Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Grupo Escoteiro Leão do Mar comemora 40 anos de forma virtual

Terça, 27/10/2020 15:18.
Divulgação

Publicidade

O Grupo Escoteiro Leão do Mar, de Balneário Camboriú, completou 40 anos de existência na última sexta-feira (23).

Pela primeira vez nestas quatro décadas, os cerca de 300 membros, além de ex participantes, estão celebrando a data de forma online, pelas redes sociais.

O Página 3 conversou com o presidente do Grupo, Alexandre Bini, filho de Renato Bini, falecido ano passado e importante defensor do movimento escoteiro a nível nacional.

Um dos maiores do Estado

O Leão do Mar é um dos maiores grupos escoteiros de Santa Catarina, finalizando 2019 com pouco mais de 300 membros – entre crianças, adolescentes e jovens, mas, segundo Alexandre, por conta da pandemia de Covid-19 alguns deixaram o Grupo.

“Mas temos certeza que tão logo as atividades voltem ao normal esse número voltará a crescer fortemente, pois há uma grande demanda reprimida em Balneário Camboriú, e o Leão do Mar, com quatro décadas de história, é sem dúvida referência em escotismo”, diz.

Expectativa de retomar as atividades presenciais

Sede

Desde março, o Grupo vem se reunindo de forma online, o que, como Alexandre define, ‘mantém a chama do escotismo acesa’.

“Estamos na expectativa das autoridades (União dos Escoteiros do Brasil e prefeitura de Balneário) nos liberarem o quanto antes, pois fazemos atividades ao ar livre e somos capazes de tomar as medidas sanitárias necessárias para esse retorno, mesmo que gradual”, explica.

40 anos: “É uma conquista a ser muito comemorada”

Alexandre analisa que 40 anos de história é algo bastante importante, com poucas entidades conseguindo chegar nessa marca, ‘quanto mais uma entidade sem fins lucrativos do terceiro setor’.

“É uma conquista a ser muito comemorada, sim. Estamos envolvendo todos nossos membros (e ex membros) em uma comemoração online, onde cada um pode contar como o Leão do Mar marcou sua vida. Para tal estamos pedindo para fazerem publicações (com ou sem fotos) nas redes sociais e marcando as páginas do Leão do Mar no Facebook (www.facebook.com/gelmarsc) e Instagram (@leao_do_mar_oficial). Estamos longe, mas unidos neste ideal”, afirma.

O presidente relembra que foi voluntário por muitos anos como chefe escoteiro, atuando com as crianças, e há quase dois anos aceitou, até por sugestão e pleno apoio de seu pai, Renato (foto) ser dirigente do Grupo, o que ele define como ‘um grande desafio’, já que foi uma função nova e presidindo um Grupo grande.

“Mas eu sabia ter me apoiando um grande dirigente, com 35 anos de experiência em escotismo que era meu pai, Renato Bini. Infelizmente, três meses depois de eu assumir ele subiu para o acampamento eterno (Renato faleceu em abril de 2019). Mas como ele disse dias antes, ‘a fila anda e agora é você’. Desafio aceito, e hoje, já em fim de mandato (o Grupo escolherá o novo presidente em três semanas), me sinto muito orgulhoso e feliz de ter passado por essa experiência. A pandemia foi só uma pedra no caminho, e o escoteiro está sempre alegre e sorri nas dificuldades”, destaca.

Futuro pós-pandemia

Alexandre diz que Balneário Camboriú ‘sempre teve uma enorme vocação para o movimento escoteiro’, já que conta hoje com dois grupos ‘muito bem estruturados’, e ainda assim (em condições normais) não é possível atender a demanda.

“Até por vezes, por falta de adultos voluntários (nunca de jovens!). Ano que vem certamente teremos que rever nosso planejamento estratégico, talvez tenhamos que fazer alguns movimentos, e até dar um passo para trás para reorganizar as coisas conforme as novas demandas”, diz.

Mas o presidente comenta que o Leão do Mar possui hoje um time de chefes e colaboradores voluntários ‘que valem ouro’, comprometidos, dedicados e que amam e entendem a importância do movimento escoteiro na vida de uma pessoa.

Miguel Carvalho (D), o garoto que insistiu pela criação do Grupo

“Então, temos um desafio, mas certamente ele não é grande demais para nós. Por fim, mas não menos importante, o Grupo Escoteiro Leão do Mar, e permita-me a audácia, a sociedade balneocamboriuense, rende agradecimentos e aplausos a todos, que ao longo destes 40 anos ajudaram a transformar nossa sociedade local um lugar melhor.E claro, ao Miguel Carvalho e sua mãe Anastácia, que foi a criança que tanto fez lá em 1980 que até conseguiu que a sociedade civil se juntasse e fundasse um grupo escoteiro em nossa cidade. Um fraterno abraço a todos eles”, completa.

História – saiba mais

O Leão é considerado um Grupo tradicional em SC, com representatividade a nível nacional e internacional, tendo sido por muitos anos o único da cidade (há também o Grupo Suçuarana). Ele surgiu através de Miguel Carvalho, que atua no movimento até hoje, em Blumenau, e de algumas famílias e professores do Colégio João Goulart, que queriam propiciar atividades saudáveis e diferenciadas a seus filhos e a outros jovens da cidade. O Lions Clube Leão do Mar (que batizou o grupo) apoiou a criação, organizando os primeiros procedimentos, convidando a direção regional escoteira, e marcando as reuniões necessárias para informar as famílias interessadas.

Alexandre (direita) com os filhos João e Helena e a esposa Cris, todos membros do movimento

A família do presidente Alexandre, os Bini, possui envolvimento com o movimento há mais de 30 anos. Tanto ele quanto os pais, Lilian e Renato, sempre estiveram presentes, assim como a esposa, Cris, e os filhos João Matheus e Helena. Renato é considerado um importante defensor do movimento escoteiro, a nível nacional, ocupando cargos destaques do escotismo. Uma semana antes de ele falecer, no final de março, em um evento regional, anunciou publicamente que estava ‘se aposentando’ do movimento para curtir viagens e a família e pediu que o filho, Alexandre, seguisse o representando.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Grupo Escoteiro Leão do Mar comemora 40 anos de forma virtual

Publicidade

Terça, 27/10/2020 15:18.

O Grupo Escoteiro Leão do Mar, de Balneário Camboriú, completou 40 anos de existência na última sexta-feira (23).

Pela primeira vez nestas quatro décadas, os cerca de 300 membros, além de ex participantes, estão celebrando a data de forma online, pelas redes sociais.

O Página 3 conversou com o presidente do Grupo, Alexandre Bini, filho de Renato Bini, falecido ano passado e importante defensor do movimento escoteiro a nível nacional.

Um dos maiores do Estado

O Leão do Mar é um dos maiores grupos escoteiros de Santa Catarina, finalizando 2019 com pouco mais de 300 membros – entre crianças, adolescentes e jovens, mas, segundo Alexandre, por conta da pandemia de Covid-19 alguns deixaram o Grupo.

“Mas temos certeza que tão logo as atividades voltem ao normal esse número voltará a crescer fortemente, pois há uma grande demanda reprimida em Balneário Camboriú, e o Leão do Mar, com quatro décadas de história, é sem dúvida referência em escotismo”, diz.

Expectativa de retomar as atividades presenciais

Sede

Desde março, o Grupo vem se reunindo de forma online, o que, como Alexandre define, ‘mantém a chama do escotismo acesa’.

“Estamos na expectativa das autoridades (União dos Escoteiros do Brasil e prefeitura de Balneário) nos liberarem o quanto antes, pois fazemos atividades ao ar livre e somos capazes de tomar as medidas sanitárias necessárias para esse retorno, mesmo que gradual”, explica.

40 anos: “É uma conquista a ser muito comemorada”

Alexandre analisa que 40 anos de história é algo bastante importante, com poucas entidades conseguindo chegar nessa marca, ‘quanto mais uma entidade sem fins lucrativos do terceiro setor’.

“É uma conquista a ser muito comemorada, sim. Estamos envolvendo todos nossos membros (e ex membros) em uma comemoração online, onde cada um pode contar como o Leão do Mar marcou sua vida. Para tal estamos pedindo para fazerem publicações (com ou sem fotos) nas redes sociais e marcando as páginas do Leão do Mar no Facebook (www.facebook.com/gelmarsc) e Instagram (@leao_do_mar_oficial). Estamos longe, mas unidos neste ideal”, afirma.

O presidente relembra que foi voluntário por muitos anos como chefe escoteiro, atuando com as crianças, e há quase dois anos aceitou, até por sugestão e pleno apoio de seu pai, Renato (foto) ser dirigente do Grupo, o que ele define como ‘um grande desafio’, já que foi uma função nova e presidindo um Grupo grande.

“Mas eu sabia ter me apoiando um grande dirigente, com 35 anos de experiência em escotismo que era meu pai, Renato Bini. Infelizmente, três meses depois de eu assumir ele subiu para o acampamento eterno (Renato faleceu em abril de 2019). Mas como ele disse dias antes, ‘a fila anda e agora é você’. Desafio aceito, e hoje, já em fim de mandato (o Grupo escolherá o novo presidente em três semanas), me sinto muito orgulhoso e feliz de ter passado por essa experiência. A pandemia foi só uma pedra no caminho, e o escoteiro está sempre alegre e sorri nas dificuldades”, destaca.

Futuro pós-pandemia

Alexandre diz que Balneário Camboriú ‘sempre teve uma enorme vocação para o movimento escoteiro’, já que conta hoje com dois grupos ‘muito bem estruturados’, e ainda assim (em condições normais) não é possível atender a demanda.

“Até por vezes, por falta de adultos voluntários (nunca de jovens!). Ano que vem certamente teremos que rever nosso planejamento estratégico, talvez tenhamos que fazer alguns movimentos, e até dar um passo para trás para reorganizar as coisas conforme as novas demandas”, diz.

Mas o presidente comenta que o Leão do Mar possui hoje um time de chefes e colaboradores voluntários ‘que valem ouro’, comprometidos, dedicados e que amam e entendem a importância do movimento escoteiro na vida de uma pessoa.

Miguel Carvalho (D), o garoto que insistiu pela criação do Grupo

“Então, temos um desafio, mas certamente ele não é grande demais para nós. Por fim, mas não menos importante, o Grupo Escoteiro Leão do Mar, e permita-me a audácia, a sociedade balneocamboriuense, rende agradecimentos e aplausos a todos, que ao longo destes 40 anos ajudaram a transformar nossa sociedade local um lugar melhor.E claro, ao Miguel Carvalho e sua mãe Anastácia, que foi a criança que tanto fez lá em 1980 que até conseguiu que a sociedade civil se juntasse e fundasse um grupo escoteiro em nossa cidade. Um fraterno abraço a todos eles”, completa.

História – saiba mais

O Leão é considerado um Grupo tradicional em SC, com representatividade a nível nacional e internacional, tendo sido por muitos anos o único da cidade (há também o Grupo Suçuarana). Ele surgiu através de Miguel Carvalho, que atua no movimento até hoje, em Blumenau, e de algumas famílias e professores do Colégio João Goulart, que queriam propiciar atividades saudáveis e diferenciadas a seus filhos e a outros jovens da cidade. O Lions Clube Leão do Mar (que batizou o grupo) apoiou a criação, organizando os primeiros procedimentos, convidando a direção regional escoteira, e marcando as reuniões necessárias para informar as famílias interessadas.

Alexandre (direita) com os filhos João e Helena e a esposa Cris, todos membros do movimento

A família do presidente Alexandre, os Bini, possui envolvimento com o movimento há mais de 30 anos. Tanto ele quanto os pais, Lilian e Renato, sempre estiveram presentes, assim como a esposa, Cris, e os filhos João Matheus e Helena. Renato é considerado um importante defensor do movimento escoteiro, a nível nacional, ocupando cargos destaques do escotismo. Uma semana antes de ele falecer, no final de março, em um evento regional, anunciou publicamente que estava ‘se aposentando’ do movimento para curtir viagens e a família e pediu que o filho, Alexandre, seguisse o representando.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade