Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Greve Geral: manifestações acontecem na região nesta sexta-feira
Divulgação
Em Floripa, barricadas e movimentação desde a madrugada

Sexta, 14/6/2019 9:45.

A Greve Geral, marcada desde maio para acontecer nesta sexta-feira (14), está contando com ações em Balneário Camboriú, Camboriú e Itajaí. Por aqui, os atos são pacíficos. Mas em Florianópolis, por exemplo, houve queima de pneus (as chamadas ‘barricadas’) e o transporte coletivo sofreu alterações. A greve acontece contra a reforma da previdência e os cortes orçamentários que a educação sofreu.
 
 
Trabalhadores de diversas classes estão participando do ato, que é nacional. Desde funcionários do segmento da saúde, bancários, motoristas, cobradores, professores e demais trabalhadores da educação. Também fazem parte das reivindicações temas como maior geração de empregos formais, retomada do crescimento da economia, contingenciamento na educação e até a situação recente envolvendo o Ministro da Justiça Sérgio Moro e os procuradores da Lava Jato, como o chefe da força-tarefa, Deltan Dallagnol.

Atos na região

O principal ato da região acontece das 13h às 19h, na Praça Arno Bauer, em Itajaí. Alunos do IFSC e sindicalistas organizam o movimento, que tem apoio do grêmio estudantil do IFC Camboriú. O Página 3 foi informado que desta vez, para unir força e fazer um movimento maior, as duas instituições federais da região se juntarão na cidade vizinha. Apesar disso, manifestantes também vão passar pela Praça das Figueiras, em Camboriú, com a ideia de estarem disponíveis para tirar dúvidas do público sobre o que mudará na reforma da previdência e o quanto o corte de gastos está afetando a educação.
 
O presidente do Grêmio Estudantil do IFC Camboriú, Paulo Ricardo Machado Miorando, conta que dessa vez escolheram deixar livre para os alunos decidirem onde iriam se manifestar, se em Itajaí, Camboriú ou na capital.
 
“Aderimos à Greve Nacional, mas nos dividimos. Os alunos estão se mobilizando, um grupo foi para Floripa, alguns professores e alunos vão para Itajaí e assim por diante”, diz.

Programação

Estão previstos discursos dos movimentos e até apresentações culturais. Uma caminhada deve acontecer até o ferry boat. Participam os grêmios estudantis e diretórios acadêmicos da região, além do Sindicato dos Trabalhadores em Educação na Rede Pública de Ensino do Estado de SC (Sinte), Sindicato dos Professores de Itajaí e Região (Sinpro) e Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Região da Foz do Rio Itajaí (Sindifoz).
 
Em Balneário algumas das entidades que se manifestaram favoráveis e que devem aderir ao ato é o Siticom BC (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Balneário Camboriú), Sechobar (Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Bares, Restaurantes e Similares de Balneário Camboriú e Região), Secovelar (Sindicato dos empregados em condomínios, imobiliárias, administradoras e shopping center) e SecBC (Sindicato dos Empregados no Comércio de Balneário Camboriú). Estava marcada uma panfletagem na Avenida Santa Catarina, perto do viaduto da BR-101, que deveria acontecer das 7h às 10h. Outra acontece à tarde, das 16h às 19h, nas proximidades da rua Biguaçu.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Greve Geral: manifestações acontecem na região nesta sexta-feira

Divulgação
Em Floripa, barricadas e movimentação desde a madrugada
Em Floripa, barricadas e movimentação desde a madrugada

Publicidade

Sexta, 14/6/2019 9:45.
A Greve Geral, marcada desde maio para acontecer nesta sexta-feira (14), está contando com ações em Balneário Camboriú, Camboriú e Itajaí. Por aqui, os atos são pacíficos. Mas em Florianópolis, por exemplo, houve queima de pneus (as chamadas ‘barricadas’) e o transporte coletivo sofreu alterações. A greve acontece contra a reforma da previdência e os cortes orçamentários que a educação sofreu.
 
 
Trabalhadores de diversas classes estão participando do ato, que é nacional. Desde funcionários do segmento da saúde, bancários, motoristas, cobradores, professores e demais trabalhadores da educação. Também fazem parte das reivindicações temas como maior geração de empregos formais, retomada do crescimento da economia, contingenciamento na educação e até a situação recente envolvendo o Ministro da Justiça Sérgio Moro e os procuradores da Lava Jato, como o chefe da força-tarefa, Deltan Dallagnol.

Atos na região

O principal ato da região acontece das 13h às 19h, na Praça Arno Bauer, em Itajaí. Alunos do IFSC e sindicalistas organizam o movimento, que tem apoio do grêmio estudantil do IFC Camboriú. O Página 3 foi informado que desta vez, para unir força e fazer um movimento maior, as duas instituições federais da região se juntarão na cidade vizinha. Apesar disso, manifestantes também vão passar pela Praça das Figueiras, em Camboriú, com a ideia de estarem disponíveis para tirar dúvidas do público sobre o que mudará na reforma da previdência e o quanto o corte de gastos está afetando a educação.
 
O presidente do Grêmio Estudantil do IFC Camboriú, Paulo Ricardo Machado Miorando, conta que dessa vez escolheram deixar livre para os alunos decidirem onde iriam se manifestar, se em Itajaí, Camboriú ou na capital.
 
“Aderimos à Greve Nacional, mas nos dividimos. Os alunos estão se mobilizando, um grupo foi para Floripa, alguns professores e alunos vão para Itajaí e assim por diante”, diz.

Programação

Estão previstos discursos dos movimentos e até apresentações culturais. Uma caminhada deve acontecer até o ferry boat. Participam os grêmios estudantis e diretórios acadêmicos da região, além do Sindicato dos Trabalhadores em Educação na Rede Pública de Ensino do Estado de SC (Sinte), Sindicato dos Professores de Itajaí e Região (Sinpro) e Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Região da Foz do Rio Itajaí (Sindifoz).
 
Em Balneário algumas das entidades que se manifestaram favoráveis e que devem aderir ao ato é o Siticom BC (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Balneário Camboriú), Sechobar (Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Bares, Restaurantes e Similares de Balneário Camboriú e Região), Secovelar (Sindicato dos empregados em condomínios, imobiliárias, administradoras e shopping center) e SecBC (Sindicato dos Empregados no Comércio de Balneário Camboriú). Estava marcada uma panfletagem na Avenida Santa Catarina, perto do viaduto da BR-101, que deveria acontecer das 7h às 10h. Outra acontece à tarde, das 16h às 19h, nas proximidades da rua Biguaçu.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade