Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Mundo
Último kart usado por Senna será leiloado em Londres

Terça, 4/9/2018 19:21.
Divulgação
Ayrton Senna

Publicidade

JOSÉ EDUARDO MARTINS (UOL/FOLHAPRESS)

Uma máquina que faz parte da história do automobilismo pode deixar o Brasil. O último kart utilizado por Ayrton Senna, em um encontro com amigos em sua fazenda, em Tatuí, no interior do estado de São Paulo, no dia 19 de março de 1994, integra o lote de uma das principais casas de leilão de Londres, na Inglaterra.

Os interessados precisam fazer um cadastro -disponível em https://goo.gl/dZEM5q- para apresentar as ofertas nesta quarta-feira (5), a previsão é de que os lances fiquem entre R$ 268 mil e R$ 375 mil -sendo parte da renda destinada ao Instituto Ayrton Senna.

O tricampeão nunca escondeu que o kart era uma de suas maiores paixões. Por isso, quando construiu a sua propriedade, incluiu no projeto uma pista para acelerar nos fins de semana de folga com as pessoas mais próximas.

Um de seus amigos era José Dirani. Dono de uma oficina, ele conhecia o astro há muitos anos e passou a ser o seu mecânico particular. A pedido do piloto da F-1, José separou alguns karts para que ficassem em Tatuí, e o de número 14 virou o xodó de Senna.

"Meu pai [José Dirani] preparava também o meu kart e o do Senna. Ele tinha uma oficina e, quando o Ayrton Senna era adolescente, eles trocavam muita informação. O Ayrton já gostava bastante de carros nesta época e nada mais natural do que os dois ficarem amigos", contou Danilo Dirani, que compete hoje na Copa Truck e trabalha também como coach de pilotos.

Depois do dia 19 de março de 1994, o kart não andou mais. Senna, como todos sabem, morreu no dia 1º de maio do mesmo ano, e a máquina ficou guardada na garagem até ser restaurada. Junto com o veículo, o vencedor do leilão vai receber uma série de imagens do tricampeão em ação com o bólido. O material serve para comprovar a autenticidade da máquina, que já foi acelerada por outro piloto. Considerado um dos jovens mais promissores de sua geração, Dirani foi o primeiro dono do kart número 14.

"Tenho muito carinho por esse kart, assim como por todos os equipamentos que usei. Tenho boas lembranças dele. Eu corria com ele, em 92 e 93. Ganhei muitas corridas com esse kart no campeonato do interior de São Paulo júnior menor. Em 94, usei um outro modelo, porque aquele estava ficando mais antigo. Então, meu pai passou para o Ayrton utilizar nas reuniões que ele fazia na fazenda. Ele usou no dia 19 de março, e depois ficou guardado até a ideia do leilão surgir", contou Danilo Dirani, que escolheu o número 14.

"O número 4 que era o número que o meu pai usava. Como já tinha um menino que utilizava no campeonato, coloquei o 1 na frente e fiquei com o 14", completou.

Na infância, Danilo Dirani conviveu bastante com Ayrton e a sua família. Mesmo que as memórias não sejam tão nítidas, ele ainda recorda com carinho dos tempos em que corria com Senna e do que aprendeu com o tricampeão.

"Até os meus 10 anos a gente convivia bastante, lembro de muita coisa, mas não tão nitidamente. Porém, a essência daqueles dias estão guardadas. Não me lembro dele falando as palavras exatas, 'faça isso ou aquilo', mas quando você é criança as coisas entram no subconsciente, e com certeza ficam lá. É um cara que eu tinha uma admiração, é óbvio, era um ídolo. Não me lembro de nenhum ponto específico, mas vejo muitas coisas de atitudes de cotidiano que aprendi com ele e a família dele que ficaram no meu chip", afirmou Danilo Dirani, de 35 anos.

Ficha do kart:
Fabricante: Kart Mini (chassi).
Ano de fabricação: entre 1991 e 1993.
Motorização: Komet (dois tempos); fabricado em 1990.
Combustível: gasolina.
Carburação: simples
Cilindrada: 125cc
Avaliação: entre R$ 268 mil e R$ 375 mil


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação
Ayrton Senna
Ayrton Senna

Último kart usado por Senna será leiloado em Londres

Publicidade

Terça, 4/9/2018 19:21.

JOSÉ EDUARDO MARTINS (UOL/FOLHAPRESS)

Uma máquina que faz parte da história do automobilismo pode deixar o Brasil. O último kart utilizado por Ayrton Senna, em um encontro com amigos em sua fazenda, em Tatuí, no interior do estado de São Paulo, no dia 19 de março de 1994, integra o lote de uma das principais casas de leilão de Londres, na Inglaterra.

Os interessados precisam fazer um cadastro -disponível em https://goo.gl/dZEM5q- para apresentar as ofertas nesta quarta-feira (5), a previsão é de que os lances fiquem entre R$ 268 mil e R$ 375 mil -sendo parte da renda destinada ao Instituto Ayrton Senna.

O tricampeão nunca escondeu que o kart era uma de suas maiores paixões. Por isso, quando construiu a sua propriedade, incluiu no projeto uma pista para acelerar nos fins de semana de folga com as pessoas mais próximas.

Um de seus amigos era José Dirani. Dono de uma oficina, ele conhecia o astro há muitos anos e passou a ser o seu mecânico particular. A pedido do piloto da F-1, José separou alguns karts para que ficassem em Tatuí, e o de número 14 virou o xodó de Senna.

"Meu pai [José Dirani] preparava também o meu kart e o do Senna. Ele tinha uma oficina e, quando o Ayrton Senna era adolescente, eles trocavam muita informação. O Ayrton já gostava bastante de carros nesta época e nada mais natural do que os dois ficarem amigos", contou Danilo Dirani, que compete hoje na Copa Truck e trabalha também como coach de pilotos.

Depois do dia 19 de março de 1994, o kart não andou mais. Senna, como todos sabem, morreu no dia 1º de maio do mesmo ano, e a máquina ficou guardada na garagem até ser restaurada. Junto com o veículo, o vencedor do leilão vai receber uma série de imagens do tricampeão em ação com o bólido. O material serve para comprovar a autenticidade da máquina, que já foi acelerada por outro piloto. Considerado um dos jovens mais promissores de sua geração, Dirani foi o primeiro dono do kart número 14.

"Tenho muito carinho por esse kart, assim como por todos os equipamentos que usei. Tenho boas lembranças dele. Eu corria com ele, em 92 e 93. Ganhei muitas corridas com esse kart no campeonato do interior de São Paulo júnior menor. Em 94, usei um outro modelo, porque aquele estava ficando mais antigo. Então, meu pai passou para o Ayrton utilizar nas reuniões que ele fazia na fazenda. Ele usou no dia 19 de março, e depois ficou guardado até a ideia do leilão surgir", contou Danilo Dirani, que escolheu o número 14.

"O número 4 que era o número que o meu pai usava. Como já tinha um menino que utilizava no campeonato, coloquei o 1 na frente e fiquei com o 14", completou.

Na infância, Danilo Dirani conviveu bastante com Ayrton e a sua família. Mesmo que as memórias não sejam tão nítidas, ele ainda recorda com carinho dos tempos em que corria com Senna e do que aprendeu com o tricampeão.

"Até os meus 10 anos a gente convivia bastante, lembro de muita coisa, mas não tão nitidamente. Porém, a essência daqueles dias estão guardadas. Não me lembro dele falando as palavras exatas, 'faça isso ou aquilo', mas quando você é criança as coisas entram no subconsciente, e com certeza ficam lá. É um cara que eu tinha uma admiração, é óbvio, era um ídolo. Não me lembro de nenhum ponto específico, mas vejo muitas coisas de atitudes de cotidiano que aprendi com ele e a família dele que ficaram no meu chip", afirmou Danilo Dirani, de 35 anos.

Ficha do kart:
Fabricante: Kart Mini (chassi).
Ano de fabricação: entre 1991 e 1993.
Motorização: Komet (dois tempos); fabricado em 1990.
Combustível: gasolina.
Carburação: simples
Cilindrada: 125cc
Avaliação: entre R$ 268 mil e R$ 375 mil


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade