Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Pesquisa Costa Verde&Mar Atrativos naturais em alta, balneabilidade em algumas praias em baixa
Divulgação/Sectur
Interpraias, cenário de belezas naturais

Quinta, 9/5/2019 8:58.

A Costa Verde&Mar divulgou esta semana números sobre a demanda turística da temporada 2019, onde alcançou 4,49 pontos (de 0 a 5). A pesquisa foi aplicada nos três primeiros meses do ano, com mais de três mil turistas que ficaram mais de um dia nas cidades avaliadas: Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Bombinhas, Itajaí, Itapema, Porto Belo e Navegantes.

Entre as notas mais altas, estão os atrativos naturais (4,52), hospitalidade (4,43), segurança (4,18), lazer e cultura (4,34), opções de compras e limpeza (4,12) e destaque para atrativos em geral e tranquilidade.

A avaliação recebeu notas mais baixas nos ítens relacionados ao trânsito (3,39 pontos), acessos (3,73) e transporte (3,58 pontos). Os participantes informaram ainda que um dos pontos que menos gostaram foi a balneabilidade de algumas praias.

Novos visitantes

Além dos principais turistas internacionais, pela ordem Argentina (74,7%) Paraguai (11,4%) e Uruguai (6,2%), a pesquisa trouxe pela primeira vez informações sobre visitantes da Alemanha, Itália, Haiti e Bolívia.

Também registrou um aumento nos visitantes do Brasil. Na avaliação anterior, os visitantes de outros Estados representavam 50%, sendo que agora representam 58,7%. Os Estados do sul lideram a tabela com 78,6% dos entrevistados. Nesse ítem sobre a origem dos visitantes registrou municípios que até então não figuravam nas pesquisas, como os gaúchos Erechim, Passo Fundo e Uruguaiana; os paranaenses Foz do Iguaçu e Toledo e os catarinenses Concórdia, Criciúma, Guaramirim e São Miguel do Oeste.

Turismo regional

A pesquisa mostrou que os turistas circulam pela região. Mais de 80% informaram que tinham Penha como destino, 53,16% escolheram Balneário Camboriú e 23,7% Itajaí.

Gasto médio

O gasto médio diário do grupo de entrevistados ficou em R$ 379,65, superior a 2018 em que o total ficou em R$ 354,95.

Permanência/Hospedagem

A maioria dos visitantes, 44%, ficou de cinco a nove noites; 28% ficaram na região por mais de nove noites. O mesmo número se aplica aos que estiveram por aqui por até quatro noites. Para 31,5% o tipo de hospedagem foi a casa de parentes e amigos, 26,7% em aluguel e 23,7% em hotéis ou pousadas, um aumento de 1,7% em relação à pesquisa anterior.

Tipo de hospedagem

Pouco mais de 50% informou tratar direto com o proprietário, 20% recebeu ajuda de imobiliárias, 19% utilizaram AirBnb e 10% chegaram através de sites como Booking, Decolar e outros similares.

Transporte

88% dos entrevistados escolheu a Costa Verde&Mar como destino de férias; 74% planejou a viagem por conta própria; 58% eram família e 68% dos entrevistados estavam com até quatro pessoas.

Quase 80% dos participantes informaram que o meio de transporte utilizado foi veículo próprio; 8% vieram de avião. Perfil do visitante

Dos entrevistados 48,7% eram mulheres, 46,5% homens e 4,8% não responderam à questão. A maioria, 58,5% são casados; 24,8% solteiros; 26,5% tem entre 31 e 40 anos; 35,9% tem ensino superior completo; 29,2% tem ensino médio; 37,7% informaram receber entre quatro e 10 salários mínimos; quase 30% com dois a quatro salários mínimos e 11,9% declararam receber de 10 a 20 salários mínimos. Destes, 31,3% se declaram assalariados, como tipo de ocupação, seguidos por 14,4% empresários, 11,6% de funcionários públicos e o mesmo número de aposentados.

A presidente do colegiado de secretários de Turismo da Amfri, Zene Drodowski avaliou a pesquisa, dizendo que a média é muito boa, 95% das pessoas recomendariam este destino e 93% pretendem voltar.

“Mas queremos números ainda melhores. Agora vamos avaliar tudo que foi apontado e buscar estratégias para melhorar sempre”, disse.

Pesquisa Costa Verde & Mar 2019:

Lugar de residência:

Demais Estados brasileiros: 58,7%

No Estado de SC: 32,8%

No Exterior: 8,5%

Países do Exterior:

Argentina: 74,7%

Paraguai: 11,4%

Uruguai: 6,2%

Estados Unidos: 2,1%

Chile e Portugal: 1% (cada)

Alemanha e Itália: 0,7% (cada)

Haiti, México, Venezuela, Costa Rica, Canadá e Bolívia: 0,3% (cada)

Outros: 0,4%

Principais estados de origem (exceto SC):

Paraná: 24,2%

Rio Grande do Sul: 18,4%

São Paulo: 10,3%

Mato Grosso do Sul: 2,4%

Minas Gerais: 1,8%

Rio de Janeiro: 1,8%

Mato Grosso: 1,4%

Outros: 39,7%

Principais Cidades de Origem (exceto cidades de SC):

Curitiba: 23,4%

São Paulo: 11,9%

Porto Alegre: 10,5%

Londrina: 7,3%

Maringá: 6,1%

Passo Fundo: 3,9%

Cascavel: 3,5%

Campo Grande e Ponta Grossa: 3,4% (cada)

Foz do Iguaçu: 2,7%

Toledo: 2,5%

Uruguaiana: 1,9%

Erechim: 1,8%

Outros: 17,7%

Principais Cidades de origem (SC):

Blumenau: 25,3%

Joinville: 14,0%

Brusque: 8,9%

Florianópolis: 5,8%

Lages: 4,7%

Chapecó e Gaspar: 4,1% (cada)

Rio do Sul: 3,8%

Concórdia e São Bento do Sul: 3,4% (cada)

Guaramirim: 1,9%

Criciúma: 1,6%

São Miguel do Oeste: 1,4%

Outros: 17,6%

Gênero:

Mulher: 48,7%

Homem: 46,5%

Não respondeu: 4,8%

Estado civil:

Casado: 58,5%

Solteiro: 24,8%

União estável: 6,3%

Divorciado: 3,4%

Viúvo: 3,3%

Outros: 3,7%

Faixa etária dos visitantes:

De 31 a 40 anos: 26,5%

De 41 a 50 anos: 22,2%

De 51 a 65 anos: 20,1%

De 26 a 30 anos: 15,4%

De 19 a 25 anos – 10,3%

Mais de 65 anos – 5,4%

Não respondeu – 0,1%

Renda familiar:

De 4 a 10 salários: 37,7%

De 2 a 4 salários: 29,7%

De 10 a 20 salários: 11,9%

Até 2 salários: 7,6%

Acima de 20 salários: 3,8%

Outros: 9,3%

Número de noites na Costa Verde & Mar:

De 5 a 9 noites: 44%

Até 4 noites: 28%

Mais de 9 noites: 28%

Tipo de hospedagem:

Com parentes e amigos: 31,5%

Locação de casa/apartamento: 26,7%

Hotel/pousada: 23,7%

Alojamento de 2ª residência: 10,9%

Outros: 7,2%

 

Tipo de locação de casa/apartamento:

Direto com o proprietário: 50%

Imobiliária: 20%

AirBnb: 19%

Booking, Decolar e outros similares: 10%

Outros: 1%

O nível de confiança é de 95% e o erro amostral é de cinco pontos percentuais.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Pesquisa Costa Verde&Mar Atrativos naturais em alta, balneabilidade em algumas praias em baixa

Divulgação/Sectur
Interpraias, cenário de belezas naturais
Interpraias, cenário de belezas naturais

Publicidade

Quinta, 9/5/2019 8:58.

A Costa Verde&Mar divulgou esta semana números sobre a demanda turística da temporada 2019, onde alcançou 4,49 pontos (de 0 a 5). A pesquisa foi aplicada nos três primeiros meses do ano, com mais de três mil turistas que ficaram mais de um dia nas cidades avaliadas: Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Bombinhas, Itajaí, Itapema, Porto Belo e Navegantes.

Entre as notas mais altas, estão os atrativos naturais (4,52), hospitalidade (4,43), segurança (4,18), lazer e cultura (4,34), opções de compras e limpeza (4,12) e destaque para atrativos em geral e tranquilidade.

A avaliação recebeu notas mais baixas nos ítens relacionados ao trânsito (3,39 pontos), acessos (3,73) e transporte (3,58 pontos). Os participantes informaram ainda que um dos pontos que menos gostaram foi a balneabilidade de algumas praias.

Novos visitantes

Além dos principais turistas internacionais, pela ordem Argentina (74,7%) Paraguai (11,4%) e Uruguai (6,2%), a pesquisa trouxe pela primeira vez informações sobre visitantes da Alemanha, Itália, Haiti e Bolívia.

Também registrou um aumento nos visitantes do Brasil. Na avaliação anterior, os visitantes de outros Estados representavam 50%, sendo que agora representam 58,7%. Os Estados do sul lideram a tabela com 78,6% dos entrevistados. Nesse ítem sobre a origem dos visitantes registrou municípios que até então não figuravam nas pesquisas, como os gaúchos Erechim, Passo Fundo e Uruguaiana; os paranaenses Foz do Iguaçu e Toledo e os catarinenses Concórdia, Criciúma, Guaramirim e São Miguel do Oeste.

Turismo regional

A pesquisa mostrou que os turistas circulam pela região. Mais de 80% informaram que tinham Penha como destino, 53,16% escolheram Balneário Camboriú e 23,7% Itajaí.

Gasto médio

O gasto médio diário do grupo de entrevistados ficou em R$ 379,65, superior a 2018 em que o total ficou em R$ 354,95.

Permanência/Hospedagem

A maioria dos visitantes, 44%, ficou de cinco a nove noites; 28% ficaram na região por mais de nove noites. O mesmo número se aplica aos que estiveram por aqui por até quatro noites. Para 31,5% o tipo de hospedagem foi a casa de parentes e amigos, 26,7% em aluguel e 23,7% em hotéis ou pousadas, um aumento de 1,7% em relação à pesquisa anterior.

Tipo de hospedagem

Pouco mais de 50% informou tratar direto com o proprietário, 20% recebeu ajuda de imobiliárias, 19% utilizaram AirBnb e 10% chegaram através de sites como Booking, Decolar e outros similares.

Transporte

88% dos entrevistados escolheu a Costa Verde&Mar como destino de férias; 74% planejou a viagem por conta própria; 58% eram família e 68% dos entrevistados estavam com até quatro pessoas.

Quase 80% dos participantes informaram que o meio de transporte utilizado foi veículo próprio; 8% vieram de avião. Perfil do visitante

Dos entrevistados 48,7% eram mulheres, 46,5% homens e 4,8% não responderam à questão. A maioria, 58,5% são casados; 24,8% solteiros; 26,5% tem entre 31 e 40 anos; 35,9% tem ensino superior completo; 29,2% tem ensino médio; 37,7% informaram receber entre quatro e 10 salários mínimos; quase 30% com dois a quatro salários mínimos e 11,9% declararam receber de 10 a 20 salários mínimos. Destes, 31,3% se declaram assalariados, como tipo de ocupação, seguidos por 14,4% empresários, 11,6% de funcionários públicos e o mesmo número de aposentados.

A presidente do colegiado de secretários de Turismo da Amfri, Zene Drodowski avaliou a pesquisa, dizendo que a média é muito boa, 95% das pessoas recomendariam este destino e 93% pretendem voltar.

“Mas queremos números ainda melhores. Agora vamos avaliar tudo que foi apontado e buscar estratégias para melhorar sempre”, disse.

Pesquisa Costa Verde & Mar 2019:

Lugar de residência:

Demais Estados brasileiros: 58,7%

No Estado de SC: 32,8%

No Exterior: 8,5%

Países do Exterior:

Argentina: 74,7%

Paraguai: 11,4%

Uruguai: 6,2%

Estados Unidos: 2,1%

Chile e Portugal: 1% (cada)

Alemanha e Itália: 0,7% (cada)

Haiti, México, Venezuela, Costa Rica, Canadá e Bolívia: 0,3% (cada)

Outros: 0,4%

Principais estados de origem (exceto SC):

Paraná: 24,2%

Rio Grande do Sul: 18,4%

São Paulo: 10,3%

Mato Grosso do Sul: 2,4%

Minas Gerais: 1,8%

Rio de Janeiro: 1,8%

Mato Grosso: 1,4%

Outros: 39,7%

Principais Cidades de Origem (exceto cidades de SC):

Curitiba: 23,4%

São Paulo: 11,9%

Porto Alegre: 10,5%

Londrina: 7,3%

Maringá: 6,1%

Passo Fundo: 3,9%

Cascavel: 3,5%

Campo Grande e Ponta Grossa: 3,4% (cada)

Foz do Iguaçu: 2,7%

Toledo: 2,5%

Uruguaiana: 1,9%

Erechim: 1,8%

Outros: 17,7%

Principais Cidades de origem (SC):

Blumenau: 25,3%

Joinville: 14,0%

Brusque: 8,9%

Florianópolis: 5,8%

Lages: 4,7%

Chapecó e Gaspar: 4,1% (cada)

Rio do Sul: 3,8%

Concórdia e São Bento do Sul: 3,4% (cada)

Guaramirim: 1,9%

Criciúma: 1,6%

São Miguel do Oeste: 1,4%

Outros: 17,6%

Gênero:

Mulher: 48,7%

Homem: 46,5%

Não respondeu: 4,8%

Estado civil:

Casado: 58,5%

Solteiro: 24,8%

União estável: 6,3%

Divorciado: 3,4%

Viúvo: 3,3%

Outros: 3,7%

Faixa etária dos visitantes:

De 31 a 40 anos: 26,5%

De 41 a 50 anos: 22,2%

De 51 a 65 anos: 20,1%

De 26 a 30 anos: 15,4%

De 19 a 25 anos – 10,3%

Mais de 65 anos – 5,4%

Não respondeu – 0,1%

Renda familiar:

De 4 a 10 salários: 37,7%

De 2 a 4 salários: 29,7%

De 10 a 20 salários: 11,9%

Até 2 salários: 7,6%

Acima de 20 salários: 3,8%

Outros: 9,3%

Número de noites na Costa Verde & Mar:

De 5 a 9 noites: 44%

Até 4 noites: 28%

Mais de 9 noites: 28%

Tipo de hospedagem:

Com parentes e amigos: 31,5%

Locação de casa/apartamento: 26,7%

Hotel/pousada: 23,7%

Alojamento de 2ª residência: 10,9%

Outros: 7,2%

 

Tipo de locação de casa/apartamento:

Direto com o proprietário: 50%

Imobiliária: 20%

AirBnb: 19%

Booking, Decolar e outros similares: 10%

Outros: 1%

O nível de confiança é de 95% e o erro amostral é de cinco pontos percentuais.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade