Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Negócios
Comércio de Balneário Camboriú ainda sem acordo para abrir aos feriados

Dos 13 feriados no ano comércio trabalhava em 11

Segunda, 13/8/2018 8:38.
CDL

Publicidade

Os sindicatos dos lojistas e dos comerciários ainda não chegaram a acordo que possibilite o comércio de Balneário Camboriú trabalhar em feriados, como ocorre há muitos anos.

A Convenção Coletiva que permite o trabalho aos feriados expirou no último dia 3, foi prorrogada por 30 dias, mas não houve avanço nas conversações.

O sindicato dos trabalhadores quer que os patrões descontem nos meses de novembro e julho em favor da entidade 2% do salário dos empregados.

Os patrões não querem fazer isso porque correm o risco de descontar, repassar ao sindicato e depois, na justiça trabalhista, terem que repor o que foi tirado dos empregados.

Isso porque a Reforma Trabalhista do ano passado determinou que contribuições a sindicatos só podem ser feitas se os empregados solicitarem por escrito aos seus empregadores.

O sindicato dos comerciários também defende que quando trabalharem em feriados os supermercados paguem aos seus empregados um bônus de R$ 72,00 que já pago pelo restante do comércio.

Por decreto regulamentador de lei os supermercados desde o ano passado se equiparam a outros estabelecimentos de interesse público, podem ficar abertos em feriados e não querem pagar bônus por isso, apenas conceder a folga semanal em outro dia.

O sindicato alega que para ficarem abertos, supermercados e comércio em geral dependem de acordo em Convenção Coletiva.

Aparentemente essa discussão com os supermercados é um jogo de cena para o real interesse do sindicato que é o recolhimento da contribuição porque essas entidades depois que a lei mudou ficaram à míngua, os trabalhadores não querem sofrer descontos em favor de sindicalistas.

Falta de acordo afeta principalmente lojas

Se não abrirem no feriado os principais prejudicados serão os comerciantes de roupas, calçados, presentes etc. porque vários outros segmentos podem trabalhar já que são essenciais. São eles:

  • Peixarias
  • Açougues
  • Padarias
  • Fruteiras
  • Farmácias
  • Floriculturas
  • Varejistas de aves e ovos.
  • Barbearias
  • Postos de combustíveis
  • Locadores de bicicletas e similares.
  • Hotéis e similares (restaurantes, pensões, bares, cafés, confeitarias, leiterias, sorveterias e bombonerias).
  • Hospitais, clínicas, casas de saúde e ambulatórios.
  • Casas de diversões (inclusive estabelecimentos esportivos em que o ingresso seja pago).
  • Limpeza e alimentação de animais em estabelecimentos de avicultura.
  • Feiras-livres e mercados, inclusive os transportes inerentes aos mesmos.
  • Feiras-livres e mercados, comércio varejista de supermercados e de hipermercados, cuja atividade preponderante seja a venda de alimentos, inclusive os transportes a eles inerentes. (Desde que conste na Convenção Coletiva conforme redação dada pelo Decreto nº 9.127, de 2017),
  • Porteiros e cabineiros de edifícios residenciais.
  • Serviços de propaganda dominical.
  • Comércio de artigos regionais nas estâncias hidrominerais. (Incluído pelo Decreto nº 88.341, de 1983)
  • Comércio varejista em geral. (Incluído pelo Decreto nº 91.100, de 1983)
  • Comércio em portos, aeroportos, estradas, estações rodoviárias e ferroviárias. (Redação dada pelo Decreto nº 94.591, de 1987)
  • Comércio em hotéis. (Incluído pelo Decreto nº 94.591, de 1987)
  • Agências de turismo, locadoras de veículos e embarcações. (Incluído pelo Decreto nº 94.591, de 1987)
  • Comércio em postos de combustíveis. (Incluído pelo Decreto nº 94.591, de 1987)
  • Comércio em feiras e exposições.(Incluído pelo Decreto nº 94.591, de 1987).

SÃO 11 FERIADOS

Caso não haja acordo entre sindicato patronal e laboral, o prejuízo para o comércio será notável porque hoje dos 13 feriados do calendário é possível abrir as lojas em 11. São eles:

Nacionais:

- FECHADO 1º de Janeiro (Confraternização Universal);

- 21 de Abril (Tiradentes);

- FECHADO 1º de maio (Dia Universal do Trabalho);

- 07 de Setembro (Independência);

- 12 de Outubro (Ns. Senhora Aparecida);

- 02 de Novembro (Finados):

- 15 de Novembro (Proclamação da República);

- 25 de Dezembro (Natal).

Estaduais:

- 11 de Agosto (Dia do Estado de Santa Catarina) – comemorado no primeiro domingo seguinte;
Municipais - Balneário Camboriú:

- Carnaval (variável);

- Sexta Feira da Paixão (variável);

- Corpus Christi (variável);

- 20 de Julho (Aniversário do Município).

Municipal - Camboriú:

- Sexta Feira da Paixão (variável);

- Festa do Divino Espírito Santo (variável)

- Corpus Christi (variável);

- 05 de Abril (Aniversário do Município).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
CDL

Comércio de Balneário Camboriú ainda sem acordo para abrir aos feriados

Dos 13 feriados no ano comércio trabalhava em 11

Publicidade

Segunda, 13/8/2018 8:38.

Os sindicatos dos lojistas e dos comerciários ainda não chegaram a acordo que possibilite o comércio de Balneário Camboriú trabalhar em feriados, como ocorre há muitos anos.

A Convenção Coletiva que permite o trabalho aos feriados expirou no último dia 3, foi prorrogada por 30 dias, mas não houve avanço nas conversações.

O sindicato dos trabalhadores quer que os patrões descontem nos meses de novembro e julho em favor da entidade 2% do salário dos empregados.

Os patrões não querem fazer isso porque correm o risco de descontar, repassar ao sindicato e depois, na justiça trabalhista, terem que repor o que foi tirado dos empregados.

Isso porque a Reforma Trabalhista do ano passado determinou que contribuições a sindicatos só podem ser feitas se os empregados solicitarem por escrito aos seus empregadores.

O sindicato dos comerciários também defende que quando trabalharem em feriados os supermercados paguem aos seus empregados um bônus de R$ 72,00 que já pago pelo restante do comércio.

Por decreto regulamentador de lei os supermercados desde o ano passado se equiparam a outros estabelecimentos de interesse público, podem ficar abertos em feriados e não querem pagar bônus por isso, apenas conceder a folga semanal em outro dia.

O sindicato alega que para ficarem abertos, supermercados e comércio em geral dependem de acordo em Convenção Coletiva.

Aparentemente essa discussão com os supermercados é um jogo de cena para o real interesse do sindicato que é o recolhimento da contribuição porque essas entidades depois que a lei mudou ficaram à míngua, os trabalhadores não querem sofrer descontos em favor de sindicalistas.

Falta de acordo afeta principalmente lojas

Se não abrirem no feriado os principais prejudicados serão os comerciantes de roupas, calçados, presentes etc. porque vários outros segmentos podem trabalhar já que são essenciais. São eles:

  • Peixarias
  • Açougues
  • Padarias
  • Fruteiras
  • Farmácias
  • Floriculturas
  • Varejistas de aves e ovos.
  • Barbearias
  • Postos de combustíveis
  • Locadores de bicicletas e similares.
  • Hotéis e similares (restaurantes, pensões, bares, cafés, confeitarias, leiterias, sorveterias e bombonerias).
  • Hospitais, clínicas, casas de saúde e ambulatórios.
  • Casas de diversões (inclusive estabelecimentos esportivos em que o ingresso seja pago).
  • Limpeza e alimentação de animais em estabelecimentos de avicultura.
  • Feiras-livres e mercados, inclusive os transportes inerentes aos mesmos.
  • Feiras-livres e mercados, comércio varejista de supermercados e de hipermercados, cuja atividade preponderante seja a venda de alimentos, inclusive os transportes a eles inerentes. (Desde que conste na Convenção Coletiva conforme redação dada pelo Decreto nº 9.127, de 2017),
  • Porteiros e cabineiros de edifícios residenciais.
  • Serviços de propaganda dominical.
  • Comércio de artigos regionais nas estâncias hidrominerais. (Incluído pelo Decreto nº 88.341, de 1983)
  • Comércio varejista em geral. (Incluído pelo Decreto nº 91.100, de 1983)
  • Comércio em portos, aeroportos, estradas, estações rodoviárias e ferroviárias. (Redação dada pelo Decreto nº 94.591, de 1987)
  • Comércio em hotéis. (Incluído pelo Decreto nº 94.591, de 1987)
  • Agências de turismo, locadoras de veículos e embarcações. (Incluído pelo Decreto nº 94.591, de 1987)
  • Comércio em postos de combustíveis. (Incluído pelo Decreto nº 94.591, de 1987)
  • Comércio em feiras e exposições.(Incluído pelo Decreto nº 94.591, de 1987).

SÃO 11 FERIADOS

Caso não haja acordo entre sindicato patronal e laboral, o prejuízo para o comércio será notável porque hoje dos 13 feriados do calendário é possível abrir as lojas em 11. São eles:

Nacionais:

- FECHADO 1º de Janeiro (Confraternização Universal);

- 21 de Abril (Tiradentes);

- FECHADO 1º de maio (Dia Universal do Trabalho);

- 07 de Setembro (Independência);

- 12 de Outubro (Ns. Senhora Aparecida);

- 02 de Novembro (Finados):

- 15 de Novembro (Proclamação da República);

- 25 de Dezembro (Natal).

Estaduais:

- 11 de Agosto (Dia do Estado de Santa Catarina) – comemorado no primeiro domingo seguinte;
Municipais - Balneário Camboriú:

- Carnaval (variável);

- Sexta Feira da Paixão (variável);

- Corpus Christi (variável);

- 20 de Julho (Aniversário do Município).

Municipal - Camboriú:

- Sexta Feira da Paixão (variável);

- Festa do Divino Espírito Santo (variável)

- Corpus Christi (variável);

- 05 de Abril (Aniversário do Município).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade