Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Raimundo Colombo diz que não tem “mutreta” com a Odebrecht
Divulgação.
Colombo discursando e Pavan olhando

Quinta, 29/9/2016 10:44.

O governador Raimundo Colombo emitiu nota hoje pela manhã esclarecendo que o governo e a Casan “nunca trataram da privatização da empresa ou venderam uma única ação da mesma nesses cinco anos e meio da atual gestão”. É uma resposta ao noticiário nacional sobre supostos arranjos para privatizar a empresa de saneamento para a Odebrecht.

A Casan é uma das investigadas pela Polícia Federal sobre supostas propinas pagas em 2010 pela Odebrecht. Em Santa Catarina, o objetivo da empreiteira seria absorver o saneamento básico.

Na nota, o governador garante que desde 2011 o governo catarinense não tem qualquer negócio com a Odebrecht.

Isso torna mais inexplicável o fato da empreiteira injetar dinheiro nas campanhas de políticos locais como Leonel Pavan, que em 2014 recebeu da Odebrecht Óleo e Gás 25% de tudo que declarou na campanha à Assembleia Legislativa.

As investigações da Operação Lava Jato mostram que e a Odebrecht e outras empreiteiras associadas em atividades criminosas usavam doações e legais e ilegais como propina para favorecer seus negócios.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Política


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Raimundo Colombo diz que não tem “mutreta” com a Odebrecht

Divulgação.
Colombo discursando e Pavan olhando
Colombo discursando e Pavan olhando
Quinta, 29/9/2016 10:44.

O governador Raimundo Colombo emitiu nota hoje pela manhã esclarecendo que o governo e a Casan “nunca trataram da privatização da empresa ou venderam uma única ação da mesma nesses cinco anos e meio da atual gestão”. É uma resposta ao noticiário nacional sobre supostos arranjos para privatizar a empresa de saneamento para a Odebrecht.

A Casan é uma das investigadas pela Polícia Federal sobre supostas propinas pagas em 2010 pela Odebrecht. Em Santa Catarina, o objetivo da empreiteira seria absorver o saneamento básico.

Na nota, o governador garante que desde 2011 o governo catarinense não tem qualquer negócio com a Odebrecht.

Isso torna mais inexplicável o fato da empreiteira injetar dinheiro nas campanhas de políticos locais como Leonel Pavan, que em 2014 recebeu da Odebrecht Óleo e Gás 25% de tudo que declarou na campanha à Assembleia Legislativa.

As investigações da Operação Lava Jato mostram que e a Odebrecht e outras empreiteiras associadas em atividades criminosas usavam doações e legais e ilegais como propina para favorecer seus negócios.
 

Publicidade

Publicidade