não concorda com práticas de uma minoria que afeta a todos.

A operação

Durante a operação dois homens foram presos em flagrante por vender bebida alcoólica para adolescentes. Eles foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil.

Um Termo Circunstanciado também foi feito por posse de maconha.

Alguns estabelecimentos que apresentavam irregularidades foram identificados através de imagens. Cada um teve que assinar um Termo de Constatação, a multa pode variar entre um e cinco salários mínimos.

A principal irregularidade é a ocupação do espaço público com mesas, cadeiras e placas publicitárias.

O que diz o secretário de segurança

O novo secretário municipal de Segurança, Gabriel Castanheira, avalia que essa primeira operação foi positiva.

“Iremos intensificar essas ações para coibir o tráfico, o uso de drogas e a ingestão de bebidas alcoólicas por menores de idade, principalmente. Com a continuidade, o público terá que tomar mais cuidado, já que estaremos de olho. O Calçadão deixará de ser tão permissivo como era”, informou.

Castanheira destaca o uso de drogas visível na orla da Praia Central e diz que não só em Balneário como em todo o país há a crença de que é ‘ok’ usar maconha.

“E não é. Isso é um problema, é ilegal. Há famílias circulando pela praia e o indivíduo usando drogas por ali. Não podemos permitir isso, e vamos intensificar nossas ações junto da PM e Polícia Civil”, explicou.

As operações tendem a acontecer não só na praia, mas por toda a cidade, para tentar surpreender os criminosos e infratores.

Castanheira já começou a mudar algumas coisas que incomodavam a população no antigo governo, como a permanência dos guardas municipais em pontos fixos.

O posto da Praça Almirante Tamandaré era alvo de denúncias constantes, já que no local é comum a permanência de menores de idade consumindo bebidas alcoólicas.

“Coloquei os guardas para patrulhamento, não só na Praça, mas em toda a região. Fui informado que a poucos metros dali costumavam acontecer brigas, uso de drogas, e outros. Por isso, a ordem é que eles atuem na rua, deixando os postos. Foi simplesmente uma mudança de procedimento. A outra gestão entendia que posto fixo era mais eficiente, e eu discordo”, concluiu.

 

 

 

Publicidade

Publicidade