Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Secretário de Segurança de Balneário Camboriú fala sobre estratégias para 2020 e novidades para a GM

David Queiroz também aborda a situação da praça Almirante Tamandaré, dos moradores de rua e comenta sobre a união das forças

Quinta, 16/1/2020 12:07.
Foto: Renata Rutes
David Queiroz, Secretário de Segurança de Balneário Camboriú

Publicidade

O Secretário de Segurança de Balneário Camboriú, David Queiroz, recebeu o Página 3 nesta semana para falar sobre 2020 - novidades para a Guarda Municipal, como a aquisição de novas armas (a primeira licitação internacional desse tipo que a cidade fará), os problemas com os moradores de rua, a praça Almirante Tamandaré (o jornal recebe ligações frequentes de leitores reclamando da situação do local) e a novidade da temporada de verão: a base integrada que fica na Barra Sul, e atende principalmente aos turistas, inclusive registrando boletins de ocorrência.

Queiroz falou sobre a realidade de Balneário que, em sua opinião, tem características que ‘dificultam muito’ a segurança pública como um todo.

“A gente está falando de uma cidade turística, as pessoas vem pra cá na maioria das vezes para extravasar, não é pra descansar, é pra extravasar. Pessoas de culturas diferentes, a gente está falando do Brasil, país com dimensões continentais e, portanto, formas de pensar diferente. A tendência é, sobretudo os jovens, quando saem de sua cidade de origem é fazer tudo aquilo que não tem coragem de fazer no outro local, onde a imagem deles precisa ser protegida”, analisa.

Mesmo assim, o secretário afirma que o trabalho vem sendo feito de forma intensa, e enaltece o apoio da comunidade, com quem inclusive acaba de fechar uma parceria – os comerciantes que quiserem poderão ceder imagens de suas câmeras de segurança para a Secretaria. A Guarda Municipal e Polícia Militar já dividem câmeras, e no futuro o objetivo é que ambos dividam o mesmo espaço da Central Única de Operações. Inclusive isso já está se encaminhando e um guarda municipal irá, nas próximas semanas, atuar na Central de Ocorrências da Polícia Militar (onde o espaço é maior), junto com os policiais militares.

“Será algo feito aos poucos, para que comecemos a afinar os laços. Também queremos aproximar a Guarda Municipal e os Agentes de Trânsito da população, eu queria que a população em geral os recebesse com um sorriso no rosto. É um trabalho que precisa ser amadurecido, ainda recebo reclamações quando a viatura para em cima da calçada, mesmo quando ela não está atrapalhando ninguém. É algo cultural, ainda há a imagem de que o policial é mau, e precisamos combater isso”, diz.


Base integrada da Barra Sul

Foto: Renata Rutes

“Ali é um ponto turístico importante, temos teleférico, as descidas dos navios, o Barco Pirata, e a gente sentia uma carência de haver um local de policiamento fixo ali, já que a realização de boletins de ocorrência acontecia somente na delegacia da Rua Inglaterra. Além da cifra negra, que é a não-confecção de boletim de ocorrência, apesar da Polícia Militar poder fazer boletim de ocorrência na rua, o que é uma grande vantagem. A presença física de guardas em uma base era algo que era reivindicado pela população local. Resolvemos inaugurar a base com um novo modelo, que é o trabalho integrado. Todos têm a chave da base, podem atuar e permanecer ali. A PM tem usado menos, em razão de uma política de estratégia de segurança, mas o que possibilitou que a Guarda Municipal fizesse boletim de ocorrência (sendo a primeira do Estado a realizar isso) ali foi a parceria com a PM e a Polícia Civil, através do sistema utilizado por eles que é pago pelo Estado. É uma empresa privada que sede. Estamos todos presentes no local de outras maneiras, como essa parceria. A Guarda Municipal assumiu, está ali integralmente. Temos feitos muitos atendimentos aos turistas, como prestação de socorro (o secretário citou um senhor que se feriu e pediu atendimento aos guardas), além de ocorrências nos cruzeiros. Quando o navio não está em alto mar a competência criminal passa a ser do Estado, mas acaba recaindo à cidade. Os guardas receberam treinamento para isso, em parceria com os bombeiros. A população tem muito a ganhar com essa base, que foi reformada por comerciantes da região, demonstrando que acreditaram no nosso projeto, que fizemos de tudo para realizar. Durante o ano continuará funcionando, mas talvez em horário reduzido”.

Foto: Renata RutesOs GMs que atuam na base integrada: Edgar De Almeida e Samuel Churkin


Praça Almirante Tamandaré

Foto: Renata Rutes

“A praça vai passar por uma reformulação, o prefeito Fabrício tem feito um trabalho fantástico no que diz respeito a reestruturação arquitetônica da cidade. Então a praça, assim como a faixa de areia, e a área central como um todo vai passar por uma reformulação e eu acredito que isso possa dar uma nova cara para a praça, que é um local muito importante e que tem problemas que não estão diretamente relacionados à segurança pública. Imaginar que um adolescente que está ali andando de skate ou bicicleta merece uma abordagem pela polícia é um grande equívoco, então a gente precisa trabalhar de outras maneiras. Iniciamos no fim do ano o patrulhamento apé na área central, e agora retornou para os bairros Municípios e Nações. Esse patrulhamento apé é um fator que coíbe muito, porque a passagem do guarda não é rápida, como no carro, mas sim de forma mais constante. O Bike Patrulha, que também é algo recente, atua dessa forma. Se uma situação de entrega de bebida alcoólica para um menor for flagrada, certamente essa pessoa será conduzida à delegacia, porque se trata de crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente. Não é crime o adolescente consumir. O crime é para quem fornece para o adolescente, de qualquer maneira, seja gratuito ou por meio de venda; então isso torna mais difícil coibir, porque não adianta flagrar o adolescente com bebida, tem que descobrir de quem que ele adquiriu a bebida, que na maioria das vezes ele não vai falar. Mesmo ele falando não vai haver prova suficiente para uma prisão. O trabalho educativo se faz mais eficiente do quem trabalho de repressão nesse caso”.


Moradores de rua

“A Inclusão Social e a Secretaria de Segurança tem feito um trabalho intenso para tentar coibir os abusos dos moradores de rua e também acolhê-los de alguma maneira. As reclamações certamente diminuíram nos últimos meses, nas últimas semanas, e é notório que houve uma diminuição no número dessas pessoas na rua, mas essa é uma realidade mundial, a gente nunca vai conseguir fazer com que a cidade fique 100% desprovida desse tipo de pessoas. Os fatores são biopsicossociais, essas pessoas estão na rua, muitas vezes têm casa aqui em Balneário Camboriú, ou em Camboriú e cidades vizinhas, mas permanecem na rua durante um período em razão de vícios, como álcool e drogas, então não dá nem para considerar essa pessoa como morador de rua. Mas outras estão realmente desvalidas, não tem onde ficar, e outras tem problemas desde psiquiátricos até mesmo relacionados a drogas também. Como são fatores múltiplos a solução não é simples. Essas pessoas sabem os direitos que têm, sabem que podem permanecer na rua desde que não incomodem ninguém. Precisamos do apoio da população porque enquanto houver distribuição de comida, principalmente pelos restaurantes, essas pessoas vão estar recebendo um fomento para continuar na rua. É muito importante que as pessoas se conscientizem que ao dar esmola vão estar algemando, escravizando esse moradores a continuarem nas ruas. O trabalho social de algumas ONGs infelizmente também gera um prejuízo grande e portanto o que a gente pede é que não deixem de praticar um ato de bondade, mas de outra maneira que não seja distribuindo comida”.


União das forças da Segurança

“Agora na Virada do Ano fizemos um centro de operações conjunto na Praça Tamandaré, o que nunca havia acontecido, e o resultado foi muito bom porque não houve nenhum crime de grandes proporções, mesmo diante da grande quantidade de turistas que nós recebemos. Sexta-feira (17) teremos uma reunião conjunta. Todos os meses temos reuniões conjuntas, e neste mês ficou pra esta sexta, adiantando um pouquinho (é sempre na última quarta-feira de cada mês), porque o objetivo é fazer um balanço do que aconteceu na Virada do Ano. Eu não considero a facada/garrafada uma ocorrência de grande porte porque foi uma lesão corporal, em um local que tem muita bebida e muita gente festejando pode acontecer, mas vamos fazer um diagnóstico na sexta-feira. As forças continuam muito unidas, despidas de vaidade e com um objetivo único”.


Novidades para 2020

• Nova sede da Secretaria

“Eu completo um ano em março à frente da secretaria, mas eu sou delegado de polícia, não esqueço disso nunca. Tenho um compromisso com o prefeito Fabrício e vou até o final com ele, e eu pretendo voltar para a delegacia. Sou muito honrado em poder ajudar a cidade dessa forma, tenho uma equipe muito competente. Até agora o trabalho foi de tentar estruturar a secretaria e a gente continua nessa. O objetivo principal desse primeiro semestre é mudar a Secretaria de Segurança de prédio. Vamos locar um prédio nesse primeiro momento, já temos alguns em vista. Temos um que já está bem adiantado, em um ponto estratégico da cidade, porque não podemos esquecer que Balneário Camboriú também engloba a Quinta e Sexta Avenida e que seja de fácil locomoção para as viaturas. Um espaço amplo, com cerca de 1.500, 2.000m², que tenha estacionamento. É difícil de acomodar tudo isso, mas já está bem encaminhado. Eu acho que isso vai dar uma ‘oxigenada’, vai melhorar também o lado humano”.

• Guarda Municipal

Foto Renata Rutes

“A Guarda Municipal vai iniciar uma série de trabalhos novos, como por exemplo a Patrulha Maria da Penha, em parceria com a Polícia Civil. A ronda escolar vai ser retomada com o início das aulas, iremos adquirir armas por meio de uma licitação internacional, a primeira que acontece na cidade. A cidade de Balneário Camboriú nunca fez uma licitação internacional, então a ideia é adquirirmos armas nove milímetros, que é um calibre potente, muito maior do que o que a gente usa; armas de qualidade muito superior. Essa licitação vai ser lançada nas próximas semanas, demorou um pouco porque a publicação internacional exige que um jornal de grande circulação faça essa publicação. Tivemos que fazer contato com o New York Times e outros jornais dos Estados Unidos. Todo o edital foi traduzido, estamos na reta final já. A esperança é que a gente venha a adquirir armas Glock nove milímetros. A esperança é que essa marca ganhe, mas pode ser outra, já que se trata de uma licitação. Além disso, a doação de 100 armas pela Polícia Civil também é algo que vai se concretizar. A gente espera que com isso a gente consiga dar mais estruturação para a Guarda Municipal. O aplicativo de chamada de ocorrências também é uma meta que começou a ser desenvolvido no ano passado e parece que agora vai se concretizar porque acabamos de receber a verba do Governo Federal de R$ 200 mil para aquisição de material. Já está na conta do município, inclusive. Então a licitação vai ser lançada nos próximos dias”.

• Agentes de Trânsito, Guarda Patrimonial e Defesa Civil

Foto: Renata Rutes

“Houve uma mudança radical nos Agentes de Trânsito, foi criada uma autarquia. Estamos em fase de transição, acolhendo documentos, fazendo registros de CNPJ, a parte burocrática. E nos próximos dois meses no máximo acredito que já vai estar funcionando. É algo revolucionário, os Agentes vêm há anos reivindicando, e o prefeito Fabrício agora teve coragem de bancar essa luta deles. Temos também o objetivo de que os Agentes registrem boletim de ocorrência em casos de acidentes de trânsito, que hoje ainda não fazem, e que eles tenham um talonário eletrônico. São metas que dependem de verba e que dependem de um trabalho de articulação, precisa ter convênio e licitação, mas essas são as metas para o ano de 2020. A Guarda Patrimonial esperamos que ela também consiga melhorias que eles reivindicam, como uniformes, dentre outros materiais. A Defesa Civil tem projetos muito técnicos, mas que seguem também com o objetivo de tornar a cidade mais segura”.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Foto: Renata Rutes
David Queiroz, Secretário de Segurança de Balneário Camboriú
David Queiroz, Secretário de Segurança de Balneário Camboriú

Secretário de Segurança de Balneário Camboriú fala sobre estratégias para 2020 e novidades para a GM

David Queiroz também aborda a situação da praça Almirante Tamandaré, dos moradores de rua e comenta sobre a união das forças

Publicidade

Quinta, 16/1/2020 12:07.

O Secretário de Segurança de Balneário Camboriú, David Queiroz, recebeu o Página 3 nesta semana para falar sobre 2020 - novidades para a Guarda Municipal, como a aquisição de novas armas (a primeira licitação internacional desse tipo que a cidade fará), os problemas com os moradores de rua, a praça Almirante Tamandaré (o jornal recebe ligações frequentes de leitores reclamando da situação do local) e a novidade da temporada de verão: a base integrada que fica na Barra Sul, e atende principalmente aos turistas, inclusive registrando boletins de ocorrência.

Queiroz falou sobre a realidade de Balneário que, em sua opinião, tem características que ‘dificultam muito’ a segurança pública como um todo.

“A gente está falando de uma cidade turística, as pessoas vem pra cá na maioria das vezes para extravasar, não é pra descansar, é pra extravasar. Pessoas de culturas diferentes, a gente está falando do Brasil, país com dimensões continentais e, portanto, formas de pensar diferente. A tendência é, sobretudo os jovens, quando saem de sua cidade de origem é fazer tudo aquilo que não tem coragem de fazer no outro local, onde a imagem deles precisa ser protegida”, analisa.

Mesmo assim, o secretário afirma que o trabalho vem sendo feito de forma intensa, e enaltece o apoio da comunidade, com quem inclusive acaba de fechar uma parceria – os comerciantes que quiserem poderão ceder imagens de suas câmeras de segurança para a Secretaria. A Guarda Municipal e Polícia Militar já dividem câmeras, e no futuro o objetivo é que ambos dividam o mesmo espaço da Central Única de Operações. Inclusive isso já está se encaminhando e um guarda municipal irá, nas próximas semanas, atuar na Central de Ocorrências da Polícia Militar (onde o espaço é maior), junto com os policiais militares.

“Será algo feito aos poucos, para que comecemos a afinar os laços. Também queremos aproximar a Guarda Municipal e os Agentes de Trânsito da população, eu queria que a população em geral os recebesse com um sorriso no rosto. É um trabalho que precisa ser amadurecido, ainda recebo reclamações quando a viatura para em cima da calçada, mesmo quando ela não está atrapalhando ninguém. É algo cultural, ainda há a imagem de que o policial é mau, e precisamos combater isso”, diz.


Base integrada da Barra Sul

Foto: Renata Rutes

“Ali é um ponto turístico importante, temos teleférico, as descidas dos navios, o Barco Pirata, e a gente sentia uma carência de haver um local de policiamento fixo ali, já que a realização de boletins de ocorrência acontecia somente na delegacia da Rua Inglaterra. Além da cifra negra, que é a não-confecção de boletim de ocorrência, apesar da Polícia Militar poder fazer boletim de ocorrência na rua, o que é uma grande vantagem. A presença física de guardas em uma base era algo que era reivindicado pela população local. Resolvemos inaugurar a base com um novo modelo, que é o trabalho integrado. Todos têm a chave da base, podem atuar e permanecer ali. A PM tem usado menos, em razão de uma política de estratégia de segurança, mas o que possibilitou que a Guarda Municipal fizesse boletim de ocorrência (sendo a primeira do Estado a realizar isso) ali foi a parceria com a PM e a Polícia Civil, através do sistema utilizado por eles que é pago pelo Estado. É uma empresa privada que sede. Estamos todos presentes no local de outras maneiras, como essa parceria. A Guarda Municipal assumiu, está ali integralmente. Temos feitos muitos atendimentos aos turistas, como prestação de socorro (o secretário citou um senhor que se feriu e pediu atendimento aos guardas), além de ocorrências nos cruzeiros. Quando o navio não está em alto mar a competência criminal passa a ser do Estado, mas acaba recaindo à cidade. Os guardas receberam treinamento para isso, em parceria com os bombeiros. A população tem muito a ganhar com essa base, que foi reformada por comerciantes da região, demonstrando que acreditaram no nosso projeto, que fizemos de tudo para realizar. Durante o ano continuará funcionando, mas talvez em horário reduzido”.

Foto: Renata RutesOs GMs que atuam na base integrada: Edgar De Almeida e Samuel Churkin


Praça Almirante Tamandaré

Foto: Renata Rutes

“A praça vai passar por uma reformulação, o prefeito Fabrício tem feito um trabalho fantástico no que diz respeito a reestruturação arquitetônica da cidade. Então a praça, assim como a faixa de areia, e a área central como um todo vai passar por uma reformulação e eu acredito que isso possa dar uma nova cara para a praça, que é um local muito importante e que tem problemas que não estão diretamente relacionados à segurança pública. Imaginar que um adolescente que está ali andando de skate ou bicicleta merece uma abordagem pela polícia é um grande equívoco, então a gente precisa trabalhar de outras maneiras. Iniciamos no fim do ano o patrulhamento apé na área central, e agora retornou para os bairros Municípios e Nações. Esse patrulhamento apé é um fator que coíbe muito, porque a passagem do guarda não é rápida, como no carro, mas sim de forma mais constante. O Bike Patrulha, que também é algo recente, atua dessa forma. Se uma situação de entrega de bebida alcoólica para um menor for flagrada, certamente essa pessoa será conduzida à delegacia, porque se trata de crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente. Não é crime o adolescente consumir. O crime é para quem fornece para o adolescente, de qualquer maneira, seja gratuito ou por meio de venda; então isso torna mais difícil coibir, porque não adianta flagrar o adolescente com bebida, tem que descobrir de quem que ele adquiriu a bebida, que na maioria das vezes ele não vai falar. Mesmo ele falando não vai haver prova suficiente para uma prisão. O trabalho educativo se faz mais eficiente do quem trabalho de repressão nesse caso”.


Moradores de rua

“A Inclusão Social e a Secretaria de Segurança tem feito um trabalho intenso para tentar coibir os abusos dos moradores de rua e também acolhê-los de alguma maneira. As reclamações certamente diminuíram nos últimos meses, nas últimas semanas, e é notório que houve uma diminuição no número dessas pessoas na rua, mas essa é uma realidade mundial, a gente nunca vai conseguir fazer com que a cidade fique 100% desprovida desse tipo de pessoas. Os fatores são biopsicossociais, essas pessoas estão na rua, muitas vezes têm casa aqui em Balneário Camboriú, ou em Camboriú e cidades vizinhas, mas permanecem na rua durante um período em razão de vícios, como álcool e drogas, então não dá nem para considerar essa pessoa como morador de rua. Mas outras estão realmente desvalidas, não tem onde ficar, e outras tem problemas desde psiquiátricos até mesmo relacionados a drogas também. Como são fatores múltiplos a solução não é simples. Essas pessoas sabem os direitos que têm, sabem que podem permanecer na rua desde que não incomodem ninguém. Precisamos do apoio da população porque enquanto houver distribuição de comida, principalmente pelos restaurantes, essas pessoas vão estar recebendo um fomento para continuar na rua. É muito importante que as pessoas se conscientizem que ao dar esmola vão estar algemando, escravizando esse moradores a continuarem nas ruas. O trabalho social de algumas ONGs infelizmente também gera um prejuízo grande e portanto o que a gente pede é que não deixem de praticar um ato de bondade, mas de outra maneira que não seja distribuindo comida”.


União das forças da Segurança

“Agora na Virada do Ano fizemos um centro de operações conjunto na Praça Tamandaré, o que nunca havia acontecido, e o resultado foi muito bom porque não houve nenhum crime de grandes proporções, mesmo diante da grande quantidade de turistas que nós recebemos. Sexta-feira (17) teremos uma reunião conjunta. Todos os meses temos reuniões conjuntas, e neste mês ficou pra esta sexta, adiantando um pouquinho (é sempre na última quarta-feira de cada mês), porque o objetivo é fazer um balanço do que aconteceu na Virada do Ano. Eu não considero a facada/garrafada uma ocorrência de grande porte porque foi uma lesão corporal, em um local que tem muita bebida e muita gente festejando pode acontecer, mas vamos fazer um diagnóstico na sexta-feira. As forças continuam muito unidas, despidas de vaidade e com um objetivo único”.


Novidades para 2020

• Nova sede da Secretaria

“Eu completo um ano em março à frente da secretaria, mas eu sou delegado de polícia, não esqueço disso nunca. Tenho um compromisso com o prefeito Fabrício e vou até o final com ele, e eu pretendo voltar para a delegacia. Sou muito honrado em poder ajudar a cidade dessa forma, tenho uma equipe muito competente. Até agora o trabalho foi de tentar estruturar a secretaria e a gente continua nessa. O objetivo principal desse primeiro semestre é mudar a Secretaria de Segurança de prédio. Vamos locar um prédio nesse primeiro momento, já temos alguns em vista. Temos um que já está bem adiantado, em um ponto estratégico da cidade, porque não podemos esquecer que Balneário Camboriú também engloba a Quinta e Sexta Avenida e que seja de fácil locomoção para as viaturas. Um espaço amplo, com cerca de 1.500, 2.000m², que tenha estacionamento. É difícil de acomodar tudo isso, mas já está bem encaminhado. Eu acho que isso vai dar uma ‘oxigenada’, vai melhorar também o lado humano”.

• Guarda Municipal

Foto Renata Rutes

“A Guarda Municipal vai iniciar uma série de trabalhos novos, como por exemplo a Patrulha Maria da Penha, em parceria com a Polícia Civil. A ronda escolar vai ser retomada com o início das aulas, iremos adquirir armas por meio de uma licitação internacional, a primeira que acontece na cidade. A cidade de Balneário Camboriú nunca fez uma licitação internacional, então a ideia é adquirirmos armas nove milímetros, que é um calibre potente, muito maior do que o que a gente usa; armas de qualidade muito superior. Essa licitação vai ser lançada nas próximas semanas, demorou um pouco porque a publicação internacional exige que um jornal de grande circulação faça essa publicação. Tivemos que fazer contato com o New York Times e outros jornais dos Estados Unidos. Todo o edital foi traduzido, estamos na reta final já. A esperança é que a gente venha a adquirir armas Glock nove milímetros. A esperança é que essa marca ganhe, mas pode ser outra, já que se trata de uma licitação. Além disso, a doação de 100 armas pela Polícia Civil também é algo que vai se concretizar. A gente espera que com isso a gente consiga dar mais estruturação para a Guarda Municipal. O aplicativo de chamada de ocorrências também é uma meta que começou a ser desenvolvido no ano passado e parece que agora vai se concretizar porque acabamos de receber a verba do Governo Federal de R$ 200 mil para aquisição de material. Já está na conta do município, inclusive. Então a licitação vai ser lançada nos próximos dias”.

• Agentes de Trânsito, Guarda Patrimonial e Defesa Civil

Foto: Renata Rutes

“Houve uma mudança radical nos Agentes de Trânsito, foi criada uma autarquia. Estamos em fase de transição, acolhendo documentos, fazendo registros de CNPJ, a parte burocrática. E nos próximos dois meses no máximo acredito que já vai estar funcionando. É algo revolucionário, os Agentes vêm há anos reivindicando, e o prefeito Fabrício agora teve coragem de bancar essa luta deles. Temos também o objetivo de que os Agentes registrem boletim de ocorrência em casos de acidentes de trânsito, que hoje ainda não fazem, e que eles tenham um talonário eletrônico. São metas que dependem de verba e que dependem de um trabalho de articulação, precisa ter convênio e licitação, mas essas são as metas para o ano de 2020. A Guarda Patrimonial esperamos que ela também consiga melhorias que eles reivindicam, como uniformes, dentre outros materiais. A Defesa Civil tem projetos muito técnicos, mas que seguem também com o objetivo de tornar a cidade mais segura”.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade