Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Renato Augusto acusa irmã de Léo Moura de estelionato e furto

Quarta, 8/2/2017 15:07.

VINICIUS CASTRO
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A amizade entre as famílias de Renato Augusto e Léo Moura sofreu um duro golpe. O jogador da seleção brasileira e do chinês Beijing Guoan prestou notícia-crime na polícia contra Lívia da Silva Moura, irmã do lateral do Grêmio, por suposto estelionato e furto qualificado. A acusação de desvio seria de pelo menos R$ 200 mil. A reportagem do UOL Esporte teve acesso ao Registro de Ocorrência, realizado na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

Tudo começou em dezembro do ano passado. Renato Augusto e a mulher Fernanda Klarner organizaram uma festa em comemoração ao primeiro ano de casados. Pela relação entre as famílias, eles chamaram a irmã de Léo Moura para a produção musical do evento - ela já havia feito o mesmo serviço no casamento, em 11 de dezembro de 2015.

Foram contratados os shows de Thiaguinho, Péricles, Belo, Rodriguinho e MC Marcinho para a cerimônia de renovação dos votos. Após a festa, Renato Augusto e família alegam ter notado a cobrança excedente de pelo menos R$ 160 mil reais, além do furto de duas folhas de cheque.

Renato pagou os cachês solicitados a Lívia Moura -depósitos realizados na conta da empresa Divershow. No entanto, parte do dinheiro não teria sido repassada aos artistas. O cantor Péricles, inclusive, nem sequer compareceu ao evento por conta de não ter recebido qualquer valor do cachê determinado. O prejuízo, neste caso, teria sido de cerca de R$ 40 mil.

Ao se aprofundar em conversas com os artistas e empresários, Renato Augusto sofreu um baque e a sua família sentiu-se traída por conta da amizade de mais de 12 anos entre as partes. Para minimizar o problema, o jogador afirma ter feito novos pagamentos aos cantores e partiu para resolver a questão com Lívia Moura.

O prejuízo está calculado em pelo menos R$ 200 mil. No entanto, o valor ainda pode aumentar, já que outros itens e serviços da festa estão sendo investigados pelos familiares de Renato Augusto.

O advogado Ricardo Braga, representante do meia da seleção brasileira, chegou a propor a assinatura de uma confissão de dívida para a assinatura de Lívia Moura. Porém, nenhum familiar de Renato foi atendido, o que fez com que restasse apenas a alternativa de ir à polícia.

"A trama foi descoberta quando os cheques voltaram do banco por divergência de assinatura [um deles no valor de R$ 100 mil]. O Renato deu um prazo para a produtora prestar conta dos valores. Foram 30 dias até para evitar a exposição das pessoas. Mas ele não teve opção. O Renato não tem nada contra o Léo Moura. Tentou resolver de todas as formas, mas precisava se preservar daquilo que foi feito na festa", afirmou o advogado do atleta.

"Ele entendeu por bem registrar a ocorrência pela prática de estelionato em continuidade. Foram apurados indícios do furto de duas folhas de cheque. Existem pessoas envolvidas e ficou clara a necessidade de uma investigação policial. O interesse do Renato é esclarecer todos os fatos narrados, já que jamais imaginou que isso pudesse acontecer com uma pessoa próxima. O procedimento segue com a oitiva das testemunhas de tudo alegado e acreditamos que a quantidade de elementos coletados implicará em um indiciamento e uma futura ação penal", completou Ricardo Braga.

Procurada pela reportagem, Lívia da Silva Moura afirmou ter conhecimento do caso, mas preferiu não se pronunciar. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Política


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Renato Augusto acusa irmã de Léo Moura de estelionato e furto

Quarta, 8/2/2017 15:07.

VINICIUS CASTRO
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A amizade entre as famílias de Renato Augusto e Léo Moura sofreu um duro golpe. O jogador da seleção brasileira e do chinês Beijing Guoan prestou notícia-crime na polícia contra Lívia da Silva Moura, irmã do lateral do Grêmio, por suposto estelionato e furto qualificado. A acusação de desvio seria de pelo menos R$ 200 mil. A reportagem do UOL Esporte teve acesso ao Registro de Ocorrência, realizado na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

Tudo começou em dezembro do ano passado. Renato Augusto e a mulher Fernanda Klarner organizaram uma festa em comemoração ao primeiro ano de casados. Pela relação entre as famílias, eles chamaram a irmã de Léo Moura para a produção musical do evento - ela já havia feito o mesmo serviço no casamento, em 11 de dezembro de 2015.

Foram contratados os shows de Thiaguinho, Péricles, Belo, Rodriguinho e MC Marcinho para a cerimônia de renovação dos votos. Após a festa, Renato Augusto e família alegam ter notado a cobrança excedente de pelo menos R$ 160 mil reais, além do furto de duas folhas de cheque.

Renato pagou os cachês solicitados a Lívia Moura -depósitos realizados na conta da empresa Divershow. No entanto, parte do dinheiro não teria sido repassada aos artistas. O cantor Péricles, inclusive, nem sequer compareceu ao evento por conta de não ter recebido qualquer valor do cachê determinado. O prejuízo, neste caso, teria sido de cerca de R$ 40 mil.

Ao se aprofundar em conversas com os artistas e empresários, Renato Augusto sofreu um baque e a sua família sentiu-se traída por conta da amizade de mais de 12 anos entre as partes. Para minimizar o problema, o jogador afirma ter feito novos pagamentos aos cantores e partiu para resolver a questão com Lívia Moura.

O prejuízo está calculado em pelo menos R$ 200 mil. No entanto, o valor ainda pode aumentar, já que outros itens e serviços da festa estão sendo investigados pelos familiares de Renato Augusto.

O advogado Ricardo Braga, representante do meia da seleção brasileira, chegou a propor a assinatura de uma confissão de dívida para a assinatura de Lívia Moura. Porém, nenhum familiar de Renato foi atendido, o que fez com que restasse apenas a alternativa de ir à polícia.

"A trama foi descoberta quando os cheques voltaram do banco por divergência de assinatura [um deles no valor de R$ 100 mil]. O Renato deu um prazo para a produtora prestar conta dos valores. Foram 30 dias até para evitar a exposição das pessoas. Mas ele não teve opção. O Renato não tem nada contra o Léo Moura. Tentou resolver de todas as formas, mas precisava se preservar daquilo que foi feito na festa", afirmou o advogado do atleta.

"Ele entendeu por bem registrar a ocorrência pela prática de estelionato em continuidade. Foram apurados indícios do furto de duas folhas de cheque. Existem pessoas envolvidas e ficou clara a necessidade de uma investigação policial. O interesse do Renato é esclarecer todos os fatos narrados, já que jamais imaginou que isso pudesse acontecer com uma pessoa próxima. O procedimento segue com a oitiva das testemunhas de tudo alegado e acreditamos que a quantidade de elementos coletados implicará em um indiciamento e uma futura ação penal", completou Ricardo Braga.

Procurada pela reportagem, Lívia da Silva Moura afirmou ter conhecimento do caso, mas preferiu não se pronunciar. 

Publicidade

Publicidade