Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Projetos de sistema de esgoto e água para Camboriú é apresentado à comunidade no programa Afluentes

Quinta, 29/8/2019 16:12.

Publicidade

Por Luciana Zonta

Representantes de diferentes segmentos da sociedade, vereadores e o vice-prefeito, Ramon Jacob, conheceram nesta quarta-feira (28), os projetos para implantação do sistema de tratamento de esgoto e captação e distribuição próprio de água de Camboriú. As informações foram apresentadas durante uma reunião pública do Projeto Afluentes, realizada pela concessionária, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

O objetivo principal do encontro foi mostrar a disposição da Águas de Camboriú em implantar o sistema próprio de água e de tratamento de esgoto na cidade.

A apresentação foi coordenada pelo presidente da Águas de Camboriú, Carlos Roma Júnior, e pelo gestor operacional da companhia, Arthur May.

Entre as metas previstas do sistema de tratamento de esgoto está a de contribuir com a redução do lançamento das cargas orgânicas na bacia.

Estudos técnicos da concessionária apontam que são despejados diariamente 9 mil m3 de esgoto no Rio Camboriú. O projeto prevê investimentos de cerca de R$ 120 milhões e contempla uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), instalação de 280 quilômetros de rede e construção de 30 elevatórias. A obra prevê melhoria dos indicadores de saúde e despoluição do Rio Camboriú.

Conforme Arthur May, a concessionária prevê a universalização do sistema de esgoto do município em 10 anos, tempo contando a partir do começo das obras. O projeto preliminar foi desenvolvido com base nas áreas em expansão da cidade e de acordo com o plano diretor de Camboriú. Pela proposta, os investimentos necessários para a implantação do sistema ficarão sob responsabilidade da concessionária.

Carlos Roma Junior, presidente da Águas de Camboriú, explica que para implantação do projeto, no entanto, é necessário a assinatura de um termo aditivo contratual, incluindo no escopo do contrato as obras de esgoto como responsabilidade da Águas de Camboriú.

“A proposta que estamos trazendo é o conjunto mais econômico de soluções para o saneamento de Camboriú, incluindo a implantação do sistema próprio de água e de esgoto”, explicou.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Projetos de sistema de esgoto e água para Camboriú é apresentado à comunidade no programa Afluentes

Publicidade

Quinta, 29/8/2019 16:12.

Por Luciana Zonta

Representantes de diferentes segmentos da sociedade, vereadores e o vice-prefeito, Ramon Jacob, conheceram nesta quarta-feira (28), os projetos para implantação do sistema de tratamento de esgoto e captação e distribuição próprio de água de Camboriú. As informações foram apresentadas durante uma reunião pública do Projeto Afluentes, realizada pela concessionária, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

O objetivo principal do encontro foi mostrar a disposição da Águas de Camboriú em implantar o sistema próprio de água e de tratamento de esgoto na cidade.

A apresentação foi coordenada pelo presidente da Águas de Camboriú, Carlos Roma Júnior, e pelo gestor operacional da companhia, Arthur May.

Entre as metas previstas do sistema de tratamento de esgoto está a de contribuir com a redução do lançamento das cargas orgânicas na bacia.

Estudos técnicos da concessionária apontam que são despejados diariamente 9 mil m3 de esgoto no Rio Camboriú. O projeto prevê investimentos de cerca de R$ 120 milhões e contempla uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), instalação de 280 quilômetros de rede e construção de 30 elevatórias. A obra prevê melhoria dos indicadores de saúde e despoluição do Rio Camboriú.

Conforme Arthur May, a concessionária prevê a universalização do sistema de esgoto do município em 10 anos, tempo contando a partir do começo das obras. O projeto preliminar foi desenvolvido com base nas áreas em expansão da cidade e de acordo com o plano diretor de Camboriú. Pela proposta, os investimentos necessários para a implantação do sistema ficarão sob responsabilidade da concessionária.

Carlos Roma Junior, presidente da Águas de Camboriú, explica que para implantação do projeto, no entanto, é necessário a assinatura de um termo aditivo contratual, incluindo no escopo do contrato as obras de esgoto como responsabilidade da Águas de Camboriú.

“A proposta que estamos trazendo é o conjunto mais econômico de soluções para o saneamento de Camboriú, incluindo a implantação do sistema próprio de água e de esgoto”, explicou.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade