Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Negócios
Caoa consegue liminar para manter contrato com Hyundai

Distribuidora e montadora travam guerra em tribunais

Sexta, 27/4/2018 16:13.

Publicidade

MÔNICA BERGAMO
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A distribuidora de veículos Caoa obteve uma liminar nesta sexta-feira (27) na Justiça para evitar o rompimento do contrato que tem com a coreana Hyundai.

Quando assinaram o acordo, as duas concordaram que ele duraria dez anos, prorrogáveis por mais uma década.

O primeiro prazo venceria na próxima semana. A Hyundai então notificou a distribuidora declarando que o contrato estava extinto a partir da segunda-feira (30).

A Caoa entrou em juízo na 2ª Vara Empresarial de Conflitos e Arbitragem de São Paulo. O juiz Eduardo Palma Pellegrinelli concedeu a liminar.
A decisão foi confirmada pelo advogado Sergio Bermudes, que defende a distribuidora.

"O contrato teria que ser prorrogado automaticamente, salvo por algum motivo excepcional que não foi apresentado pela parte contrária", diz ele. "A decisão do juiz se adequa às exigências da lei pois seria um absurdo romper desmotivadamente um contrato, interrompendo uma linha de distribuição com prejuízos gigantescos, incalculáveis, a começar pelo desemprego e a falta de circulação de riqueza".

O conflito agora deve ser levado a um juiz arbitral em Frankfurt, na Alemanha, como indicado no acordo entre as partes.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Caoa consegue liminar para manter contrato com Hyundai

Distribuidora e montadora travam guerra em tribunais

Publicidade

Sexta, 27/4/2018 16:13.

MÔNICA BERGAMO
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A distribuidora de veículos Caoa obteve uma liminar nesta sexta-feira (27) na Justiça para evitar o rompimento do contrato que tem com a coreana Hyundai.

Quando assinaram o acordo, as duas concordaram que ele duraria dez anos, prorrogáveis por mais uma década.

O primeiro prazo venceria na próxima semana. A Hyundai então notificou a distribuidora declarando que o contrato estava extinto a partir da segunda-feira (30).

A Caoa entrou em juízo na 2ª Vara Empresarial de Conflitos e Arbitragem de São Paulo. O juiz Eduardo Palma Pellegrinelli concedeu a liminar.
A decisão foi confirmada pelo advogado Sergio Bermudes, que defende a distribuidora.

"O contrato teria que ser prorrogado automaticamente, salvo por algum motivo excepcional que não foi apresentado pela parte contrária", diz ele. "A decisão do juiz se adequa às exigências da lei pois seria um absurdo romper desmotivadamente um contrato, interrompendo uma linha de distribuição com prejuízos gigantescos, incalculáveis, a começar pelo desemprego e a falta de circulação de riqueza".

O conflito agora deve ser levado a um juiz arbitral em Frankfurt, na Alemanha, como indicado no acordo entre as partes.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade