Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Ex-escrivã é presa em Balneário acusada de desviar mais de R$ 2,6 milhões

Segunda, 4/4/2016 9:32.

Uma ex-escrivã de um cartório de Umuarama/PR foi presa na Rua Pascoal Moreira Cabral Leme, no Bairro Nova Esperança, em Balneário Camboriú, na sexta-feira (1º). Ela é acusada de desviar milhões desde 1985.

Segundo informações da Polícia Militar, R. M. da C. B. é acusada de participar de um esquema criminoso e foi condenada a 13 anos e 10 meses de prisão. Ela se apropriava ilicitamente de depósitos judiciais que tramitavam na 1ª Vara Cível de Umuarama. Estima-se que os valores ultrapassem R$ 2,6 milhões.

Os fatos foram descobertos em 2006, quando ela foi demitida do cargo que ocupava. R. foi presa e encaminhada ao Presídio Regional de Itajaí.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Policia

Prefeito Fabrício Oliveira quer tornar Balneário Camboriú a cidade mais segura do Brasil


Saúde

 Cidade é área de atenção e apenas 2.500 tomaram a vacina até agora. Doença pode matar.


Geral

O cantor Armandinho organiza o festival, que tem entrada gratuita


Cinema

Ele retrata a conexão de artistas com a cidade


Publicidade


Publicidade


Política

Ele aparentemente fez escolhas erradas em seu caminho político 


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Policia

Gaúcho comeu no restaurante e não tinha dinheiro para pagar


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Ex-escrivã é presa em Balneário acusada de desviar mais de R$ 2,6 milhões

Segunda, 4/4/2016 9:32.

Uma ex-escrivã de um cartório de Umuarama/PR foi presa na Rua Pascoal Moreira Cabral Leme, no Bairro Nova Esperança, em Balneário Camboriú, na sexta-feira (1º). Ela é acusada de desviar milhões desde 1985.

Segundo informações da Polícia Militar, R. M. da C. B. é acusada de participar de um esquema criminoso e foi condenada a 13 anos e 10 meses de prisão. Ela se apropriava ilicitamente de depósitos judiciais que tramitavam na 1ª Vara Cível de Umuarama. Estima-se que os valores ultrapassem R$ 2,6 milhões.

Os fatos foram descobertos em 2006, quando ela foi demitida do cargo que ocupava. R. foi presa e encaminhada ao Presídio Regional de Itajaí.

Publicidade

Publicidade