Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

PM prende sete em mega operação na cidade de Tijucas

Sexta, 7/10/2016 9:22.

O 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) realizou na quinta-feira (6) a maior operação policial contra o tráfico de sua história, em Tijucas, envolvendo mais de 180 policiais militares e sete batalhões, em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO). A Operação Ragnarök resultou na prisão de sete traficantes, três pistolas, três rádio comunicadores, três coletes à prova de bala, apenas 30 comprimidos de ecstasy e aproximadamente R$ 4 mil em dinheiro, além de uma pequena quantidade de maconha.

Segundo informações da Polícia Militar, o objetivo era cumprir 34 mandados de busca e apreensão e 22 mandados de prisão. A operação contou com o apoio do Batalhão de Choque, da Companhia de Operações de Busca, Resgate a Assalto (COBRA), de helicóptero e cães farejadores. A organização criminosa alvo da operação se chama Sem Terra – STR, e foi denunciada por populares, que enviaram vídeos, fotos e depoimentos para a polícia.

Os militares conseguiram se infiltrar na comunidade, como se fossem moradores de Tijucas, para observar de perto os criminosos. Em quatro meses de observação foi constatado que a facção criminosa estava muito bem organizada, com funções de cada integrante definida, horários determinados, e uma movimentação intensa de tráfico de drogas divididos em quatro turnos de seis horas, durante 24 horas por dia, sete dias por semana.

Os bandidos utilizavam ‘olheiros’ com rádios comunicadores e seguranças fortemente armados. Assim, quando uma viatura policial chegava no local, logo era anunciada e os traficantes se dissipavam, impossibilitando as prisões.

Segundo o comandante da operação e responsável pelo 12º BPM de Balneário, Evaldo Hoffmann, “o foco dessa operação foi restabelecer a ordem pública, destituir o crime organizado que estava instalado nessa localidade que interferia em toda nossa região, bem como resgatar a confiança da sociedade na Polícia Militar”.

O que intriga é que depois de todo o trabalho, dos 22 mandados de prisão, foram cumpridos apenas sete. E mesmo com o intenso comércio de drogas, a PM apreendeu apenas 30 comprimidos de ecstasy e uma pequena quantidade de maconha.

As investigações continuam e a PM pede que quem tiver informações sobre o paradeiro dos traficantes foragidos denuncie ao 190 ou através do aplicativo WhatsApp para o número (48) 9122-0251.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

PM prende sete em mega operação na cidade de Tijucas

Sexta, 7/10/2016 9:22.

O 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) realizou na quinta-feira (6) a maior operação policial contra o tráfico de sua história, em Tijucas, envolvendo mais de 180 policiais militares e sete batalhões, em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO). A Operação Ragnarök resultou na prisão de sete traficantes, três pistolas, três rádio comunicadores, três coletes à prova de bala, apenas 30 comprimidos de ecstasy e aproximadamente R$ 4 mil em dinheiro, além de uma pequena quantidade de maconha.

Segundo informações da Polícia Militar, o objetivo era cumprir 34 mandados de busca e apreensão e 22 mandados de prisão. A operação contou com o apoio do Batalhão de Choque, da Companhia de Operações de Busca, Resgate a Assalto (COBRA), de helicóptero e cães farejadores. A organização criminosa alvo da operação se chama Sem Terra – STR, e foi denunciada por populares, que enviaram vídeos, fotos e depoimentos para a polícia.

Os militares conseguiram se infiltrar na comunidade, como se fossem moradores de Tijucas, para observar de perto os criminosos. Em quatro meses de observação foi constatado que a facção criminosa estava muito bem organizada, com funções de cada integrante definida, horários determinados, e uma movimentação intensa de tráfico de drogas divididos em quatro turnos de seis horas, durante 24 horas por dia, sete dias por semana.

Os bandidos utilizavam ‘olheiros’ com rádios comunicadores e seguranças fortemente armados. Assim, quando uma viatura policial chegava no local, logo era anunciada e os traficantes se dissipavam, impossibilitando as prisões.

Segundo o comandante da operação e responsável pelo 12º BPM de Balneário, Evaldo Hoffmann, “o foco dessa operação foi restabelecer a ordem pública, destituir o crime organizado que estava instalado nessa localidade que interferia em toda nossa região, bem como resgatar a confiança da sociedade na Polícia Militar”.

O que intriga é que depois de todo o trabalho, dos 22 mandados de prisão, foram cumpridos apenas sete. E mesmo com o intenso comércio de drogas, a PM apreendeu apenas 30 comprimidos de ecstasy e uma pequena quantidade de maconha.

As investigações continuam e a PM pede que quem tiver informações sobre o paradeiro dos traficantes foragidos denuncie ao 190 ou através do aplicativo WhatsApp para o número (48) 9122-0251.

Publicidade

Publicidade