Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Artigo: Boatos e desinformação, por Max Paul Jr.

Quarta, 22/2/2017 17:39.

É com indignação e revolta que recebemos pelos canais de comunicação e das Mídias Sociais, notícias de fatos e entrevistas orientados para desinformar e desvirtuar acontecimentos com opiniões direcionadas. A nossa preocupação se deve ao fato de a cada dia, vermos um número crescente de postagens de blogs “sujos” e sites obscuros, espalhando notícias pela Internet, desvirtuadas, requentadas, ou falsas. E pior, os desinformados leem e disseminam essas postagens.

Sou do tempo em que notícia, se ouvia em uma estação de rádio ou vendo e assistindo ao Cine Jornal nas salas de cinema, e através da leitura de revistas como “O Cruzeiro”, Seleções, “Realidade”, ‘Manchete”, a “Veja”, além dos jornais impressos.

Antonio C. Prado em seu excelente artigo “A Mídia Impressa está viva”, desqualifica a internet como ferramenta para substituir a linguagem impressa na mídia e na literatura por textos que podem ser lidos e acessados em suportes digitais. E diz que estávamos errados ao supor que a Internet seria a maior responsável pela democratização de dados e notícias, e que seria o meio de comunicação mais confiável.

A internet está longe de ser absoluta. O aumento na venda de livros físicos e a queda de e-books nos EUA, mostraram que o texto impresso voltou a despertar confiança e reconquistou o seu espaço entre os veículos de comunicação.

Pesquisas recentes demonstram que 60% das pessoas preferem ler no papel e ainda confiam nessa modalidade, enquanto 84% dos brasileiros não confiam em informações das redes sociais, outros 83% desconfiam de blogs. Os “Fake News” aumentaran o descrédito na internet.

A garantia da democracia sustenta-se em informações e fatos verdadeiros, e aí, pela maior credibilidade, surge a função vital da mídia impressa na manutenção do Estado Democrático.

Conforme dizia Oscar Wilde, “O jornalismo moderno tem uma coisa a seu favor: “Ao nos oferecer a opinião dos deseducadores, mantêm-nos em dia com a ignorância da comunidade”.

Diz-se também, que a sociedade que aceita qualquer jornalismo não merece jornalismo melhor. Será mesmo que a verdade é a maior camuflagem?

Mostrar demais, faz mal para a privacidade e espanta amizades. Sejamos mais seletivos, coerentes e sinceros com as nossas postagens na internet. Afinal, “entre a notícia e o boato a diferença é que a notícia pode ser forjada”

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Artigo: Boatos e desinformação, por Max Paul Jr.

Quarta, 22/2/2017 17:39.

É com indignação e revolta que recebemos pelos canais de comunicação e das Mídias Sociais, notícias de fatos e entrevistas orientados para desinformar e desvirtuar acontecimentos com opiniões direcionadas. A nossa preocupação se deve ao fato de a cada dia, vermos um número crescente de postagens de blogs “sujos” e sites obscuros, espalhando notícias pela Internet, desvirtuadas, requentadas, ou falsas. E pior, os desinformados leem e disseminam essas postagens.

Sou do tempo em que notícia, se ouvia em uma estação de rádio ou vendo e assistindo ao Cine Jornal nas salas de cinema, e através da leitura de revistas como “O Cruzeiro”, Seleções, “Realidade”, ‘Manchete”, a “Veja”, além dos jornais impressos.

Antonio C. Prado em seu excelente artigo “A Mídia Impressa está viva”, desqualifica a internet como ferramenta para substituir a linguagem impressa na mídia e na literatura por textos que podem ser lidos e acessados em suportes digitais. E diz que estávamos errados ao supor que a Internet seria a maior responsável pela democratização de dados e notícias, e que seria o meio de comunicação mais confiável.

A internet está longe de ser absoluta. O aumento na venda de livros físicos e a queda de e-books nos EUA, mostraram que o texto impresso voltou a despertar confiança e reconquistou o seu espaço entre os veículos de comunicação.

Pesquisas recentes demonstram que 60% das pessoas preferem ler no papel e ainda confiam nessa modalidade, enquanto 84% dos brasileiros não confiam em informações das redes sociais, outros 83% desconfiam de blogs. Os “Fake News” aumentaran o descrédito na internet.

A garantia da democracia sustenta-se em informações e fatos verdadeiros, e aí, pela maior credibilidade, surge a função vital da mídia impressa na manutenção do Estado Democrático.

Conforme dizia Oscar Wilde, “O jornalismo moderno tem uma coisa a seu favor: “Ao nos oferecer a opinião dos deseducadores, mantêm-nos em dia com a ignorância da comunidade”.

Diz-se também, que a sociedade que aceita qualquer jornalismo não merece jornalismo melhor. Será mesmo que a verdade é a maior camuflagem?

Mostrar demais, faz mal para a privacidade e espanta amizades. Sejamos mais seletivos, coerentes e sinceros com as nossas postagens na internet. Afinal, “entre a notícia e o boato a diferença é que a notícia pode ser forjada”

Publicidade

Publicidade