Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Obituário
Obituário: Jurema de Fatima Cardoso, Fá Centena

Quinta, 6/8/2020 10:26.
Divulgação

Publicidade

Faleceu nessa quarta-feira, 5 de agosto, a artista Fá Centena "Colagista Excentrika", que há apenas três anos se descobriu artista em Balneário Camboriú e produziu obras dignas de causar espanto em muito "intelectual do mundo das artes e cultura". Ela teve um aneurisma cerebral. Velório e enterro acontecem na Barra.

Há 12 anos em Balneário Camboriú, Jurema de Fátima Cardoso, 61, nascida em Guaporé RS, era filha de Sebastião e Natália Cardoso, que fazia sempre questão de citar. Honras e saudades. Fá Centena criava com o que tinha, misturava técnicas de colagem e pintura, em sua maioria em fundos reutilizados, esmalte e tinta acrílica. Realizou exposições na Galeria Útero, no Lote 84, e na Galeria Municipal de Cultura.

・・・

A artista Luciana Siebert, que foi curadora da exposição Kákas Minhas, escreveu na ocasião:

Fá Centana abre caminho todo o dia lembrando incêndios, quedas e saudades do pai e da mãe. Filha única, Fá Centena nasce na cidade de Guaporé e depois se muda para Maravilha das crianças felizes - Santa Catarina, onde cresce cercada de pessoas acolhedoras e festeiras. Em Balneário Camboriú, pretendia ficar apenas 6 meses há onze anos atrás. “É aqui que vou enterrar meus ossinhos, acho... quero ser cremada e virar uma Pérola Negra”. O simbolismo de seu trabalho nos leva a uma narrativa hermética e ao mesmo tempo coletiva. Pescamos e compartilhamos mitos e fantasmas. Nossa necessidade de sermos pássaro, nossas deformações da alma, chamas dolorosas e o levante do demônio e sua legião no Brasil histórico. Humanos animais coloridos, porcos e santos em espanto divino. Ela se comunica conosco. Quem se comunica? Fá Centena não tem formação artística, tampouco circula pelas esferas dos artistas privilegiados com tempo e dinheiro. A artista tem muito orgulho de ganhar o dindim como “trabalho doméstico” e fica ansiosa fazendo colagens. A exposição Kákas Minhas reúne dois anos de produção, sua técnica mistura colagem e pintura, em sua maioria em fundos reutilizados, esmalte e tinta acrílica. É com muita honra e carinho que apresentamos as obras de Fá Centena para vocês. Luciana Siebert - Curadora


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Obituário: Jurema de Fatima Cardoso, Fá Centena

Publicidade

Quinta, 6/8/2020 10:26.

Faleceu nessa quarta-feira, 5 de agosto, a artista Fá Centena "Colagista Excentrika", que há apenas três anos se descobriu artista em Balneário Camboriú e produziu obras dignas de causar espanto em muito "intelectual do mundo das artes e cultura". Ela teve um aneurisma cerebral. Velório e enterro acontecem na Barra.

Há 12 anos em Balneário Camboriú, Jurema de Fátima Cardoso, 61, nascida em Guaporé RS, era filha de Sebastião e Natália Cardoso, que fazia sempre questão de citar. Honras e saudades. Fá Centena criava com o que tinha, misturava técnicas de colagem e pintura, em sua maioria em fundos reutilizados, esmalte e tinta acrílica. Realizou exposições na Galeria Útero, no Lote 84, e na Galeria Municipal de Cultura.

・・・

A artista Luciana Siebert, que foi curadora da exposição Kákas Minhas, escreveu na ocasião:

Fá Centana abre caminho todo o dia lembrando incêndios, quedas e saudades do pai e da mãe. Filha única, Fá Centena nasce na cidade de Guaporé e depois se muda para Maravilha das crianças felizes - Santa Catarina, onde cresce cercada de pessoas acolhedoras e festeiras. Em Balneário Camboriú, pretendia ficar apenas 6 meses há onze anos atrás. “É aqui que vou enterrar meus ossinhos, acho... quero ser cremada e virar uma Pérola Negra”. O simbolismo de seu trabalho nos leva a uma narrativa hermética e ao mesmo tempo coletiva. Pescamos e compartilhamos mitos e fantasmas. Nossa necessidade de sermos pássaro, nossas deformações da alma, chamas dolorosas e o levante do demônio e sua legião no Brasil histórico. Humanos animais coloridos, porcos e santos em espanto divino. Ela se comunica conosco. Quem se comunica? Fá Centena não tem formação artística, tampouco circula pelas esferas dos artistas privilegiados com tempo e dinheiro. A artista tem muito orgulho de ganhar o dindim como “trabalho doméstico” e fica ansiosa fazendo colagens. A exposição Kákas Minhas reúne dois anos de produção, sua técnica mistura colagem e pintura, em sua maioria em fundos reutilizados, esmalte e tinta acrílica. É com muita honra e carinho que apresentamos as obras de Fá Centena para vocês. Luciana Siebert - Curadora


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade