Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Após protesto, órgãos prometem intensificar segurança no entorno da Univali
Maicon Renan

Sexta, 21/10/2016 10:09.

Aproximadamente 50 alunos participaram da manifestação pedindo por mais segurança na Univali de Itajaí, no final da tarde de quinta-feira (20). Após o ato, a presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Bruna Ribeiro, e o tesoureiro Diego Lopes se reuniram com a vice-reitora da Univali, Cássia Ferri, e com órgãos da segurança.

Os acadêmicos saíram do bloco F e caminharam até a reitoria, com cartazes e pedidos por mais segurança dentro da universidade e em seus arredores.

Segundo nota divulgada pelo DCE, a reunião foi ‘bem propositiva’ e nela estavam presentes, além da vice-reitora, membros da Secretária de Segurança, Polícia Militar e a Codetran. De imediato, a primeira ação em prol da segurança será o apoio preventivo da Codetran nos horários de entrada e saída de aulas na universidade.

Foi reafirmada também a urgência do projeto de condensamento do número de paradas de ônibus, criando portões de acesso rápido até as paradas (pela mobilidade e pelo fácil retorno à universidade, caso algo aconteça), revestidos de grades (para que as câmeras de vigilância interna tenham visão ampla da parte externa). Porém, esse projeto depende da autorização da prefeitura.

O que diz a Univali e os órgãos de segurança

Segundo nota da universidade, o tenente Rodrigo, responsável pelo planejamento do Batalhão da Polícia Militar de Itajaí ressaltou que a PM já vem aumentando a frequência com que realiza rondas na Avenida Abraão João Francisco (Contorno Sul), principalmente nos horários de entradas e saídas de estudantes. Este trabalho será intensificado.

Ele também alertou para a necessidade do registro das ocorrências para, além de fins de estatística, dar consistência às denúncias apontadas em redes sociais, e da importância de todos contribuírem. "O problema de segurança é de todos e a comunidade de estudantes pode contribuir evitando circular sozinhos ou expondo seus celulares, por exemplo", disse.

A secretária de Segurança, Susi Bellini, também colocou a secretaria à disposição para contribuir com a inibição de possíveis ocorrências, aumentando o efetivo da Codetran nos horários de pico.

Como medidas, além dos aumentos de efetivos policiais e do Codetran, há a perspectiva de alteração da localização dos pontos de ônibus na Contorno Sul e a realização de um fórum reunindo estudantes e autoridades para a discussão das causas e possíveis soluções para o problema de segurança pública no entorno do campus. "A universidade está consciente da problemática e aberta a buscar juntamente com os estudantes e autoridades, soluções que beneficiem a todos", ressaltou a vice-reitora Cássia Ferri.

Situação tensa

Esta semana um grupo de estudantes foi assaltado em um ponto de ônibus da Univali, mas esse não foi um caso isolado. Através da rede social Facebook, uma acadêmica da Univali, Any Spenassato, relatou uma tentativa de assalto envolvendo um colega dela, ocorrida no final da noite de quinta-feira. Leia:

“Mais uma tentativa de assalto perto da Univali, agora com meu amigo Guilherme Venâncio, que além do susto por pouco não leva uma facada na barriga. O ladrão não conseguiu levar nada, mas deixou um pequeno furo na pele dele, o que poderia ser pior: meu amigo poderia ter morrido! Cadê as viaturas para proteger os alunos? Já é a milésima vez e a Univali nem a prefeitura de Itajaí estão se movimentando para mudar isso. Na nota de esclarecimento da universidade eles dizem para nos proteger e não reagir aos assaltos, quer dizer que além de pagarmos uma fortuna nas mensalidades ainda precisamos aceitar e dizer que tudo bem levar meu notebook? Talvez quando houver uma vítima fatal eles tomem uma medida!”

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Após protesto, órgãos prometem intensificar segurança no entorno da Univali

Maicon Renan
Sexta, 21/10/2016 10:09.

Aproximadamente 50 alunos participaram da manifestação pedindo por mais segurança na Univali de Itajaí, no final da tarde de quinta-feira (20). Após o ato, a presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Bruna Ribeiro, e o tesoureiro Diego Lopes se reuniram com a vice-reitora da Univali, Cássia Ferri, e com órgãos da segurança.

Os acadêmicos saíram do bloco F e caminharam até a reitoria, com cartazes e pedidos por mais segurança dentro da universidade e em seus arredores.

Segundo nota divulgada pelo DCE, a reunião foi ‘bem propositiva’ e nela estavam presentes, além da vice-reitora, membros da Secretária de Segurança, Polícia Militar e a Codetran. De imediato, a primeira ação em prol da segurança será o apoio preventivo da Codetran nos horários de entrada e saída de aulas na universidade.

Foi reafirmada também a urgência do projeto de condensamento do número de paradas de ônibus, criando portões de acesso rápido até as paradas (pela mobilidade e pelo fácil retorno à universidade, caso algo aconteça), revestidos de grades (para que as câmeras de vigilância interna tenham visão ampla da parte externa). Porém, esse projeto depende da autorização da prefeitura.

O que diz a Univali e os órgãos de segurança

Segundo nota da universidade, o tenente Rodrigo, responsável pelo planejamento do Batalhão da Polícia Militar de Itajaí ressaltou que a PM já vem aumentando a frequência com que realiza rondas na Avenida Abraão João Francisco (Contorno Sul), principalmente nos horários de entradas e saídas de estudantes. Este trabalho será intensificado.

Ele também alertou para a necessidade do registro das ocorrências para, além de fins de estatística, dar consistência às denúncias apontadas em redes sociais, e da importância de todos contribuírem. "O problema de segurança é de todos e a comunidade de estudantes pode contribuir evitando circular sozinhos ou expondo seus celulares, por exemplo", disse.

A secretária de Segurança, Susi Bellini, também colocou a secretaria à disposição para contribuir com a inibição de possíveis ocorrências, aumentando o efetivo da Codetran nos horários de pico.

Como medidas, além dos aumentos de efetivos policiais e do Codetran, há a perspectiva de alteração da localização dos pontos de ônibus na Contorno Sul e a realização de um fórum reunindo estudantes e autoridades para a discussão das causas e possíveis soluções para o problema de segurança pública no entorno do campus. "A universidade está consciente da problemática e aberta a buscar juntamente com os estudantes e autoridades, soluções que beneficiem a todos", ressaltou a vice-reitora Cássia Ferri.

Situação tensa

Esta semana um grupo de estudantes foi assaltado em um ponto de ônibus da Univali, mas esse não foi um caso isolado. Através da rede social Facebook, uma acadêmica da Univali, Any Spenassato, relatou uma tentativa de assalto envolvendo um colega dela, ocorrida no final da noite de quinta-feira. Leia:

“Mais uma tentativa de assalto perto da Univali, agora com meu amigo Guilherme Venâncio, que além do susto por pouco não leva uma facada na barriga. O ladrão não conseguiu levar nada, mas deixou um pequeno furo na pele dele, o que poderia ser pior: meu amigo poderia ter morrido! Cadê as viaturas para proteger os alunos? Já é a milésima vez e a Univali nem a prefeitura de Itajaí estão se movimentando para mudar isso. Na nota de esclarecimento da universidade eles dizem para nos proteger e não reagir aos assaltos, quer dizer que além de pagarmos uma fortuna nas mensalidades ainda precisamos aceitar e dizer que tudo bem levar meu notebook? Talvez quando houver uma vítima fatal eles tomem uma medida!”

 

Publicidade

Publicidade