Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Receita encontra mais de uma tonelada de cocaína enlatada no Porto de Navegantes

Terça, 18/10/2016 8:57.

A Receita Federal localizou na manhã de segunda-feira (17) mais de uma tonelada de cocaína pura escondida em uma carga de abacaxis em calda, no Porto de Navegantes, o Portonave. A droga seria enviada para a Espanha. Essa é a terceira grande apreensão de drogas feita pela Receita no local nesse ano.

Segundo informações da assessoria da Receita, essa é a maior apreensão de cocaína já feita em Santa Catarina, e uma das maiores do país. Vale lembrar que na última terça-feira (11) a Receita apreendeu outros 300kg de cocaína, que estavam escondidos em bobinas de aço em um contêiner no Portonave. A carga seria exportada para a Itália e pertencia a uma empresa de São Paulo. Por conta disso, o órgão continuou investigando e acabou localizando 1,1 tonelada de cocaína na segunda-feira.

A carga foi vistoriada porque os profissionais ficaram sabendo que o carregamento das latas de abacaxis tinha um representante legal em comum com a carga de bobinas de aço onde estavam os 300kg da semana passada. No total, 12 contêineres foram interceptados. 10 foram liberados e dois ficaram retidos para conferência física. Com o auxílio do cão farejador da Polícia Federal de Itajaí, os fiscais conseguiram encontrar a droga.

A Receita não divulgou muitas informações sobre os proprietários da carga, apenas que a empresa exportadora é de Ji-Paraná, em Rondônia, e que as latas foram produzidas em Minas Gerais. O que causou estranhamento nos fiscais é o fato de que a exportadora atua no comércio de tecidos e realizava poucas exportações (duas nos últimos dois anos) e dessa vez não estava exportando tecidos, e sim abacaxis.

As investigações continuam, e a Receita informou que em parceria com a Polícia Federal pretende intensificar o controle no Portonave. Uma das possibilidade é analisar com scanners 100% das cargas que passam pelo porto, assim como acontece em Santos/SP, o maior porto brasileiro.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

O acordo põe fim a anos de insegurança e desgaste jurídico


Cidade

Sem a colaboração da população não existe medida que dê jeito


Cidade

Isso explica a redução drástica do nível na captação


Geral

É o terceiro município mais transparente de Santa Catarina


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Receita encontra mais de uma tonelada de cocaína enlatada no Porto de Navegantes

Terça, 18/10/2016 8:57.

A Receita Federal localizou na manhã de segunda-feira (17) mais de uma tonelada de cocaína pura escondida em uma carga de abacaxis em calda, no Porto de Navegantes, o Portonave. A droga seria enviada para a Espanha. Essa é a terceira grande apreensão de drogas feita pela Receita no local nesse ano.

Segundo informações da assessoria da Receita, essa é a maior apreensão de cocaína já feita em Santa Catarina, e uma das maiores do país. Vale lembrar que na última terça-feira (11) a Receita apreendeu outros 300kg de cocaína, que estavam escondidos em bobinas de aço em um contêiner no Portonave. A carga seria exportada para a Itália e pertencia a uma empresa de São Paulo. Por conta disso, o órgão continuou investigando e acabou localizando 1,1 tonelada de cocaína na segunda-feira.

A carga foi vistoriada porque os profissionais ficaram sabendo que o carregamento das latas de abacaxis tinha um representante legal em comum com a carga de bobinas de aço onde estavam os 300kg da semana passada. No total, 12 contêineres foram interceptados. 10 foram liberados e dois ficaram retidos para conferência física. Com o auxílio do cão farejador da Polícia Federal de Itajaí, os fiscais conseguiram encontrar a droga.

A Receita não divulgou muitas informações sobre os proprietários da carga, apenas que a empresa exportadora é de Ji-Paraná, em Rondônia, e que as latas foram produzidas em Minas Gerais. O que causou estranhamento nos fiscais é o fato de que a exportadora atua no comércio de tecidos e realizava poucas exportações (duas nos últimos dois anos) e dessa vez não estava exportando tecidos, e sim abacaxis.

As investigações continuam, e a Receita informou que em parceria com a Polícia Federal pretende intensificar o controle no Portonave. Uma das possibilidade é analisar com scanners 100% das cargas que passam pelo porto, assim como acontece em Santos/SP, o maior porto brasileiro.

Publicidade

Publicidade