Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Mundo
De BC: brasileiro que foi preso na Venezuela se pronuncia nas redes sociais

ONG que ele está fundando será divulgada nesta quarta

Terça, 9/1/2018 17:54.
Reprodução/Facebook

Publicidade

Jonatas Diniz, que cresceu em Balneário Camboriú e virou notícia internacional ao ser preso na Venezuela recentemente, divulgou nesta terça-feira em suas redes sociais uma carta sobre o ocorrido.

Ele aproveitou para anunciar que será realizada em Balneário nesta quarta-feira uma apresentação da ONG que está instituindo, a Time To Change The Earth.

É provável que o próprio Jonatas não esteja na apresentação, porque no texto que publicou afirma que espera que seu caso e pessoa desapareçam “das mídias e que eu continue levando uma vida normal e sem essa loucura de gente pedindo entrevista e etc”.

No texto ele conta que juntamente com o advogado estava trabalhando na abertura da ONG, porém mesmo sem tempo hábil para conclusão antes do Natal, resolveu ir para a Venezuela fazer trabalho humanitário ajudando outras ONGs.

Leia na íntegra:

"Quero aclarar que meu ÚNICO objetivo nesse post é encontrar uma maneira de que já que aconteceu toda essa repercussão de meu caso mesmo eu não tendo ideia até sair da prisão e nem escolhido passar por tudo isso, que eu possa ao menos usar os meios de comunicação para ajudar mais gente no nosso projeto.

Para minha pessoa não há motivo nem interesse algum em colocar ódio entre governos, pessoas e nem acusar alguém de ditador ou não. Se uma criança chavista está passando fome eu vou ajudar do mesmo jeito que se for uma de direita, uma Venezuelana, uma brasileira, uma norte americana, uma africana ou não importa em que parte do mundo ou universo a mesma se encontre.

Peço para que parem com essa besteira que escuto desde faz tempo "se você é brasileiro por que não ajuda o Brasil em vez da Venezuela?" Vindo de pessoas que não ajudam nem Brasil, nem Venezuela e nem limpar o chão de sua própria casa.

Eu não sigo a lei criada por humanos, eu não divido pessoas por fronteiras, raças, partidos políticos, altura, idade, sexo ou o que seja, para mim uma alma é uma alma e nenhuma é mais ou menos importante que a outra... Simplesmente quero dar um futuro melhor para as crianças que necessitam quais vocês ao redor de todo esse planeta colocaram no mundo, SIMPLES ASSIM!

E de verdade, quem me dera eu poder ajudar as crianças no Brasil ou em todo o mundo, mas infelizmente meu dinheiro não mudaria em nada porque não nasci em berço de ouro e o dinheiro de meus amigos que me ajudaram muito menos.

Todos trabalham duro e levam vida digna para poder de alguma maneira que seja doando 10 centavos ajudar alguém. E mais uma vez reitero, o salário mínimo da Venezuela é menos de 10$ mês no momento, MUITA CRIANÇA MORREU, ESTÁ MORRENDO E VAI MORRER DE DESNUTRIÇÃO SE NÓS IRMÃOS BRASILEIROS NÃO AS AJUDAR, então antes de mais nada, adicionem a conta @timetochangetheearth em seus Instagrams e compartilhem a ideia, que por meio desta conta encontraremos uma maneira de continuar ajudando, a ajuda de vocês é extremamente importante para a continuação desse sonho que tenho absoluta certeza que não é só meu. Agora como jornalistas pediram, vou responder a respeito de minha prisão (por favor não foquem nisso! Não foquem no problema, foquem na solução!)

Acredito que fui preso no dia 26 de Dezembro enquanto estava com amigos bebendo cerveja na praia (sim, sou humano e não passo 24h fazendo caridade) por um homem que falou que trabalhava para a polícia mas estava a paisana, me tirou da praia me ameaçando com a arma, tirou meus dois relógios que usava e os repassou como penhora na conta do bar já que o mesmo não me deu a chance de eu pagar minha conta, meu óculos de sol roubaram nesse rolo todo.

Ele fez diversas acusações falsas a meu respeito dizendo que eu era da CIA, que eu estava lá usando fotos de crianças da Venezuela para ganhar dinheiro a custa de outros, que era mentira que eu tinha chego com a America Airlines na Venezuela (o cara era policia especial e nem se quer sabia que America Airlines fazia vôo em Maiquetia/aeroporto).

Enfim, me prenderam na sede do SEBIN (Polícia tática da Venezuela) chamada se não me engano de "Latin" que ficava muito perto do aeroporto de Maiquetia (CCS). A cela tinha aproximadamente 8m quadrados, compartia a mesma com mais 8 Venezuelanos e me fizeram ficar nú não sei quantas vezes e com quantos celulares tiraram fotos minha, inclusive mandaram ficar nú na frente de todos os detentos sem a mínima lógica na noite que cheguei (obs: ninguém me abusou sexualmente e nem me agrediram fisicamente, acreditem, podemos evitar 100% das batalhas com muita gentileza e uma dose extra grande de paciência).

O chefe geral do lugar falou para todos os detentos que eu tinha ligação com Oscar Perez e o grupo da Resistência na Venezuela(mais uma falsa acusação) para incentivar os presidiários a me odiar, já que os mesmo são contra os atos de Oscar Perez. Eu não darei minha opinião a respeito dos atos dele e nem da resistência, mas incentivo a vocês a buscar a respeito do assunto, porque isso faz parte da história da Venezuela e entenderão melhor quem é quem nesse cenário todo (filtrem informações, há muita coisa falsa na rede).

E deixo claro mais uma vez, EU JÁ ODIEI MADURO, verbo no passado! Isso não quer dizer que continue o odiando ou que estou ajudando qualquer um dos lados a ganhar o poder, porque sinceramente em meu ponto de vista pessoal, nem direita e nem esquerda são capazes de tirar Venezuela do buraco, para mim a verdadeira revolução bolivariana e a solução deve nascer da força do povo fazer a mudança com as próprias mãos e não esperar que os governos façam.

Continuando, de 11 dias presos me deram comida somente 2 ou 3 dias, os outros 8 presos que estão lá a quase 3 anos não recebem nenhuma comida, tendo que a família deles viajar todos os dias para levar algo para eles sobreviverem e foi da comida de meus colegas de cela que me alimentei, porque se fosse depender do SEBIN eu tava fu****.

Dos 11 dias, jamais me deixaram sair da cela nem para 10 minutos de sol, quando saia, era para assinar mais papeladas e como sempre ser chamado de "estafador e agente da CIA". Diosdado Cabello, braço direito de Nicolas Maduro fez pronunciamento em rede nacional a meu respeito acredito que dia 27/12/2017 me acusando de terrorista e ligação com grupos criminosos, de verdade, essas pessoas estão com tanto medo de perder o poder que já estão alucinando.

Os 11 dias não pude receber visita, fazer chamada ou nenhuma outra coisa. Tentaram colocar terror psicológico falando que eu poderia ficar lá tanto 1 como 1000 dias, que ninguém havia me procurado e que ninguém nem se quer sabia de minha prisão. Como eu estava preso e sem contato, simplesmente ouvi e deu. Dormiamos em 6 pessoas em colchões no chão e mais 3 em um triliche caindo aos pedaços...

O vaso, sanitário era na cela sem privacidade alguma e não existia chuveiro, banhavamos em um cantinho com pote e depois secavamos o local, fazer as "necessidades" tinha que ser na frente de todos e o cheiro nem sempre era dos melhores por a cela ser muito pequena e com tanta gente e quase nenhuma ventilação.

Em contrapartida o lado suave da história é que tínhamos televisão e muitos filmes para passar o tempo e meus companheiros de cela eram pessoas muito humanas e queridas, faço minhas orações para que eles encontrem suas liberdades logo.

Um dia antes de me soltarem, quando fui ao SAIME(órgão público que faz documentos Venezuelanos e estrangeiros) obrigado a assinar minha expulsão do país por infelizmente 10 anos, foi que tive conhecimento que meu nome estava na internet e que o caso tinha tomado grandes proporções.

No dia seguinte mudaram meu vôo do Brasil para EUA porque alegaram que eu deveria voltar de onde eu vim e não de meu país de origem, decidiram isso de última hora, não foi minha opção.

Tomei meu vôo direção Miami e logo direção Los Angeles, guardei segredo de minha localização simplesmente porque evito aparecer na televisão ou dar qualquer entrevista, os repórteres já sabem disso e mais uma vez porque jamais pedi ou quis ser famoso por nada, e nem se quer pedi reconhecimento de ninguém por meus atos, como já dito, quem quer ajudar de verdade alguém, não deve ajudar esperando algo em troca, você ajuda pelo simples fato de você querer ajudar, ninguém te obriga como também em 99% dos casos ninguém te felicita por isso (normalmente te criticam mais que te apoiam em realidade) e aceito e não me importo com essa situação.

A respeito de que se tenho ONG ou não, o resumo é o seguinte: estavamos trabalhando na abertura da mesma já desde início de Novembro, todo o grupo juntamente com o advogado Samuel Rodrigues de Bal. Camboriú-SC, porém não tivemos tempo hábil para abrir a mesma até o Natal e como com ou sem papel de ONG as crianças estariam de igual maneira morrendo de fome, decidi ir sem papel e fazer o mesmo trabalho que já havia feito entre Maio e Agosto, que nada mais era que auxiliar as ONGs venezuelanas já existentes quais eu conhecia e doava MEU dinheiro, trabalho, imagem e tempo.

Por isso se prestarem atenção em nosso Instagram @timetochangetheearth a descrição está "ONE IDEA that connect..." (Uma ideia que conecta...) e não está "ONE NPO/NGO that connect..." (Uma ONG que conecta...) E o post do dia 21 de Dezembro na mesma página deixa isso muito claro.

Bem, espero que meu caso e minha pessoa desapareça das mídias e que eu continue levando uma vida normal e sem essa loucura de gente pedindo entrevista e etc, porém ao mesmo tempo rezo que o projeto de salvar vidas de crianças e dar um futuro melhor para elas somente creça mais e mais! Por isso para finalizar, reitero adicionar a conta @timetochangetheearth e seguir essa ideia e para os moradores da cidade onde cresci(nasci em Ijuí-RS) e passei maior parte da minha vida , Balneário Camboriú, SC, os convido para comparecer a:

"Apresentação da ONG Time To Change The Earth para a imprensa e para a comunidade e explicações sobre o ocorrido com Jonatan Diniz na Venezuela
Local: Auditório OAB Balneário Camboriú
End.: Rua 916, n° 612, Centro - Balneário Camboriú
Data: 10 de janeiro de 2018
Horário: 17h45"

Para nos ajudar e conhecer mais de nosso projeto e como poderemos com nossas mãos e suor fazer (SEM METER POLÍTICA NO MEIO!) esse mundo melhor. Toda a midia que assim poder ir e divulgar nossos esforços para manter e engrandecer este projeto estaremos para sempre gratos.

Obrigado a todos e me perdoem por toda a angustia e preocupação que causei aos envolvidos, realmente não estava em minhas mãos conseguir evitar tudo isso e dos males o menor, ou seja, estou vivo e consegui levar que seja um pouco de doação a quem assim necessitava, continuarei dando muita energia para se DEUS quiser um dia eu possa doar muito mais, mas para isso, dependerei 99% da ajuda exatamente de vocês que estão lendo, independente em que país ou planeta estiverem ;).

"Um homem pode morrer, lutar, falhar, até mesmo ser esquecido, mas sua idéia pode modificar o mundo mesmo tendo passado 400 anos."
"Idéias não são só carne e osso. Idéias são aprova de balas." (V de Vingança, 2005)"


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Reprodução/Facebook

De BC: brasileiro que foi preso na Venezuela se pronuncia nas redes sociais

ONG que ele está fundando será divulgada nesta quarta

Publicidade

Terça, 9/1/2018 17:54.

Jonatas Diniz, que cresceu em Balneário Camboriú e virou notícia internacional ao ser preso na Venezuela recentemente, divulgou nesta terça-feira em suas redes sociais uma carta sobre o ocorrido.

Ele aproveitou para anunciar que será realizada em Balneário nesta quarta-feira uma apresentação da ONG que está instituindo, a Time To Change The Earth.

É provável que o próprio Jonatas não esteja na apresentação, porque no texto que publicou afirma que espera que seu caso e pessoa desapareçam “das mídias e que eu continue levando uma vida normal e sem essa loucura de gente pedindo entrevista e etc”.

No texto ele conta que juntamente com o advogado estava trabalhando na abertura da ONG, porém mesmo sem tempo hábil para conclusão antes do Natal, resolveu ir para a Venezuela fazer trabalho humanitário ajudando outras ONGs.

Leia na íntegra:

"Quero aclarar que meu ÚNICO objetivo nesse post é encontrar uma maneira de que já que aconteceu toda essa repercussão de meu caso mesmo eu não tendo ideia até sair da prisão e nem escolhido passar por tudo isso, que eu possa ao menos usar os meios de comunicação para ajudar mais gente no nosso projeto.

Para minha pessoa não há motivo nem interesse algum em colocar ódio entre governos, pessoas e nem acusar alguém de ditador ou não. Se uma criança chavista está passando fome eu vou ajudar do mesmo jeito que se for uma de direita, uma Venezuelana, uma brasileira, uma norte americana, uma africana ou não importa em que parte do mundo ou universo a mesma se encontre.

Peço para que parem com essa besteira que escuto desde faz tempo "se você é brasileiro por que não ajuda o Brasil em vez da Venezuela?" Vindo de pessoas que não ajudam nem Brasil, nem Venezuela e nem limpar o chão de sua própria casa.

Eu não sigo a lei criada por humanos, eu não divido pessoas por fronteiras, raças, partidos políticos, altura, idade, sexo ou o que seja, para mim uma alma é uma alma e nenhuma é mais ou menos importante que a outra... Simplesmente quero dar um futuro melhor para as crianças que necessitam quais vocês ao redor de todo esse planeta colocaram no mundo, SIMPLES ASSIM!

E de verdade, quem me dera eu poder ajudar as crianças no Brasil ou em todo o mundo, mas infelizmente meu dinheiro não mudaria em nada porque não nasci em berço de ouro e o dinheiro de meus amigos que me ajudaram muito menos.

Todos trabalham duro e levam vida digna para poder de alguma maneira que seja doando 10 centavos ajudar alguém. E mais uma vez reitero, o salário mínimo da Venezuela é menos de 10$ mês no momento, MUITA CRIANÇA MORREU, ESTÁ MORRENDO E VAI MORRER DE DESNUTRIÇÃO SE NÓS IRMÃOS BRASILEIROS NÃO AS AJUDAR, então antes de mais nada, adicionem a conta @timetochangetheearth em seus Instagrams e compartilhem a ideia, que por meio desta conta encontraremos uma maneira de continuar ajudando, a ajuda de vocês é extremamente importante para a continuação desse sonho que tenho absoluta certeza que não é só meu. Agora como jornalistas pediram, vou responder a respeito de minha prisão (por favor não foquem nisso! Não foquem no problema, foquem na solução!)

Acredito que fui preso no dia 26 de Dezembro enquanto estava com amigos bebendo cerveja na praia (sim, sou humano e não passo 24h fazendo caridade) por um homem que falou que trabalhava para a polícia mas estava a paisana, me tirou da praia me ameaçando com a arma, tirou meus dois relógios que usava e os repassou como penhora na conta do bar já que o mesmo não me deu a chance de eu pagar minha conta, meu óculos de sol roubaram nesse rolo todo.

Ele fez diversas acusações falsas a meu respeito dizendo que eu era da CIA, que eu estava lá usando fotos de crianças da Venezuela para ganhar dinheiro a custa de outros, que era mentira que eu tinha chego com a America Airlines na Venezuela (o cara era policia especial e nem se quer sabia que America Airlines fazia vôo em Maiquetia/aeroporto).

Enfim, me prenderam na sede do SEBIN (Polícia tática da Venezuela) chamada se não me engano de "Latin" que ficava muito perto do aeroporto de Maiquetia (CCS). A cela tinha aproximadamente 8m quadrados, compartia a mesma com mais 8 Venezuelanos e me fizeram ficar nú não sei quantas vezes e com quantos celulares tiraram fotos minha, inclusive mandaram ficar nú na frente de todos os detentos sem a mínima lógica na noite que cheguei (obs: ninguém me abusou sexualmente e nem me agrediram fisicamente, acreditem, podemos evitar 100% das batalhas com muita gentileza e uma dose extra grande de paciência).

O chefe geral do lugar falou para todos os detentos que eu tinha ligação com Oscar Perez e o grupo da Resistência na Venezuela(mais uma falsa acusação) para incentivar os presidiários a me odiar, já que os mesmo são contra os atos de Oscar Perez. Eu não darei minha opinião a respeito dos atos dele e nem da resistência, mas incentivo a vocês a buscar a respeito do assunto, porque isso faz parte da história da Venezuela e entenderão melhor quem é quem nesse cenário todo (filtrem informações, há muita coisa falsa na rede).

E deixo claro mais uma vez, EU JÁ ODIEI MADURO, verbo no passado! Isso não quer dizer que continue o odiando ou que estou ajudando qualquer um dos lados a ganhar o poder, porque sinceramente em meu ponto de vista pessoal, nem direita e nem esquerda são capazes de tirar Venezuela do buraco, para mim a verdadeira revolução bolivariana e a solução deve nascer da força do povo fazer a mudança com as próprias mãos e não esperar que os governos façam.

Continuando, de 11 dias presos me deram comida somente 2 ou 3 dias, os outros 8 presos que estão lá a quase 3 anos não recebem nenhuma comida, tendo que a família deles viajar todos os dias para levar algo para eles sobreviverem e foi da comida de meus colegas de cela que me alimentei, porque se fosse depender do SEBIN eu tava fu****.

Dos 11 dias, jamais me deixaram sair da cela nem para 10 minutos de sol, quando saia, era para assinar mais papeladas e como sempre ser chamado de "estafador e agente da CIA". Diosdado Cabello, braço direito de Nicolas Maduro fez pronunciamento em rede nacional a meu respeito acredito que dia 27/12/2017 me acusando de terrorista e ligação com grupos criminosos, de verdade, essas pessoas estão com tanto medo de perder o poder que já estão alucinando.

Os 11 dias não pude receber visita, fazer chamada ou nenhuma outra coisa. Tentaram colocar terror psicológico falando que eu poderia ficar lá tanto 1 como 1000 dias, que ninguém havia me procurado e que ninguém nem se quer sabia de minha prisão. Como eu estava preso e sem contato, simplesmente ouvi e deu. Dormiamos em 6 pessoas em colchões no chão e mais 3 em um triliche caindo aos pedaços...

O vaso, sanitário era na cela sem privacidade alguma e não existia chuveiro, banhavamos em um cantinho com pote e depois secavamos o local, fazer as "necessidades" tinha que ser na frente de todos e o cheiro nem sempre era dos melhores por a cela ser muito pequena e com tanta gente e quase nenhuma ventilação.

Em contrapartida o lado suave da história é que tínhamos televisão e muitos filmes para passar o tempo e meus companheiros de cela eram pessoas muito humanas e queridas, faço minhas orações para que eles encontrem suas liberdades logo.

Um dia antes de me soltarem, quando fui ao SAIME(órgão público que faz documentos Venezuelanos e estrangeiros) obrigado a assinar minha expulsão do país por infelizmente 10 anos, foi que tive conhecimento que meu nome estava na internet e que o caso tinha tomado grandes proporções.

No dia seguinte mudaram meu vôo do Brasil para EUA porque alegaram que eu deveria voltar de onde eu vim e não de meu país de origem, decidiram isso de última hora, não foi minha opção.

Tomei meu vôo direção Miami e logo direção Los Angeles, guardei segredo de minha localização simplesmente porque evito aparecer na televisão ou dar qualquer entrevista, os repórteres já sabem disso e mais uma vez porque jamais pedi ou quis ser famoso por nada, e nem se quer pedi reconhecimento de ninguém por meus atos, como já dito, quem quer ajudar de verdade alguém, não deve ajudar esperando algo em troca, você ajuda pelo simples fato de você querer ajudar, ninguém te obriga como também em 99% dos casos ninguém te felicita por isso (normalmente te criticam mais que te apoiam em realidade) e aceito e não me importo com essa situação.

A respeito de que se tenho ONG ou não, o resumo é o seguinte: estavamos trabalhando na abertura da mesma já desde início de Novembro, todo o grupo juntamente com o advogado Samuel Rodrigues de Bal. Camboriú-SC, porém não tivemos tempo hábil para abrir a mesma até o Natal e como com ou sem papel de ONG as crianças estariam de igual maneira morrendo de fome, decidi ir sem papel e fazer o mesmo trabalho que já havia feito entre Maio e Agosto, que nada mais era que auxiliar as ONGs venezuelanas já existentes quais eu conhecia e doava MEU dinheiro, trabalho, imagem e tempo.

Por isso se prestarem atenção em nosso Instagram @timetochangetheearth a descrição está "ONE IDEA that connect..." (Uma ideia que conecta...) e não está "ONE NPO/NGO that connect..." (Uma ONG que conecta...) E o post do dia 21 de Dezembro na mesma página deixa isso muito claro.

Bem, espero que meu caso e minha pessoa desapareça das mídias e que eu continue levando uma vida normal e sem essa loucura de gente pedindo entrevista e etc, porém ao mesmo tempo rezo que o projeto de salvar vidas de crianças e dar um futuro melhor para elas somente creça mais e mais! Por isso para finalizar, reitero adicionar a conta @timetochangetheearth e seguir essa ideia e para os moradores da cidade onde cresci(nasci em Ijuí-RS) e passei maior parte da minha vida , Balneário Camboriú, SC, os convido para comparecer a:

"Apresentação da ONG Time To Change The Earth para a imprensa e para a comunidade e explicações sobre o ocorrido com Jonatan Diniz na Venezuela
Local: Auditório OAB Balneário Camboriú
End.: Rua 916, n° 612, Centro - Balneário Camboriú
Data: 10 de janeiro de 2018
Horário: 17h45"

Para nos ajudar e conhecer mais de nosso projeto e como poderemos com nossas mãos e suor fazer (SEM METER POLÍTICA NO MEIO!) esse mundo melhor. Toda a midia que assim poder ir e divulgar nossos esforços para manter e engrandecer este projeto estaremos para sempre gratos.

Obrigado a todos e me perdoem por toda a angustia e preocupação que causei aos envolvidos, realmente não estava em minhas mãos conseguir evitar tudo isso e dos males o menor, ou seja, estou vivo e consegui levar que seja um pouco de doação a quem assim necessitava, continuarei dando muita energia para se DEUS quiser um dia eu possa doar muito mais, mas para isso, dependerei 99% da ajuda exatamente de vocês que estão lendo, independente em que país ou planeta estiverem ;).

"Um homem pode morrer, lutar, falhar, até mesmo ser esquecido, mas sua idéia pode modificar o mundo mesmo tendo passado 400 anos."
"Idéias não são só carne e osso. Idéias são aprova de balas." (V de Vingança, 2005)"


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade