Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Acostamento de Navegantes ao Morro do Boi será transformado em terceira pista para veículos leves

 Mas isso deverá acontecer somente após a temporada

Quarta, 26/6/2019 17:47.
Divulgação

Publicidade

Transformar o acostamento em terceira faixa de rolamento para veículos leves, de Navegantes até a altura do Morro do Boi, em Balneário Camboriú, nos dois lados, foi tema de reunião realizada nesta terça-feira (25), na sede da Arteris (Auto Pista Litoral), em Joinville.

A Polícia Rodoviária Federal já liberou que seja permitida a abertura da terceira pista no acostamento e agora a Arteris vai encaminhar o pedido para Agência Reguladora, mas ninguém sabe o tempo que pode levar essa decisão. Todos sabem que não será rápido e provavelmente não acontecerá antes da próxima temporada, por causa dos trâmites burocráticos.

Chaves (D) na reunião que solicitou em Joinville.

A reunião em Joinville foi solicitada pelo ciclista e representante da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú e Camboriú (ACBC), Carlos Chaves Junior.

“Eles informaram que esta não é a solução ideal, mas a mais rápida a ser implantada. Perguntamos sobre o tempo de implantação, mas não souberam responder, pois depende da Agência Reguladora das rodovias autorizar o projeto. Não deverá acontecer antes da temporada”, disse Chaves Junior.

Sem investimento

Chaves Junior disse que o policial federal Stanislau explicou que há 12 anos não existe autorização para plano de expansão e estruturação rodoviária, a cada cinco anos existe uma revisão de projetos e planos de estruturação por parte da Arteris para complementar o que não foi previsto no contrato firmado no passado, a revisão do quinquênio visa atualizar a rodovia com novas obras para comportar o fluxo. Porém não há autorização pela complementação, investimento e aumento de tarifa para as obras.

Sinalização na rodovia

Os ciclistas que optarem por pedalar na rodovia, deverão estar a bordo da pista, onde é de direito do pedestre e ciclista permanecer, onde não houver acostamento ou ciclovias em rodovias.

“Solicitei a implantação de placas de sinalização de presença ciclistas e pedestres, campanha de conscientização, outdoor na subida do Morro do Boi e a entrega de panfletos educativos do 1bike1vida no guichês de pagamento de pedágio.

As placas serão instaladas quando for implantada a terceira faixa e estaremos em comunicação direta com os coordenadores para ações com ciclistas na rodovia”, segue Chaves Junior.

Pedestres e ciclistas sofrem

A quantidade de carros é exorbitante, muito superior aos limites da rodovia, que é ultrapassada e obsoleta. Por falta de investimento e visão futura dos projetos são tomadas medidas paliativas que acabam se tornando permanentes.

“Quem sofre é o elo mais fraco do trânsito, pedestres e ciclistas, falo por aqueles que têm a bicicleta como meio de transporte, que precisam pedalar na rodovia para acessar a cidade. Esses muitas vezes sem conhecimento de segurança ao pedalar, podem sofrer graves consequências, sem esquecer dos inúmeros atletas que, sem espaço para treinar, utilizam a rodovia para longos treinos”, enfatizou o representante da ACBC.

Quem participou

Chaves Junior contou que entidades e pessoas ligadas ao ciclismo na região foram convidadas para participar da reunião, mas poucos puderam ir.

De Balneário Camboriú além de Chaves Junior foram Sandro Bernardoni (Sb5 Eventos) e Rafael Palito (treinador CPH); de Joinville o presidente da Federação Catarinense de Ciclismo, João Carlos Andrade e Luiz Carletto (Pedala Joinville), os policiais rodoviários de Itajaí Kuster e Stanislau, Junior (gerente de operações da Arteris), Marcelo Possamai (coordenador de projetos da arteris), Marcos (coordenador de operações da Litoral Sul), Eduardo (supervisor de controle operacional Litoral Sul), Marcos (frente de operações Litoral Sul.

Vidas no trânsito

Charles Junior disse que esta foi a primeira reunião que solicitou sobre esse assunto. Mas ele já teve outras quatro reuniões para tratar de outros assuntos relacionados à segurança dos ciclistas.

“Faço essas reuniões, vou em busca de respostas voluntariamente, muitas vezes deixando meu trabalho, minha família e outros afazeres particulares, pensando no bem coletivo. Ainda bem que existem pessoas predispostas a me acompanhar, pensam no bem da cidade, no bem da comunidade e correm atrás para debater, discutir, opinar e criar soluções para o bem comum! Agradeço a todos que me acompanharam, à Auto Pista Litoral e aos policiais federais pelo profissionalismo e ao tratamento respeitoso que tivemos e ao Dr. Marcelo José Araújo, que sempre me orienta nas questões legais. Não me cansarei, mesmo que estiver sozinho! Somos todos vidas no trânsito”, resumiu.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Acostamento de Navegantes ao Morro do Boi será transformado em terceira pista para veículos leves

 Mas isso deverá acontecer somente após a temporada

Publicidade

Quarta, 26/6/2019 17:47.

Transformar o acostamento em terceira faixa de rolamento para veículos leves, de Navegantes até a altura do Morro do Boi, em Balneário Camboriú, nos dois lados, foi tema de reunião realizada nesta terça-feira (25), na sede da Arteris (Auto Pista Litoral), em Joinville.

A Polícia Rodoviária Federal já liberou que seja permitida a abertura da terceira pista no acostamento e agora a Arteris vai encaminhar o pedido para Agência Reguladora, mas ninguém sabe o tempo que pode levar essa decisão. Todos sabem que não será rápido e provavelmente não acontecerá antes da próxima temporada, por causa dos trâmites burocráticos.

Chaves (D) na reunião que solicitou em Joinville.

A reunião em Joinville foi solicitada pelo ciclista e representante da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú e Camboriú (ACBC), Carlos Chaves Junior.

“Eles informaram que esta não é a solução ideal, mas a mais rápida a ser implantada. Perguntamos sobre o tempo de implantação, mas não souberam responder, pois depende da Agência Reguladora das rodovias autorizar o projeto. Não deverá acontecer antes da temporada”, disse Chaves Junior.

Sem investimento

Chaves Junior disse que o policial federal Stanislau explicou que há 12 anos não existe autorização para plano de expansão e estruturação rodoviária, a cada cinco anos existe uma revisão de projetos e planos de estruturação por parte da Arteris para complementar o que não foi previsto no contrato firmado no passado, a revisão do quinquênio visa atualizar a rodovia com novas obras para comportar o fluxo. Porém não há autorização pela complementação, investimento e aumento de tarifa para as obras.

Sinalização na rodovia

Os ciclistas que optarem por pedalar na rodovia, deverão estar a bordo da pista, onde é de direito do pedestre e ciclista permanecer, onde não houver acostamento ou ciclovias em rodovias.

“Solicitei a implantação de placas de sinalização de presença ciclistas e pedestres, campanha de conscientização, outdoor na subida do Morro do Boi e a entrega de panfletos educativos do 1bike1vida no guichês de pagamento de pedágio.

As placas serão instaladas quando for implantada a terceira faixa e estaremos em comunicação direta com os coordenadores para ações com ciclistas na rodovia”, segue Chaves Junior.

Pedestres e ciclistas sofrem

A quantidade de carros é exorbitante, muito superior aos limites da rodovia, que é ultrapassada e obsoleta. Por falta de investimento e visão futura dos projetos são tomadas medidas paliativas que acabam se tornando permanentes.

“Quem sofre é o elo mais fraco do trânsito, pedestres e ciclistas, falo por aqueles que têm a bicicleta como meio de transporte, que precisam pedalar na rodovia para acessar a cidade. Esses muitas vezes sem conhecimento de segurança ao pedalar, podem sofrer graves consequências, sem esquecer dos inúmeros atletas que, sem espaço para treinar, utilizam a rodovia para longos treinos”, enfatizou o representante da ACBC.

Quem participou

Chaves Junior contou que entidades e pessoas ligadas ao ciclismo na região foram convidadas para participar da reunião, mas poucos puderam ir.

De Balneário Camboriú além de Chaves Junior foram Sandro Bernardoni (Sb5 Eventos) e Rafael Palito (treinador CPH); de Joinville o presidente da Federação Catarinense de Ciclismo, João Carlos Andrade e Luiz Carletto (Pedala Joinville), os policiais rodoviários de Itajaí Kuster e Stanislau, Junior (gerente de operações da Arteris), Marcelo Possamai (coordenador de projetos da arteris), Marcos (coordenador de operações da Litoral Sul), Eduardo (supervisor de controle operacional Litoral Sul), Marcos (frente de operações Litoral Sul.

Vidas no trânsito

Charles Junior disse que esta foi a primeira reunião que solicitou sobre esse assunto. Mas ele já teve outras quatro reuniões para tratar de outros assuntos relacionados à segurança dos ciclistas.

“Faço essas reuniões, vou em busca de respostas voluntariamente, muitas vezes deixando meu trabalho, minha família e outros afazeres particulares, pensando no bem coletivo. Ainda bem que existem pessoas predispostas a me acompanhar, pensam no bem da cidade, no bem da comunidade e correm atrás para debater, discutir, opinar e criar soluções para o bem comum! Agradeço a todos que me acompanharam, à Auto Pista Litoral e aos policiais federais pelo profissionalismo e ao tratamento respeitoso que tivemos e ao Dr. Marcelo José Araújo, que sempre me orienta nas questões legais. Não me cansarei, mesmo que estiver sozinho! Somos todos vidas no trânsito”, resumiu.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade