Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Cassação de Elton Garcia: como fica a situação daqui para frente
Márcio Gonçalves

Terça, 23/2/2016 9:26.

A situação na Câmara vai mudar com a cassação do vereador Elton Garcia (PMDB) determinada na última quinta-feira (18), por doze votos a zero, sob a acusação de Elton se apropriar de parte dos salários de funcionários do Legislativo. 

Restou pelo menos uma pendência jurídica (além de outras que podem ser levantadas), a respeito do trâmite da cassação o que gera o risco do judiciário retroceder o processo em pelo menos 90 dias e reintegrar o vereador para ser julgado novamente.

Um dos principais nomes do grupo político que governa a cidade (o segundo mais votado do PMDB, com 1.969 votos), Elton poderia ser absolvido com facilidade, mas a péssima qualidade da defesa; a quantidade de crimes que cometeu (quase uma centena segundo o Ministério Público) e o medo dos seus “colegas e amigos” de enfrentarem a opinião pública, protegendo corruptos em ano eleitoral, levaram à cassação.

Ao ser cassado, Elton se tornou inelegível por oito anos. Também ficou impedido de trabalhar no serviço público ou firmar contratos na esfera pública. Não cabe recurso da decisão política, o que pode ser questionado é o trâmite, através do judiciário.

A fila anda

O substituto imediato de Elton Garcia é o primeiro suplente Marcos Kurtz, hoje secretário de esportes.

Em seguida vem o secretário do turismo Ademar Schneider; o suplente já em exercício Eduardo Torto e Zé da Praiana que poderá assumir se os da frente na fila continuarem secretários.

No início de abril Marcos Kurtz terá que deixar o secretariado se quiser concorrer à reeleição e com isso deverá assumir na Câmara porque vereadores não precisam se desincompatibilizar.

A reportagem completa sobre a cassação pode ser lida na íntegra no Página 3 impresso, nas bancas. Ou assine digital e tenha acesso pela internet a todos os conteúdos do impresso.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Balneário Camboriú passa a ser a cidade brasileira com mais bandeiras azuis


Política

Estratégia é oferecer cargos nos Estados aos deputados avulsos


Justiça

Empreendedor se defende em nota à imprensa


Cidade

O acordo põe fim a anos de insegurança e desgaste jurídico


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Cassação de Elton Garcia: como fica a situação daqui para frente

Márcio Gonçalves
Terça, 23/2/2016 9:26.

A situação na Câmara vai mudar com a cassação do vereador Elton Garcia (PMDB) determinada na última quinta-feira (18), por doze votos a zero, sob a acusação de Elton se apropriar de parte dos salários de funcionários do Legislativo. 

Restou pelo menos uma pendência jurídica (além de outras que podem ser levantadas), a respeito do trâmite da cassação o que gera o risco do judiciário retroceder o processo em pelo menos 90 dias e reintegrar o vereador para ser julgado novamente.

Um dos principais nomes do grupo político que governa a cidade (o segundo mais votado do PMDB, com 1.969 votos), Elton poderia ser absolvido com facilidade, mas a péssima qualidade da defesa; a quantidade de crimes que cometeu (quase uma centena segundo o Ministério Público) e o medo dos seus “colegas e amigos” de enfrentarem a opinião pública, protegendo corruptos em ano eleitoral, levaram à cassação.

Ao ser cassado, Elton se tornou inelegível por oito anos. Também ficou impedido de trabalhar no serviço público ou firmar contratos na esfera pública. Não cabe recurso da decisão política, o que pode ser questionado é o trâmite, através do judiciário.

A fila anda

O substituto imediato de Elton Garcia é o primeiro suplente Marcos Kurtz, hoje secretário de esportes.

Em seguida vem o secretário do turismo Ademar Schneider; o suplente já em exercício Eduardo Torto e Zé da Praiana que poderá assumir se os da frente na fila continuarem secretários.

No início de abril Marcos Kurtz terá que deixar o secretariado se quiser concorrer à reeleição e com isso deverá assumir na Câmara porque vereadores não precisam se desincompatibilizar.

A reportagem completa sobre a cassação pode ser lida na íntegra no Página 3 impresso, nas bancas. Ou assine digital e tenha acesso pela internet a todos os conteúdos do impresso.

Publicidade

Publicidade