Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Moradores da Brava farão protesto para lembrar morte do cão comunitário Orelha

Quarta, 23/9/2020 14:07.
Orelha teria recebido comida envenenada

Publicidade

O envenenamento do cão Orelha, que vivia solto pela Praia Brava de Itajaí e também circulava em Balneário Camboriú, gerou muitos comentários e protestos nas redes, na terça-feira (22). O cão Berlim, que ficou famoso por ‘furtar’ petiscos em um pet shop de Balneário estaria com ele, mas foi localizado e está bem. Um protesto para lembrar a morte de Orelha irá acontecer às 15h de quinta-feira (24), na Praia Brava. Maltratar ou matar animais é crime ambiental.

Segundo informações, Orelha foi encontrado na praia, a tutora dele, Laiana Daniela Dumke, que é professora de Educação Física, chegou a levá-lo ao veterinário, mas ele não resistiu e acabou morrendo. O cão era castrado e já teria sido ameaçado de morte anteriormente.

Houve preocupações quanto ao cão comunitário de Balneário, Berlim, mas ele foi encontrado pouco tempo depois no Morro do Careca. Ele passou por um check-up no veterinário, fez exame de sangue, e nada de errado foi detectado.

Uma campanha foi iniciada através das redes sociais (Instagram @berlimbc e @orelhadabrava) para lembrar a morte do cãozinho da Praia Brava para que casos como esse não se repitam. Orelha será cremado e a tutora dele irá jogar as cinzas no mar às 15h de quinta-feira, e depois acontecerá uma manifestação.

No Brasil, maltratar animais de qualquer espécie é considerado crime ambiental, segundo prevê o art. 32 da Lei nº 9.605, de 1998, com pena de detenção de três meses a um ano e multa.

Berlim recebeu atendimento e passa bem


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Orelha teria recebido comida envenenada
Orelha teria recebido comida envenenada

Moradores da Brava farão protesto para lembrar morte do cão comunitário Orelha

Publicidade

Quarta, 23/9/2020 14:07.

O envenenamento do cão Orelha, que vivia solto pela Praia Brava de Itajaí e também circulava em Balneário Camboriú, gerou muitos comentários e protestos nas redes, na terça-feira (22). O cão Berlim, que ficou famoso por ‘furtar’ petiscos em um pet shop de Balneário estaria com ele, mas foi localizado e está bem. Um protesto para lembrar a morte de Orelha irá acontecer às 15h de quinta-feira (24), na Praia Brava. Maltratar ou matar animais é crime ambiental.

Segundo informações, Orelha foi encontrado na praia, a tutora dele, Laiana Daniela Dumke, que é professora de Educação Física, chegou a levá-lo ao veterinário, mas ele não resistiu e acabou morrendo. O cão era castrado e já teria sido ameaçado de morte anteriormente.

Houve preocupações quanto ao cão comunitário de Balneário, Berlim, mas ele foi encontrado pouco tempo depois no Morro do Careca. Ele passou por um check-up no veterinário, fez exame de sangue, e nada de errado foi detectado.

Uma campanha foi iniciada através das redes sociais (Instagram @berlimbc e @orelhadabrava) para lembrar a morte do cãozinho da Praia Brava para que casos como esse não se repitam. Orelha será cremado e a tutora dele irá jogar as cinzas no mar às 15h de quinta-feira, e depois acontecerá uma manifestação.

No Brasil, maltratar animais de qualquer espécie é considerado crime ambiental, segundo prevê o art. 32 da Lei nº 9.605, de 1998, com pena de detenção de três meses a um ano e multa.

Berlim recebeu atendimento e passa bem

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade