Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Mundo
Bolsas da Europa fecham em queda com temor de novas ondas de covid-19

Segunda, 15/6/2020 14:52.

Publicidade

Por Iander Porcella

As bolsas da Europa fecharam o pregão desta segunda-feira, 15, majoritariamente em queda, com o temor de novas ondas de infecções por covid-19, embora tenham reduzido as perdas nos minutos finais de negociação, em linha com o mercado acionário em Nova York.

Com isso, o índice intercontinental Stoxx 600 encerrou em baixa de 0,27%, a 353,09 pontos. "A crescente ansiedade de que a segunda onda da Covid-19 está prestes a atingir a economia global está pesando no clima do mercado no início da semana", comenta a analista de mercado Ipek Ozkardeskaya, do Swissquote Bank.

No final de semana, a China registrou dezenas de novos casos de coronavírus, principalmente em Pequim, onde novas restrições foram impostas. Alguns estados americanos também enfrentam um aumento do número de infectados por covid-19, após o relaxamento da quarentena.

"Este é claramente um grande retrocesso do ponto de vista otimista que os ativos de risco pareciam estar mostrando, mas também devemos lembrar que a maioria dos países está melhor preparada para lidar com esse surto", avaliam analistas do banco americano Brown Brothers Harriman (BBH).

Indicadores econômicos chineses divulgados hoje também geraram cautela. A produção industrial do país asiático avançou em maio, mas menos do que o esperado, enquanto as vendas no varejo sofreram retração maior do que a estimada em igual período.

Na zona do euro, as exportações registraram um tombo de 24,5% em abril ante março, e as importações sofreram retração de 13% no período.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE 100 recuou 0,66%, a 6.064,70 pontos. Por lá, continuam as negociações entre o Reino Unido e a União Europeia. Em comunicado conjunto divulgado hoje, houve menção a "discussões construtivas" pós-Brexit, mas também à necessidade de "um novo impulso" para se chegar a um acordo.

Também no Reino Unido, a petrolífera BP informou que registrará baixas contábeis de US$ 13 bilhões a US$ 17,5 bilhões no balanço do segundo trimestre. As ações da companhia recuaram 2,18% em Londres.

Em Frankfurt, o DAX teve baixa de 0,32% hoje, a 11.911,35 pontos Os papéis da Lufthansa cederam 4,12% e os da Allianz caíram 0,82%.

O índice CAC 40, da bolsa de Paris, perdeu 0,49%, a 4.815,72 pontos. As ações do Société Générale recuaram 2,42% e as do BNP Paribas, 1,93%.

O FTSE MIB, índice da Bolsa de Milão, foi o único a registrar alta, de 0,43%, a 18,969,29 pontos. Em Madri, o Ibex 35 cedeu 0,46%, a 7.259,30 pontos. Já o índice PSI 20, de Lisboa, caiu 0,76%, a 4.326,78 pontos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Bolsas da Europa fecham em queda com temor de novas ondas de covid-19

Publicidade

Segunda, 15/6/2020 14:52.

Por Iander Porcella

As bolsas da Europa fecharam o pregão desta segunda-feira, 15, majoritariamente em queda, com o temor de novas ondas de infecções por covid-19, embora tenham reduzido as perdas nos minutos finais de negociação, em linha com o mercado acionário em Nova York.

Com isso, o índice intercontinental Stoxx 600 encerrou em baixa de 0,27%, a 353,09 pontos. "A crescente ansiedade de que a segunda onda da Covid-19 está prestes a atingir a economia global está pesando no clima do mercado no início da semana", comenta a analista de mercado Ipek Ozkardeskaya, do Swissquote Bank.

No final de semana, a China registrou dezenas de novos casos de coronavírus, principalmente em Pequim, onde novas restrições foram impostas. Alguns estados americanos também enfrentam um aumento do número de infectados por covid-19, após o relaxamento da quarentena.

"Este é claramente um grande retrocesso do ponto de vista otimista que os ativos de risco pareciam estar mostrando, mas também devemos lembrar que a maioria dos países está melhor preparada para lidar com esse surto", avaliam analistas do banco americano Brown Brothers Harriman (BBH).

Indicadores econômicos chineses divulgados hoje também geraram cautela. A produção industrial do país asiático avançou em maio, mas menos do que o esperado, enquanto as vendas no varejo sofreram retração maior do que a estimada em igual período.

Na zona do euro, as exportações registraram um tombo de 24,5% em abril ante março, e as importações sofreram retração de 13% no período.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE 100 recuou 0,66%, a 6.064,70 pontos. Por lá, continuam as negociações entre o Reino Unido e a União Europeia. Em comunicado conjunto divulgado hoje, houve menção a "discussões construtivas" pós-Brexit, mas também à necessidade de "um novo impulso" para se chegar a um acordo.

Também no Reino Unido, a petrolífera BP informou que registrará baixas contábeis de US$ 13 bilhões a US$ 17,5 bilhões no balanço do segundo trimestre. As ações da companhia recuaram 2,18% em Londres.

Em Frankfurt, o DAX teve baixa de 0,32% hoje, a 11.911,35 pontos Os papéis da Lufthansa cederam 4,12% e os da Allianz caíram 0,82%.

O índice CAC 40, da bolsa de Paris, perdeu 0,49%, a 4.815,72 pontos. As ações do Société Générale recuaram 2,42% e as do BNP Paribas, 1,93%.

O FTSE MIB, índice da Bolsa de Milão, foi o único a registrar alta, de 0,43%, a 18,969,29 pontos. Em Madri, o Ibex 35 cedeu 0,46%, a 7.259,30 pontos. Já o índice PSI 20, de Lisboa, caiu 0,76%, a 4.326,78 pontos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade