Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Justiça
Julgamento no TRF4 pode abrir caminho para prisão de José Dirceu

Condenado a cerca de 30 anos ele contunua em liberdade

Quinta, 19/4/2018 6:55.
EBC.
A cadeia espera Dirceu.

Publicidade

ANA LUIZA ALBUQUERQUE
CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - O Tribunal Regional Federal da 4ª Região julga nesta quinta (19), a partir das 13h30, embargos interpostos pela defesa do ex-ministro José Dirceu, abrindo caminho para sua prisão. Ele teve a condenação confirmada pelo tribunal em setembro do ano passado, quando sua pena foi elevada para 30 anos e 9 meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Os embargos infringentes são interpostos quando há divergência entre os juízes, buscando a manutenção da pena mais benéfica para o réu. O juiz Leandro Paulsen definiu pena de 27 anos e 4 meses para Dirceu, enquanto o João Pedro Gebran determinou 41 anos e 4 meses. No acórdão, ficou definida a pena de 30 anos e 9 meses.

Com novo acórdão, é provável que o juiz Sergio Moro peça a prisão do ex-ministro rapidamente. Moro tem se manifestado favoravelmente à execução provisória da pena. No acórdão da condenação de Dirceu pelo TRF-4, a corte também defendeu a execução da pena assim que exaurida a segunda instância.

Dirceu chegou a ser preso preventivamente em agosto de 2015, mas teve habeas corpus concedido pelo STF em maio de 2017. Ele é acusado de ter recebido R$ 12 milhões em propina da Engevix por meio de contratos superfaturados com a Petrobras, o que o ex-ministro petista nega.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
EBC.
A cadeia espera Dirceu.
A cadeia espera Dirceu.

Julgamento no TRF4 pode abrir caminho para prisão de José Dirceu

Condenado a cerca de 30 anos ele contunua em liberdade

Publicidade

Quinta, 19/4/2018 6:55.

ANA LUIZA ALBUQUERQUE
CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - O Tribunal Regional Federal da 4ª Região julga nesta quinta (19), a partir das 13h30, embargos interpostos pela defesa do ex-ministro José Dirceu, abrindo caminho para sua prisão. Ele teve a condenação confirmada pelo tribunal em setembro do ano passado, quando sua pena foi elevada para 30 anos e 9 meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Os embargos infringentes são interpostos quando há divergência entre os juízes, buscando a manutenção da pena mais benéfica para o réu. O juiz Leandro Paulsen definiu pena de 27 anos e 4 meses para Dirceu, enquanto o João Pedro Gebran determinou 41 anos e 4 meses. No acórdão, ficou definida a pena de 30 anos e 9 meses.

Com novo acórdão, é provável que o juiz Sergio Moro peça a prisão do ex-ministro rapidamente. Moro tem se manifestado favoravelmente à execução provisória da pena. No acórdão da condenação de Dirceu pelo TRF-4, a corte também defendeu a execução da pena assim que exaurida a segunda instância.

Dirceu chegou a ser preso preventivamente em agosto de 2015, mas teve habeas corpus concedido pelo STF em maio de 2017. Ele é acusado de ter recebido R$ 12 milhões em propina da Engevix por meio de contratos superfaturados com a Petrobras, o que o ex-ministro petista nega.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade