Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Opinião
Sentido da Vida

Por Ulisses Coelho

Quarta, 28/3/2018 7:42.
Reprodução
Monja Coen

Publicidade

Por Ulisses Coelho, médico.

A PONTE – Certo dia, ouvi uma palestra da Monja Coen em que, ela cita o pensamento de determinada pessoa sobre a nossa vida: “A vida da gente tem o aspecto, de uma travessia de ponte: seu início é com se estivéssemos no começo da ponte. Nele somos acompanhados por pessoas que durante a travessia nos deixarão. No final da ponte e, de nossa vida, outras pessoas estarão conosco.”

O ELO – Um irmão, Aldo José, compara a humanidade como uma corrente em que nós somos apenas os elos dela. Assim, nos unimos a elos que nos antecedem e nos deram origem. No transcorrer da vida formaremos outros elos que nos sucederão.

Como somos apenas elos é preciso cuidá-los bem, especialmente o nosso, para dar bom exemplo aos demais sucessores.

O REVEZAMENTO – Este pensamento tenho manifestado para familiares e amigos, é de que nós estamos na Terra com uma pequena bandeira que recebemos da geração que nos antecedeu. Nós a carregamos enquanto vivemos. No final da nossa vida passamos a bandeirinha para a geração seguinte. Nós ficamos e, os familiares seguem em frente.

Assim, a humanidade segue avante!

O AVIÃO – Um colega e amigo, M.A. M. da Cruz, o “Maneco”, aviador e viajante por diversos recantos do mundo, um dia me explicou esta bela metáfora sobre a vida: “Quando nascemos, o nosso avião decola. A medida que vai ganhando alturas corresponde ao tempo em que nos preparamos com estudos e aprendizagem para obtermos uma profissão. Ao atingir uma velocidade “de cruzeiro” e estabilizar o voo é quando estamos em plena atividade laboral, formamos nossa família e procuramos constituir um patrimônio que nos garanta um futuro tranquilo. Depois, começa a decida preparando para a aterrissagem: os cabelos branqueiam, as forças diminuem, a saúde começa a fraquejar e, a vida se aproxima do seu término. O término de nossa vida é quando nosso avião aterrissa.

O SENTIDO DA VIDA – Na sua transitoriedade a vida tem características de integração intergeracional e, sua sucessão com “turbulências” e, voos em momentos de céu azul por sobre as nuvens nos fazem pensar nos “elos” que representamos para todos.

Que o nosso “elo” seja de bem querer, e, de bem viver dando bons exemplos a todos mas, lembrando com humildade, que somos sempre aprendizes nos segredos da nossa existência.

O nosso “revezamento”, enquanto levamos nossa “bandeirinha” na travessia da Ponte da Vida, deve ser de amor com fraterna amizade procurando sempre unir e harmonizar para nos tornarmos pessoas melhores na salutar convivência do dia a dia.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução
Monja Coen
Monja Coen

Sentido da Vida

Por Ulisses Coelho

Publicidade

Quarta, 28/3/2018 7:42.

Por Ulisses Coelho, médico.

A PONTE – Certo dia, ouvi uma palestra da Monja Coen em que, ela cita o pensamento de determinada pessoa sobre a nossa vida: “A vida da gente tem o aspecto, de uma travessia de ponte: seu início é com se estivéssemos no começo da ponte. Nele somos acompanhados por pessoas que durante a travessia nos deixarão. No final da ponte e, de nossa vida, outras pessoas estarão conosco.”

O ELO – Um irmão, Aldo José, compara a humanidade como uma corrente em que nós somos apenas os elos dela. Assim, nos unimos a elos que nos antecedem e nos deram origem. No transcorrer da vida formaremos outros elos que nos sucederão.

Como somos apenas elos é preciso cuidá-los bem, especialmente o nosso, para dar bom exemplo aos demais sucessores.

O REVEZAMENTO – Este pensamento tenho manifestado para familiares e amigos, é de que nós estamos na Terra com uma pequena bandeira que recebemos da geração que nos antecedeu. Nós a carregamos enquanto vivemos. No final da nossa vida passamos a bandeirinha para a geração seguinte. Nós ficamos e, os familiares seguem em frente.

Assim, a humanidade segue avante!

O AVIÃO – Um colega e amigo, M.A. M. da Cruz, o “Maneco”, aviador e viajante por diversos recantos do mundo, um dia me explicou esta bela metáfora sobre a vida: “Quando nascemos, o nosso avião decola. A medida que vai ganhando alturas corresponde ao tempo em que nos preparamos com estudos e aprendizagem para obtermos uma profissão. Ao atingir uma velocidade “de cruzeiro” e estabilizar o voo é quando estamos em plena atividade laboral, formamos nossa família e procuramos constituir um patrimônio que nos garanta um futuro tranquilo. Depois, começa a decida preparando para a aterrissagem: os cabelos branqueiam, as forças diminuem, a saúde começa a fraquejar e, a vida se aproxima do seu término. O término de nossa vida é quando nosso avião aterrissa.

O SENTIDO DA VIDA – Na sua transitoriedade a vida tem características de integração intergeracional e, sua sucessão com “turbulências” e, voos em momentos de céu azul por sobre as nuvens nos fazem pensar nos “elos” que representamos para todos.

Que o nosso “elo” seja de bem querer, e, de bem viver dando bons exemplos a todos mas, lembrando com humildade, que somos sempre aprendizes nos segredos da nossa existência.

O nosso “revezamento”, enquanto levamos nossa “bandeirinha” na travessia da Ponte da Vida, deve ser de amor com fraterna amizade procurando sempre unir e harmonizar para nos tornarmos pessoas melhores na salutar convivência do dia a dia.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade