Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

ENTREVISTA: Advogado Osmar Nunes Júnior, empossado desembargador nesta quarta

Terça, 18/6/2019 19:02.

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) empossará nesta quarta-feira (19) o novo desembargador, Osmar Nunes Júnior. A solenidade terá início às 18h na Sala de Sessões Ministro Teori Zavascki, na sede do TJSC, em Florianópolis. O advogado foi escolhido pelo governador, Carlos Moisés, na última quinta-feira (6), de lista tríplice formada pelo Pleno do TJ em eleição no último dia 27 de maio, na condição de mais votado entre seus colegas que disputavam a vaga pelo quinto constitucional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O futuro desembargador disse que seu objetivo é devolver a confiança que todos depositaram em seu nome.

"Vamos trabalhar com retidão e determinação neste caminho difícil e gratificante. Será uma mudança de vida considerável", destaca Osmar.

Quem é
Osmar Nunes Júnior, 54 anos, catarinense de Araranguá é bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Univali/Campus de Itajaí (1989); pós-graduado em Direito Penal - Univali (1993); mestre em Ciência Jurídica - Univali (2004). Foi vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Santa Catarina - OAB/SC, subseção de Balneário Camboriú, no triênio 1998-2000; conselheiro estadual da OAB/SC no triênio 2001-2003; integrante da Comissão de Estudos da Legalidade e Funcionamento da Vara de Exceção para Cobrança de Débitos Fiscais da comarca de Balneário Camboriú, no ano de 2003; integrante da Comissão de Defesa e Assistência da OAB/SC no triênio 2004-2006; presidente da OAB/SC, subseção de Balneário Camboriú, no triênio 2004-2006; e conselheiro estadual da OAB/SC no triênio 2007-2009.
Fonte - Assessoria de Imprensa/NCI


Entrevista:
“Estou muito motivado mesmo para esse grande desafio

Por Marlise Schneider Cezar

Em entrevista ao Página3, na véspera de sua posse, o novo desembargador - o primeiro de Balneário Camboriú, disse que o novo desafio é realmente o auge de sua carreira de quase 30 anos. Acompanhe:

JP3 - Tornar-se desembargador foi sempre um grande objetivo em sua carreira profissional. Podemos dizer que quarta-feira este sonho se tornará realidade?

Dr.Osmar - Nunca foi um sonho em minha carreira me tornar desembargador. O sonho da minha carreira foi sempre ser um grande advogado. Esse sempre foi meu objetivo, advogar e advogar. A questão para ser desembargador se desenvolveu ao longo da minha carreira de advogado pelos últimos cinco anos e agora foi concretizado. Realmente, agora há pouco tempo, se tornou um sonho e esse sonho se realizou.

Em que momento esse sonho começou a tornar-se realidade?

Esse sonho se transformou em realidade há pouco tempo, a partir do momento em que me vi me transformando num juiz com a possibilidade de contribuir dentro dos próximos dias com a minha experiência de quase 30 anos de advocacia.

Ser nomeado desembargador pode ser considerado o auge da carreira de quem se forma em Direito. É um cargo para poucos. Quantos desembargadores temos em todo o Brasil?

Realmente é o auge, é muito difícil chegar. Eu fui o primeiro candidato de Balneário Camboriú, depois teve outro candidato e nunca teve um nomeado, porque de fato é muito difícil. É uma caminhada árdua. É uma disputa muito grande, sempre com nomes de alto nível. Realmente não é fácil, me sinto muito orgulhoso justamente porque a gente sabe dessa dificuldade, mas eu sempre acreditei que era possível mesmo não tendo uma família tradicional ligada ao Direito, mas com muito trabalho, seriedade, retidão eu sempre acreditei nisso. Hoje temos em Santa Catarina 93 desembargadores, eu serei o 94o. Um quinto desta composição é oriunda da advocacia, portanto são nove hoje. Então é de fato muito difícil, uma conquista muito grande, realmente considero como o auge da minha carreira.

Poderia adiantar um pouco sobre seu discurso de posse?

Será de gratidão, de agradecimento às pessoas que contribuíram para que tudo isso acontecesse, de compromisso de fazer o bem, serei bem bem objetivo como sempre fui, rápido, sem muita retórica vazia.

Com a nova função deixará de ser morador de Balneário Camboriú?

Deixar de ser morador? Nunca, nunca, porque amo Balneário Camboriú. Essa cidade me acolheu, já me homenageou, tenho um carinho muito grande. Vou morar em Florianópolis também, mas vou revezar com Balneário Camboriú e com o Morro dos Conventos, lá na minha querida Araranguá, no sul do Estado. Assim vai ser minha vida, dividida em três pedaços, em três locais geográficos.

Quando, como e por que decidiu morar em Balneário Camboriú?

Eu morava em Florianópolis, fazia faculdade de matemática lá, quando passei no vestibular para Direito em Itajaí. Fiquei um tempo fazendo matemática durante o dia lá e à noite vinha fazer Direito aqui. Mas isso ficou difícil, caro, tinha que pegar ônibus, eu tinha que trabalhar, então resolvi largar a matemática e vim para Itajaí. Quando vim para Itajaí passei por Balneário Camboriú, não conhecia a cidade, me encantei, passei a morar aqui, fui procurar emprego, trabalhei numa imobiliária, depois no Besc, depois no Fórum, criei raízes em Balneário e hoje me considero de Balneário Camboriú também, apesar de ter nascido em Araranguá. Tenho muitos amigos aqui, jamais deixaria Balneário Camboriú, tenho maior orgulho desta cidade, morar aqui foi uma das decisões mais acertadas da minha vida.

O que acha dos cursos de Direito em SC?

Fui professor 18 anos e tenho algumas críticas a essa quantidade de cursos muito grande. Quando fiz vestibular de Direito, nos anos 80, tinha só três faculdades de Direito: a da Univali em Itajaí, a da Furb em Blumenau e a UFSC, eram 13 candidatos por vaga, era muito disputado. Eu não quero cercear, é um direito de todos de fazer os cursos de Direito, mas tem que ter um controle melhor, há muita faculdade, muito despreparo, acho que temos que segurar a onda, não adianta fazer de qualquer jeito, as coisas tem que ser mais bem pensadas.

Gostaria de colocar mais alguma coisa?

Só agradecer a vocês, meus queridos amigos, à minha querida esposa, guerreira, parceira, ao meu filho, e dizer que sempre vou honrar com muita dignidade esta confiança em mim depositada. É uma nova caminhada, estou muito motivado mesmo para esse grande desafio. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

ENTREVISTA: Advogado Osmar Nunes Júnior, empossado desembargador nesta quarta

Publicidade

Terça, 18/6/2019 19:02.

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) empossará nesta quarta-feira (19) o novo desembargador, Osmar Nunes Júnior. A solenidade terá início às 18h na Sala de Sessões Ministro Teori Zavascki, na sede do TJSC, em Florianópolis. O advogado foi escolhido pelo governador, Carlos Moisés, na última quinta-feira (6), de lista tríplice formada pelo Pleno do TJ em eleição no último dia 27 de maio, na condição de mais votado entre seus colegas que disputavam a vaga pelo quinto constitucional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O futuro desembargador disse que seu objetivo é devolver a confiança que todos depositaram em seu nome.

"Vamos trabalhar com retidão e determinação neste caminho difícil e gratificante. Será uma mudança de vida considerável", destaca Osmar.

Quem é
Osmar Nunes Júnior, 54 anos, catarinense de Araranguá é bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Univali/Campus de Itajaí (1989); pós-graduado em Direito Penal - Univali (1993); mestre em Ciência Jurídica - Univali (2004). Foi vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Santa Catarina - OAB/SC, subseção de Balneário Camboriú, no triênio 1998-2000; conselheiro estadual da OAB/SC no triênio 2001-2003; integrante da Comissão de Estudos da Legalidade e Funcionamento da Vara de Exceção para Cobrança de Débitos Fiscais da comarca de Balneário Camboriú, no ano de 2003; integrante da Comissão de Defesa e Assistência da OAB/SC no triênio 2004-2006; presidente da OAB/SC, subseção de Balneário Camboriú, no triênio 2004-2006; e conselheiro estadual da OAB/SC no triênio 2007-2009.
Fonte - Assessoria de Imprensa/NCI


Entrevista:
“Estou muito motivado mesmo para esse grande desafio

Por Marlise Schneider Cezar

Em entrevista ao Página3, na véspera de sua posse, o novo desembargador - o primeiro de Balneário Camboriú, disse que o novo desafio é realmente o auge de sua carreira de quase 30 anos. Acompanhe:

JP3 - Tornar-se desembargador foi sempre um grande objetivo em sua carreira profissional. Podemos dizer que quarta-feira este sonho se tornará realidade?

Dr.Osmar - Nunca foi um sonho em minha carreira me tornar desembargador. O sonho da minha carreira foi sempre ser um grande advogado. Esse sempre foi meu objetivo, advogar e advogar. A questão para ser desembargador se desenvolveu ao longo da minha carreira de advogado pelos últimos cinco anos e agora foi concretizado. Realmente, agora há pouco tempo, se tornou um sonho e esse sonho se realizou.

Em que momento esse sonho começou a tornar-se realidade?

Esse sonho se transformou em realidade há pouco tempo, a partir do momento em que me vi me transformando num juiz com a possibilidade de contribuir dentro dos próximos dias com a minha experiência de quase 30 anos de advocacia.

Ser nomeado desembargador pode ser considerado o auge da carreira de quem se forma em Direito. É um cargo para poucos. Quantos desembargadores temos em todo o Brasil?

Realmente é o auge, é muito difícil chegar. Eu fui o primeiro candidato de Balneário Camboriú, depois teve outro candidato e nunca teve um nomeado, porque de fato é muito difícil. É uma caminhada árdua. É uma disputa muito grande, sempre com nomes de alto nível. Realmente não é fácil, me sinto muito orgulhoso justamente porque a gente sabe dessa dificuldade, mas eu sempre acreditei que era possível mesmo não tendo uma família tradicional ligada ao Direito, mas com muito trabalho, seriedade, retidão eu sempre acreditei nisso. Hoje temos em Santa Catarina 93 desembargadores, eu serei o 94o. Um quinto desta composição é oriunda da advocacia, portanto são nove hoje. Então é de fato muito difícil, uma conquista muito grande, realmente considero como o auge da minha carreira.

Poderia adiantar um pouco sobre seu discurso de posse?

Será de gratidão, de agradecimento às pessoas que contribuíram para que tudo isso acontecesse, de compromisso de fazer o bem, serei bem bem objetivo como sempre fui, rápido, sem muita retórica vazia.

Com a nova função deixará de ser morador de Balneário Camboriú?

Deixar de ser morador? Nunca, nunca, porque amo Balneário Camboriú. Essa cidade me acolheu, já me homenageou, tenho um carinho muito grande. Vou morar em Florianópolis também, mas vou revezar com Balneário Camboriú e com o Morro dos Conventos, lá na minha querida Araranguá, no sul do Estado. Assim vai ser minha vida, dividida em três pedaços, em três locais geográficos.

Quando, como e por que decidiu morar em Balneário Camboriú?

Eu morava em Florianópolis, fazia faculdade de matemática lá, quando passei no vestibular para Direito em Itajaí. Fiquei um tempo fazendo matemática durante o dia lá e à noite vinha fazer Direito aqui. Mas isso ficou difícil, caro, tinha que pegar ônibus, eu tinha que trabalhar, então resolvi largar a matemática e vim para Itajaí. Quando vim para Itajaí passei por Balneário Camboriú, não conhecia a cidade, me encantei, passei a morar aqui, fui procurar emprego, trabalhei numa imobiliária, depois no Besc, depois no Fórum, criei raízes em Balneário e hoje me considero de Balneário Camboriú também, apesar de ter nascido em Araranguá. Tenho muitos amigos aqui, jamais deixaria Balneário Camboriú, tenho maior orgulho desta cidade, morar aqui foi uma das decisões mais acertadas da minha vida.

O que acha dos cursos de Direito em SC?

Fui professor 18 anos e tenho algumas críticas a essa quantidade de cursos muito grande. Quando fiz vestibular de Direito, nos anos 80, tinha só três faculdades de Direito: a da Univali em Itajaí, a da Furb em Blumenau e a UFSC, eram 13 candidatos por vaga, era muito disputado. Eu não quero cercear, é um direito de todos de fazer os cursos de Direito, mas tem que ter um controle melhor, há muita faculdade, muito despreparo, acho que temos que segurar a onda, não adianta fazer de qualquer jeito, as coisas tem que ser mais bem pensadas.

Gostaria de colocar mais alguma coisa?

Só agradecer a vocês, meus queridos amigos, à minha querida esposa, guerreira, parceira, ao meu filho, e dizer que sempre vou honrar com muita dignidade esta confiança em mim depositada. É uma nova caminhada, estou muito motivado mesmo para esse grande desafio. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade