Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Após um ano filha fala sobre o crime em que o irmão matou a mãe
Arquivo pessoal.
Bianca e a mãe com o neto no colo.

Quinta, 11/2/2016 7:54.

Nesta quinta-feira (11) completa um ano que a professora Márcia Ouriques foi assassinada pelo próprio filho, Bruno Ouriques Furtado, 19 anos. O assassino foi condenado a 16 anos e está preso. Procurada pela reportagem a filha da vítima, Bianca, 22 anos, concordou em falar ao Página 3.

Ela e a mãe eram muito próximas, dormiam juntas cerca de três vezes por semana e almoçavam ou jantavam sempre que podiam. “No dia do crime ela me ligou e eu a convidei para dormir lá em casa, mas ela disse que não”, relembra. Bianca não sabia, mas a noite do dia 10 de fevereiro de 2015 havia sido a última vez que ela veria a mãe.

Na madrugada do dia 11 de fevereiro Bruno assassinou Márcia com 40 facadas. Ele havia cheirado cocaína e isso indignou a mãe que chamou a atenção do filho.

Transtornado, ele levantou da cama (os dois dormiam juntos, pois só havia um quarto no apartamento da professora) e foi até o banheiro. Quando voltou ao quarto já estava com a faca.

Bruno se casou com uma jovem e está preso na área de segurança do Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, pois se ele for para a área geral corre o risco de ser morto. Em 2020 ele poderá sair para trabalhar.

A entrevista completa com Bianca você confere na edição impressa do Página 3, que estará sábado (13) nas bancas. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Após um ano filha fala sobre o crime em que o irmão matou a mãe

Arquivo pessoal.
Bianca e a mãe com o neto no colo.
Bianca e a mãe com o neto no colo.

Nesta quinta-feira (11) completa um ano que a professora Márcia Ouriques foi assassinada pelo próprio filho, Bruno Ouriques Furtado, 19 anos. O assassino foi condenado a 16 anos e está preso. Procurada pela reportagem a filha da vítima, Bianca, 22 anos, concordou em falar ao Página 3.

Ela e a mãe eram muito próximas, dormiam juntas cerca de três vezes por semana e almoçavam ou jantavam sempre que podiam. “No dia do crime ela me ligou e eu a convidei para dormir lá em casa, mas ela disse que não”, relembra. Bianca não sabia, mas a noite do dia 10 de fevereiro de 2015 havia sido a última vez que ela veria a mãe.

Na madrugada do dia 11 de fevereiro Bruno assassinou Márcia com 40 facadas. Ele havia cheirado cocaína e isso indignou a mãe que chamou a atenção do filho.

Transtornado, ele levantou da cama (os dois dormiam juntos, pois só havia um quarto no apartamento da professora) e foi até o banheiro. Quando voltou ao quarto já estava com a faca.

Bruno se casou com uma jovem e está preso na área de segurança do Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, pois se ele for para a área geral corre o risco de ser morto. Em 2020 ele poderá sair para trabalhar.

A entrevista completa com Bianca você confere na edição impressa do Página 3, que estará sábado (13) nas bancas. 

Publicidade

Publicidade