Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Policia Militar continua escondendo ocorrências da população
Reprodução.
Comandante do 12° Batalhão da Polícia Militar, Coronel José Evaldo Hoffmann Júnior.

Segunda, 11/4/2016 10:24.

Neste domingo (10) um grupo de moradores das praias agrestes debateu, via WhatsApp, que a imprensa não está divulgando certas ocorrências que acontecem por lá, mostrando mais uma vez que os órgãos da segurança continuam omitindo informações dos jornalistas da região.

Um morador informou o seguinte: “A imprensa não divulgou, mas de segunda-feira até sexta-feira (entre os dias 4 ae 8) tivemos as seguintes ocorrências na Região da Interpraias: domingo para segunda furto em quiosque na Praia do Estaleirinho; terça à noite, às 21h, assalto com emprego de arma de fogo em estabelecimento comercial na Praia do Estaleirinho; quarta para quinta, 1h da manhã, assalto à residência na Praia do Estaleirinho, levando cerca de R$ 6 mil e amarrando os proprietários, e quinta para sexta assalto também na Rodovia Interpraias levando uma S10, veículo já recuperado e bandidos capturados”, escreveu.

Destas ocorrências o Página 3 só ficou sabendo da última, que foi divulgada na sexta-feira. Por coincidência a única em que a PM teve sucesso recuperando o veículo.

Após a declaração do denunciante, iniciou uma discussão nesse grupo e inclusive o Comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário, Evaldo Hoffmann, se posicionou. Ele disse que o comentário ‘chega a ser ofensivo’ e que o 12º BPM está com o menor efetivo de sua história.

Hoffmann destacou que não omite, esconde, maquia ou adultera dados estatísticos de ocorrência policial. O Página 3 tem provas de que isso não é verdade, a maquiagem de informações foi divulgada por este jornal diversas vezes.

O que diz o Comandante

No grupo de Whats App o comandante postou o seguinte: “sou um Comandante antenado com a comunidade e nunca deixei as Praias Agrestes sem resposta. Quando assumi o comando da PM em BC fiz alterações significativas nas escalas de serviço para poder ampliar o leque de atuação da PM em todos os bairros. Fizemos uma parceria com a prefeitura e conseguimos estagiários”, disse.

Hoffmann alegou que cada estagiário significa um PM a mais nas ruas, e que com essa mudança passaram de seis para 11 viaturas por dia de serviço.

Ele falou sobre todos os serviços que a Polícia Militar voltou a utilizar, como canil, bike patrulha e grupo de motos, além do PMSC Mobile.

Ele diz que ‘se ainda está ruim’ é porque não há contratação de novos policiais. “Passaremos o ano de 2016 sem que nenhum PM a mais seja incluído. E depois disso tudo será que a culpa é só dá PM? Onde estão os centros de acolhimento de menores infratores? Onde estão as escolas de tempo integral? Onde estão as vagas do sistema penitenciário? E as Leis que a cada dia beneficiam os marginais em detrimento das pessoas de bem?”, questionou.

Taxa de Segurança na Interpraias

Foi citado pelos moradores a ideia do vereador Claudir Maciel de instalar uma Taxa de Segurança Pública (TSP) para quem circular pela Rodovia Interpraias.

O comandante concordou e defendeu que há algumas cidades catarinenses, como Jaraguá do Sul e Brusque, com uma taxa voluntária paga por empresários da cidade para a PM custear horas extras para seus funcionários.

Porém, isso gerou certa revolta em alguns membros do grupo. Um chegou a dizer que um município com a arrecadação de Balneário Camboriú alegar que não tem recursos chega a ser uma piada e outro defendeu que essa taxa é um ‘completo absurdo’.

Em resposta, Evaldo explicou que a PM tinha um orçamento de R$ 187 milhões para 2016, porém houve um corte de R$ 109 milhões. “Ou seja estamos com apenas R$ 78 milhões para passar o ano. Não teremos dinheiro para pagar combustível, consertar viatura, etc. até o final do ano. Vamos cortar o que mais?”, comentou.

Ele disse ainda que Santa Catarina é o terceiro pior estado do Brasil em número de policiais militares X habitantes – ganhando apenas do Maranhão e do Piauí. Porém, é o com menor número de homicídios. “Como que a cabeça do governante vai pensar: ‘se com tão pouco investimento temos um resultado expressivo, posso cortar ainda mais e se ficar entre os cinco primeiros o resultado ainda é excelente’”, escreveu.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Policia Militar continua escondendo ocorrências da população

Reprodução.
Comandante do 12° Batalhão da Polícia Militar, Coronel José Evaldo Hoffmann Júnior.
Comandante do 12° Batalhão da Polícia Militar, Coronel José Evaldo Hoffmann Júnior.
Segunda, 11/4/2016 10:24.

Neste domingo (10) um grupo de moradores das praias agrestes debateu, via WhatsApp, que a imprensa não está divulgando certas ocorrências que acontecem por lá, mostrando mais uma vez que os órgãos da segurança continuam omitindo informações dos jornalistas da região.

Um morador informou o seguinte: “A imprensa não divulgou, mas de segunda-feira até sexta-feira (entre os dias 4 ae 8) tivemos as seguintes ocorrências na Região da Interpraias: domingo para segunda furto em quiosque na Praia do Estaleirinho; terça à noite, às 21h, assalto com emprego de arma de fogo em estabelecimento comercial na Praia do Estaleirinho; quarta para quinta, 1h da manhã, assalto à residência na Praia do Estaleirinho, levando cerca de R$ 6 mil e amarrando os proprietários, e quinta para sexta assalto também na Rodovia Interpraias levando uma S10, veículo já recuperado e bandidos capturados”, escreveu.

Destas ocorrências o Página 3 só ficou sabendo da última, que foi divulgada na sexta-feira. Por coincidência a única em que a PM teve sucesso recuperando o veículo.

Após a declaração do denunciante, iniciou uma discussão nesse grupo e inclusive o Comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário, Evaldo Hoffmann, se posicionou. Ele disse que o comentário ‘chega a ser ofensivo’ e que o 12º BPM está com o menor efetivo de sua história.

Hoffmann destacou que não omite, esconde, maquia ou adultera dados estatísticos de ocorrência policial. O Página 3 tem provas de que isso não é verdade, a maquiagem de informações foi divulgada por este jornal diversas vezes.

O que diz o Comandante

No grupo de Whats App o comandante postou o seguinte: “sou um Comandante antenado com a comunidade e nunca deixei as Praias Agrestes sem resposta. Quando assumi o comando da PM em BC fiz alterações significativas nas escalas de serviço para poder ampliar o leque de atuação da PM em todos os bairros. Fizemos uma parceria com a prefeitura e conseguimos estagiários”, disse.

Hoffmann alegou que cada estagiário significa um PM a mais nas ruas, e que com essa mudança passaram de seis para 11 viaturas por dia de serviço.

Ele falou sobre todos os serviços que a Polícia Militar voltou a utilizar, como canil, bike patrulha e grupo de motos, além do PMSC Mobile.

Ele diz que ‘se ainda está ruim’ é porque não há contratação de novos policiais. “Passaremos o ano de 2016 sem que nenhum PM a mais seja incluído. E depois disso tudo será que a culpa é só dá PM? Onde estão os centros de acolhimento de menores infratores? Onde estão as escolas de tempo integral? Onde estão as vagas do sistema penitenciário? E as Leis que a cada dia beneficiam os marginais em detrimento das pessoas de bem?”, questionou.

Taxa de Segurança na Interpraias

Foi citado pelos moradores a ideia do vereador Claudir Maciel de instalar uma Taxa de Segurança Pública (TSP) para quem circular pela Rodovia Interpraias.

O comandante concordou e defendeu que há algumas cidades catarinenses, como Jaraguá do Sul e Brusque, com uma taxa voluntária paga por empresários da cidade para a PM custear horas extras para seus funcionários.

Porém, isso gerou certa revolta em alguns membros do grupo. Um chegou a dizer que um município com a arrecadação de Balneário Camboriú alegar que não tem recursos chega a ser uma piada e outro defendeu que essa taxa é um ‘completo absurdo’.

Em resposta, Evaldo explicou que a PM tinha um orçamento de R$ 187 milhões para 2016, porém houve um corte de R$ 109 milhões. “Ou seja estamos com apenas R$ 78 milhões para passar o ano. Não teremos dinheiro para pagar combustível, consertar viatura, etc. até o final do ano. Vamos cortar o que mais?”, comentou.

Ele disse ainda que Santa Catarina é o terceiro pior estado do Brasil em número de policiais militares X habitantes – ganhando apenas do Maranhão e do Piauí. Porém, é o com menor número de homicídios. “Como que a cabeça do governante vai pensar: ‘se com tão pouco investimento temos um resultado expressivo, posso cortar ainda mais e se ficar entre os cinco primeiros o resultado ainda é excelente’”, escreveu.

Publicidade

Publicidade