Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Impresso
Especial: a relação dos jovens com a política precisa mudar

Ou a política precisa mudar para se relacionar com os jovens?

Sexta, 4/12/2015 15:59.
Divulgação

Publicidade

Por Marlise Schneider Cezar, Daniele Sisnandes, Renata Rutes

A renovação na política é fundamental, essencial, importante, mas é lenta, devagar quase parando, porque os jovens estão em outra vibe, ou por falta de puro interesse mesmo ou porque o jeito de fazer política nesse país não se modernizou, as velhas raposas não querem largar o osso ou ainda porque a roubalheira é tanta que destrói qualquer ideal.

No passado recente, os jovens demonstraram do que eles são capazes quando querem mudanças. Pintaram a cara, destronaram um presidente, lutaram pela democracia. Mais recentemente ainda os jovens comandaram manifestações por mudanças que ganharam um rumo incerto e murcharam. A verdade é que para mudar não basta idealizar.

É preciso se filiar, fazer uma escolha e defender uma bandeira, porque essa é a regra e é da política partidária que saem os futuros líderes. Talvez por isso eles são ainda números inexpressivos nessa terra de milhões.

Ouvimos jovens lideranças sobre essa participação na política partidária,outros que começaram sua carreira através dela, os que são avessos à política partidária e ainda o sociólogo Eduardo Guerini, que fala sobre a relação do jovem com a política e os partidos.

Leia tudo na edição impressa do Página 3, a partir desse sábado (5), nas melhores bancas da cidade. Ou assine digital e tenha acesso a todo o conteúdo através da internet.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Especial: a relação dos jovens com a política precisa mudar

Ou a política precisa mudar para se relacionar com os jovens?

Publicidade

Sexta, 4/12/2015 15:59.

Por Marlise Schneider Cezar, Daniele Sisnandes, Renata Rutes

A renovação na política é fundamental, essencial, importante, mas é lenta, devagar quase parando, porque os jovens estão em outra vibe, ou por falta de puro interesse mesmo ou porque o jeito de fazer política nesse país não se modernizou, as velhas raposas não querem largar o osso ou ainda porque a roubalheira é tanta que destrói qualquer ideal.

No passado recente, os jovens demonstraram do que eles são capazes quando querem mudanças. Pintaram a cara, destronaram um presidente, lutaram pela democracia. Mais recentemente ainda os jovens comandaram manifestações por mudanças que ganharam um rumo incerto e murcharam. A verdade é que para mudar não basta idealizar.

É preciso se filiar, fazer uma escolha e defender uma bandeira, porque essa é a regra e é da política partidária que saem os futuros líderes. Talvez por isso eles são ainda números inexpressivos nessa terra de milhões.

Ouvimos jovens lideranças sobre essa participação na política partidária,outros que começaram sua carreira através dela, os que são avessos à política partidária e ainda o sociólogo Eduardo Guerini, que fala sobre a relação do jovem com a política e os partidos.

Leia tudo na edição impressa do Página 3, a partir desse sábado (5), nas melhores bancas da cidade. Ou assine digital e tenha acesso a todo o conteúdo através da internet.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade