Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

PM fecha mais quatro casas de jogos de azar

Quarta, 12/10/2016 9:42.

Mais quatro casas de jogos de azar foram fechadas em Balneário, na tarde desta terça-feira (11). Os cassinos funcionavam em vários pontos da cidade, como no Centro, Bairro das Nações e Estados.

A Polícia Militar ficou sabendo das ilegalidades através de denúncias de populares e foram até os pontos indicados: Rua Paraguai, no Bairro das Nações, Rua 2.900, no Centro e nas avenidas Central e dos Estados, também no Centro.

Em todos esses locais houve flagrante. Quatro pessoas, com idade entre 28 e 59 anos, tiveram que assinar termos circunstanciados e devem comparecer em Juízo em data a ser agenda.

E mais

A Polícia Militar vem fechando casas de jogos de azar em Balneário com mais intensidade desde o fim de setembro. O comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário Camboriú, Evaldo Hoffmann explica que não há um ponto com maior concentração desse tipo de casa na cidade e que elas estão no Centro, Nações, Municípios, Nova Esperança, dentre outros. “É bem diversificado mesmo. Elas funcionam dentro de bares ou em locais só pra isso, como em apartamentos”, acrescenta.

A PM suspeita que exista um responsável por trás de todos os cassinos clandestinos existentes hoje em Balneário, e que esse grande ‘empresário’ não aparece. “As investigações para saber quem é ele competem à Polícia Judiciária, mas nós vamos ajudando com essas batidas que estamos fazendo”, afirma.

O que acontece com os ‘bicheiros’

Quando há o flagrante, os policiais apreendem a máquina do jogo, dinheiro que ela rendeu e o responsável pelo local assina um termo circunstanciado, se comprometendo a comparecer em Juízo em data a ser agendada.

“Quando é a primeira passagem da pessoa pela polícia, ela normalmente paga com cestas básicas ou prestação de serviço comunitário. Mas se ela já tiver alguma outra passagem, pode ir presa”, destaca. Há ainda os casos de organização criminosa: se a pessoa possuir mais de três casas de jogos de azar ela cai nesse crime, e então vai diretamente presa.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

ATUALIZADO às 7h de 15/12/2018.


Cidade

Balneário Camboriú passa a ser a cidade brasileira com mais bandeiras azuis


Justiça

Ele considera ilegal a lei municipal que permitiu o empreendimento 


Rapidinhas


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

PM fecha mais quatro casas de jogos de azar

Quarta, 12/10/2016 9:42.

Mais quatro casas de jogos de azar foram fechadas em Balneário, na tarde desta terça-feira (11). Os cassinos funcionavam em vários pontos da cidade, como no Centro, Bairro das Nações e Estados.

A Polícia Militar ficou sabendo das ilegalidades através de denúncias de populares e foram até os pontos indicados: Rua Paraguai, no Bairro das Nações, Rua 2.900, no Centro e nas avenidas Central e dos Estados, também no Centro.

Em todos esses locais houve flagrante. Quatro pessoas, com idade entre 28 e 59 anos, tiveram que assinar termos circunstanciados e devem comparecer em Juízo em data a ser agenda.

E mais

A Polícia Militar vem fechando casas de jogos de azar em Balneário com mais intensidade desde o fim de setembro. O comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário Camboriú, Evaldo Hoffmann explica que não há um ponto com maior concentração desse tipo de casa na cidade e que elas estão no Centro, Nações, Municípios, Nova Esperança, dentre outros. “É bem diversificado mesmo. Elas funcionam dentro de bares ou em locais só pra isso, como em apartamentos”, acrescenta.

A PM suspeita que exista um responsável por trás de todos os cassinos clandestinos existentes hoje em Balneário, e que esse grande ‘empresário’ não aparece. “As investigações para saber quem é ele competem à Polícia Judiciária, mas nós vamos ajudando com essas batidas que estamos fazendo”, afirma.

O que acontece com os ‘bicheiros’

Quando há o flagrante, os policiais apreendem a máquina do jogo, dinheiro que ela rendeu e o responsável pelo local assina um termo circunstanciado, se comprometendo a comparecer em Juízo em data a ser agendada.

“Quando é a primeira passagem da pessoa pela polícia, ela normalmente paga com cestas básicas ou prestação de serviço comunitário. Mas se ela já tiver alguma outra passagem, pode ir presa”, destaca. Há ainda os casos de organização criminosa: se a pessoa possuir mais de três casas de jogos de azar ela cai nesse crime, e então vai diretamente presa.

Publicidade

Publicidade