Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Justiça
Defesa pede que Lula seja ouvido por tribunal

Quinta, 4/1/2018 9:29.
EBC.

Publicidade

(FOLHAPRESS) - A defesa do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva reiterou nesta quarta-feira (3) ao TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) pedido para que o líder petista seja interrogado pela corte.

O tribunal é o responsável pelo julgamento do recurso do ex-presidente no próximo dia 24, no processo relativo ao tríplex em Guarujá (SP).
De acordo com os advogados de Lula, a oitiva é necessária porque no interrogatório do petista realizado pelo juiz federal Sergio Moro, em maio, teria ocorrido "uma verdadeira inquisição".

Para a defesa, o magistrado teria impedido "a livre manifestação do interrogado e consequentemente o exercício de sua autodefesa".

O requerimento já havia sido feito por meio da peça de razões de apelação do ex-presidente, apresentada ao tribunal em 11 de setembro.

O juiz federal João Pedro Gebran Neto, relator da causa no TRF-4, não decidiu sobre o pedido feito no ano passado, segundo a defesa.

O colegiado formado por Gebran e pelos juízes Leandro Paulsen e Victor Laus julgará o recurso de Lula, que foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão em primeira instância por Moro.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
EBC.

Defesa pede que Lula seja ouvido por tribunal

Publicidade

Quinta, 4/1/2018 9:29.

(FOLHAPRESS) - A defesa do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva reiterou nesta quarta-feira (3) ao TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) pedido para que o líder petista seja interrogado pela corte.

O tribunal é o responsável pelo julgamento do recurso do ex-presidente no próximo dia 24, no processo relativo ao tríplex em Guarujá (SP).
De acordo com os advogados de Lula, a oitiva é necessária porque no interrogatório do petista realizado pelo juiz federal Sergio Moro, em maio, teria ocorrido "uma verdadeira inquisição".

Para a defesa, o magistrado teria impedido "a livre manifestação do interrogado e consequentemente o exercício de sua autodefesa".

O requerimento já havia sido feito por meio da peça de razões de apelação do ex-presidente, apresentada ao tribunal em 11 de setembro.

O juiz federal João Pedro Gebran Neto, relator da causa no TRF-4, não decidiu sobre o pedido feito no ano passado, segundo a defesa.

O colegiado formado por Gebran e pelos juízes Leandro Paulsen e Victor Laus julgará o recurso de Lula, que foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão em primeira instância por Moro.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade