Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Região no foco de uma das maiores apreensões de documentos falsos da história de SC
Divulgação

Terça, 25/10/2016 11:57.

Uma quadrilha especializada em falsificar documentos foi desmantelada na última semana. Essa foi a maior apreensão de documentos falsos do Estado. O líder do grupo foi preso em Balneário, na sexta-feira (21), ocasião em que dois foragidos do Rio Grande do Sul, integrantes de uma facção criminosa, também foram presos.

Segundo informações da Polícia Civil,  a quadrilha foi presa através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú e da Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (DEFREC) da Polícia Civil de Pelotas/RS. As cinco pessoas foram detidas em Balneário, Camboriú e Tubarão. Dentre os presos, está um homem de 48 anos, apontado como o responsável pelo laboratório clandestino, descoberto pelos policiais, para confecção de RGs e CNHs, resultando na apreensão de vários documentos já falsificados.

A operação se iniciou com a prisão do homem investigado por envolvimento com o tráfico de drogas, que foi acompanhado e detido em Tubarão. Na sequência, um foragido do Presídio Regional de Pelotas foi preso em Camboriú, e na residência onde ele estava foram apreendidos documentos falsos. Ele utilizava uma identidade com a foto do homem preso em Tubarão.

Entre os objetos apreendidos estavam várias fotos 3x4 que seriam usadas nos documentos a serem falsificados; carimbos; impressoras; aparelhos para impressão de marca d’água; produtos químicos utilizados na falsificação; espelhos de documento em branco; equipamentos mecânicos e software destinado à contrafação de documentos. Isso mostra a organização do grupo, que de fato era especialista no crime. Também foram apreendidos diversos cheques, dinheiro (U$ 3 mil e R$ 200) e um Chevrolet/Prisma.

O delegado responsável pela DIC BC, Osnei Valdir de Oliveira, explica que na residência do falsificador, num fundo falso, foi apreendido um grande volume de espelhos para a falsificação de carteiras de identidades e CNH de vários Estados brasileiros. Ao total, foram encontrados 169 espelhos de RG e 203 espelhos para CNH.

“Havia também um grande número de impressos de papel moeda utilizados para confecção de registro de nascimento e casamento (28 ao total), bem como 52 Certificados de Registro de Veículos do Estado de Santa Catarina, além de 551 cheques em branco, os quais seriam preenchidos (clonados, e inseridos no mercado. Está sendo investigada a origem dos documentos, pois se suspeita que sejam produtos de furto e/ou roubo”, diz.

O delegado destacou a importância das prisões realizadas, pois além de capturar os foragidos da Justiça gaúcha, a polícia conseguiu desarticular a quadrilha. “Era uma das maiores especializadas em falsificação de documentos da região e que atendia os três Estados da região sul. Eles fomentavam o crime de estelionato nas várias modalidades, lesando um grande número de pessoas, bem como de clonagem de veículos, mediante o fornecimento de documentos falsificados, além de propiciar que foragidos da Justiça vivessem normalmente após a obtenção de documentos falsos”, afirma.

Oliveira lembrou ainda a importância da interação e troca de informações que vem ocorrendo entre as polícias de diversos estados, como a união da catarinense com a gaúcha, que resulta no desmantelamento de quadrilhas. Os equipamentos apreendidos serão periciados, e através disso a polícia saberá quem eram os ‘clientes’ dos fraudadores. As investigações prosseguem.

Saiba mais

A Polícia Civil do RS investigava um grupo de traficantes, e ficou sabendo que um dos investigados havia fugido para a região de Balneário Camboriú, onde ficou escondido junto de um suspeito de integrar e liderar uma organização criminosa que atua no Rio Grande do Sul.
Esse investigado estava foragido do Presídio Regional de Pelotas, desde o dia 4 de agosto deste ano, quando seis presos fugiram do local após um caminhão derrubar o muro para a fuga dos detentos.

Na ocasião, os presos serraram as grades das celas onde estavam e pularam para a área do canil, usando uma corda confeccionada com lençóis. O caminhão utilizado para romper a muralha foi abandonado no local. Os presos fugiram em um carro e houve troca de tiros com policiais.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Região no foco de uma das maiores apreensões de documentos falsos da história de SC

Divulgação
Terça, 25/10/2016 11:57.

Uma quadrilha especializada em falsificar documentos foi desmantelada na última semana. Essa foi a maior apreensão de documentos falsos do Estado. O líder do grupo foi preso em Balneário, na sexta-feira (21), ocasião em que dois foragidos do Rio Grande do Sul, integrantes de uma facção criminosa, também foram presos.

Segundo informações da Polícia Civil,  a quadrilha foi presa através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú e da Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (DEFREC) da Polícia Civil de Pelotas/RS. As cinco pessoas foram detidas em Balneário, Camboriú e Tubarão. Dentre os presos, está um homem de 48 anos, apontado como o responsável pelo laboratório clandestino, descoberto pelos policiais, para confecção de RGs e CNHs, resultando na apreensão de vários documentos já falsificados.

A operação se iniciou com a prisão do homem investigado por envolvimento com o tráfico de drogas, que foi acompanhado e detido em Tubarão. Na sequência, um foragido do Presídio Regional de Pelotas foi preso em Camboriú, e na residência onde ele estava foram apreendidos documentos falsos. Ele utilizava uma identidade com a foto do homem preso em Tubarão.

Entre os objetos apreendidos estavam várias fotos 3x4 que seriam usadas nos documentos a serem falsificados; carimbos; impressoras; aparelhos para impressão de marca d’água; produtos químicos utilizados na falsificação; espelhos de documento em branco; equipamentos mecânicos e software destinado à contrafação de documentos. Isso mostra a organização do grupo, que de fato era especialista no crime. Também foram apreendidos diversos cheques, dinheiro (U$ 3 mil e R$ 200) e um Chevrolet/Prisma.

O delegado responsável pela DIC BC, Osnei Valdir de Oliveira, explica que na residência do falsificador, num fundo falso, foi apreendido um grande volume de espelhos para a falsificação de carteiras de identidades e CNH de vários Estados brasileiros. Ao total, foram encontrados 169 espelhos de RG e 203 espelhos para CNH.

“Havia também um grande número de impressos de papel moeda utilizados para confecção de registro de nascimento e casamento (28 ao total), bem como 52 Certificados de Registro de Veículos do Estado de Santa Catarina, além de 551 cheques em branco, os quais seriam preenchidos (clonados, e inseridos no mercado. Está sendo investigada a origem dos documentos, pois se suspeita que sejam produtos de furto e/ou roubo”, diz.

O delegado destacou a importância das prisões realizadas, pois além de capturar os foragidos da Justiça gaúcha, a polícia conseguiu desarticular a quadrilha. “Era uma das maiores especializadas em falsificação de documentos da região e que atendia os três Estados da região sul. Eles fomentavam o crime de estelionato nas várias modalidades, lesando um grande número de pessoas, bem como de clonagem de veículos, mediante o fornecimento de documentos falsificados, além de propiciar que foragidos da Justiça vivessem normalmente após a obtenção de documentos falsos”, afirma.

Oliveira lembrou ainda a importância da interação e troca de informações que vem ocorrendo entre as polícias de diversos estados, como a união da catarinense com a gaúcha, que resulta no desmantelamento de quadrilhas. Os equipamentos apreendidos serão periciados, e através disso a polícia saberá quem eram os ‘clientes’ dos fraudadores. As investigações prosseguem.

Saiba mais

A Polícia Civil do RS investigava um grupo de traficantes, e ficou sabendo que um dos investigados havia fugido para a região de Balneário Camboriú, onde ficou escondido junto de um suspeito de integrar e liderar uma organização criminosa que atua no Rio Grande do Sul.
Esse investigado estava foragido do Presídio Regional de Pelotas, desde o dia 4 de agosto deste ano, quando seis presos fugiram do local após um caminhão derrubar o muro para a fuga dos detentos.

Na ocasião, os presos serraram as grades das celas onde estavam e pularam para a área do canil, usando uma corda confeccionada com lençóis. O caminhão utilizado para romper a muralha foi abandonado no local. Os presos fugiram em um carro e houve troca de tiros com policiais.

Publicidade

Publicidade