Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Balneário Camboriú prepara-se para receber Casa da Mulher Brasileira, para vítimas de violência

Terça, 11/8/2020 12:22.
Christina em Brasília

Publicidade

A secretária da Inclusão Social, Christina Barichello disse que foi positiva a viagem à Brasília na semana passada, onde além do prêmio ao programa Abraço Jovem, Balneário Camboriú recebeu sinal verde para outros projetos, entre eles, a construção da Casa da Mulher Brasileira, para atender mulheres que sofrem violência. Outros dois projetos para gestantes também estão na pauta e a criação de um departamento de igualdade racial começa a ser planejado.

A Casa da Mulher Brasileira é um espaço que concentra o atendimento de vários órgãos, como Delegacia de Defesa da Mulher (prevenção e investigação dos crimes de violência doméstica), Ministério Público (atuação na área penal dos crimes de violência) e Defensoria Pública (orientação sobre direitos e assistência jurídica destas mulheres). Inicialmente prevista somente para capitais, este ano, a Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos estendeu o projeto para cidades menores e pretende construir 12 casas novas e implantar mais 13.

“Agora a Secretaria Nacional abriu para cidades com até 150 mil habitantes, será uma casa de 270m2 e já estamos preparando a documentação para a Casa da Mulher Brasileira, que tratará especificamente sobre questões relacionadas à violência feminina. Ela é diferente da Casa da Mulher que já temos aqui, porque esta é um centro de convivência e o Abraço à Mulher trabalhará em parceria com o novo espaço que será construído”, explicou Christina.

Para grávidas

Enquanto houver pandemia, o ministério também repassará verba e suporte para locar duas casas: uma atenderá mulheres grávidas com Covid-19 e outra para grávidas que não tem Covid-19, mas tem alguém na família que positivou.

“É uma ajuda temporária, enquanto houver a pandemia. Vão repassar verba para alugarmos os espaços, porque mulheres em vulnerabilidade econômica não tem para onde ir, não tem onde fazer isolamento e neste caso, elas ficarão em uma destas casas”, detalhou a secretária.

Mais projetos

“Também estamos montando um departamento de igualdade racial e formando parcerias para incentivar e desenvolver o empreendedorismo em várias áreas, como para mulheres pescadoras, maricultura entre outras. Além disso, também recebemos um veículo. Estivemos em várias secretarias e conseguimos vários projetos, foi positivo”, disse Christina.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Christina em Brasília
Christina em Brasília

Balneário Camboriú prepara-se para receber Casa da Mulher Brasileira, para vítimas de violência

Publicidade

Terça, 11/8/2020 12:22.

A secretária da Inclusão Social, Christina Barichello disse que foi positiva a viagem à Brasília na semana passada, onde além do prêmio ao programa Abraço Jovem, Balneário Camboriú recebeu sinal verde para outros projetos, entre eles, a construção da Casa da Mulher Brasileira, para atender mulheres que sofrem violência. Outros dois projetos para gestantes também estão na pauta e a criação de um departamento de igualdade racial começa a ser planejado.

A Casa da Mulher Brasileira é um espaço que concentra o atendimento de vários órgãos, como Delegacia de Defesa da Mulher (prevenção e investigação dos crimes de violência doméstica), Ministério Público (atuação na área penal dos crimes de violência) e Defensoria Pública (orientação sobre direitos e assistência jurídica destas mulheres). Inicialmente prevista somente para capitais, este ano, a Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos estendeu o projeto para cidades menores e pretende construir 12 casas novas e implantar mais 13.

“Agora a Secretaria Nacional abriu para cidades com até 150 mil habitantes, será uma casa de 270m2 e já estamos preparando a documentação para a Casa da Mulher Brasileira, que tratará especificamente sobre questões relacionadas à violência feminina. Ela é diferente da Casa da Mulher que já temos aqui, porque esta é um centro de convivência e o Abraço à Mulher trabalhará em parceria com o novo espaço que será construído”, explicou Christina.

Para grávidas

Enquanto houver pandemia, o ministério também repassará verba e suporte para locar duas casas: uma atenderá mulheres grávidas com Covid-19 e outra para grávidas que não tem Covid-19, mas tem alguém na família que positivou.

“É uma ajuda temporária, enquanto houver a pandemia. Vão repassar verba para alugarmos os espaços, porque mulheres em vulnerabilidade econômica não tem para onde ir, não tem onde fazer isolamento e neste caso, elas ficarão em uma destas casas”, detalhou a secretária.

Mais projetos

“Também estamos montando um departamento de igualdade racial e formando parcerias para incentivar e desenvolver o empreendedorismo em várias áreas, como para mulheres pescadoras, maricultura entre outras. Além disso, também recebemos um veículo. Estivemos em várias secretarias e conseguimos vários projetos, foi positivo”, disse Christina.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade