Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Na Tamandaré, policiais homenageiam colega morto em serviço
Divulgação

Segunda, 19/9/2016 9:00.

Os policiais do 12º Batalhão de Polícia Militar realizaram homenagem na tarde de sexta-feira, na Praça Almirante Tamandaré, ao soldado Vinícius Alexandre Gonçalves, 31 anos. Ele foi morto na madrugada do mesmo dia enquanto estava patrulhando um bairro da capital do Estado, em confronto com criminosos que lhe tiraram a vida com um tiro.

Policiais militares e civis, bombeiros, guardas municipais, autoridades e a comunidade pararam por alguns minutos para lembrar do soldado.

O subtenente da Reserva Remunerada, Ismael da Silva Amaral tocou a música “O Silêncio”, ao som da corneta.

Segundo a PM, o soldado Alexandre estava há cinco anos na corporação e compunha o efetivo do Pelotão de Patrulhamento Tático do 4º Batalhão de Polícia Militar, da capital. Foi lembrado como excelente profissional. Possuía em sua ficha profissional 59 elogios registrados por ocorrências de grande vulto bem sucedidas.

“Até quando veremos pais de família morrerem, sem nada mudar? Até quando reclamaremos sem eco encontrar? Hoje chora mais uma mãe, uma esposa, e toda sociedade, num país onde se perde o maior número de policiais, nesta guerra desleal contra o crime. Hoje perdemos mais um irmão de farda, comprometido, leal a uma causa onde o bem insiste que irá vencer, e há de vencer!”, disse o comandante geral da PM, coronel Paulo Henrique Hemm.

Ao final, as sirenes e sinais luminosos foram ligados por um minuto e os policiais militares prestaram continência.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Na Tamandaré, policiais homenageiam colega morto em serviço

Divulgação
Segunda, 19/9/2016 9:00.

Os policiais do 12º Batalhão de Polícia Militar realizaram homenagem na tarde de sexta-feira, na Praça Almirante Tamandaré, ao soldado Vinícius Alexandre Gonçalves, 31 anos. Ele foi morto na madrugada do mesmo dia enquanto estava patrulhando um bairro da capital do Estado, em confronto com criminosos que lhe tiraram a vida com um tiro.

Policiais militares e civis, bombeiros, guardas municipais, autoridades e a comunidade pararam por alguns minutos para lembrar do soldado.

O subtenente da Reserva Remunerada, Ismael da Silva Amaral tocou a música “O Silêncio”, ao som da corneta.

Segundo a PM, o soldado Alexandre estava há cinco anos na corporação e compunha o efetivo do Pelotão de Patrulhamento Tático do 4º Batalhão de Polícia Militar, da capital. Foi lembrado como excelente profissional. Possuía em sua ficha profissional 59 elogios registrados por ocorrências de grande vulto bem sucedidas.

“Até quando veremos pais de família morrerem, sem nada mudar? Até quando reclamaremos sem eco encontrar? Hoje chora mais uma mãe, uma esposa, e toda sociedade, num país onde se perde o maior número de policiais, nesta guerra desleal contra o crime. Hoje perdemos mais um irmão de farda, comprometido, leal a uma causa onde o bem insiste que irá vencer, e há de vencer!”, disse o comandante geral da PM, coronel Paulo Henrique Hemm.

Ao final, as sirenes e sinais luminosos foram ligados por um minuto e os policiais militares prestaram continência.

Publicidade

Publicidade