Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Afogamentos alertam para necessidade de atenção nas praias

Temperaturas começam a subir, mas não há guarda-vidas em todos os pontos

Segunda, 24/9/2018 16:40.
Daniele Sisnandes/Página 3
Praia central é a única que tem monitoramento de guarda-vidas o ano todo

Publicidade

Neste final de semana ocorreram pelo menos dois casos de afogamentos em praias de Balneário Camboriú. O Corpo de Bombeiros Militar pede cautela dos banhistas, porque nessa época a maioria das praias ainda está sem guarda-vidas.

Os casos

O primeiro afogamento aconteceu no sábado (22), na praia central, que tem monitoramento das 8h às 20h. Um guarda municipal que estava pelas imediações foi acionado, entrou no mar e com ajuda de populares conseguiu tirar a criança que estava se afogando. O atendimento foi finalizado pelos guarda-vidas.

Já o segundo caso, também no sábado (22), aconteceu na praia do Estaleiro, que não tem guarda-vidas e é uma praia de tombo, por isso pega muita gente desprevenida.

Dois garotos só foram salvos graças a ação de populares. Um morador contou que passava pelo costão, quando avistou dois homens tentando resgatar dois adolescentes. Eles estavam tendo dificuldades para sair e como o morador estava com sua prancha, auxiliou para que chegassem à areia.

Os quatro ficaram muito abalados e cansados. Os jovens chegaram a vomitar, mas estavam conscientes e não foi necessário chamar o serviço de urgência.

A cobrança dos moradores quanto à praia do Estaleiro e Estaleirinho é grande porque as duas receberão a Bandeira Azul, portanto ficarão cada vez mais conhecidas e movimentadas, porém sem segurança para banhistas até o começo da temporada.

O que diz o CBM

O major Maico Francisco de Alcântara, que está respondendo pelo comando do 13º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar, pede que as pessoas redobrem a atenção neste período, início de primavera, quando as temperaturas começam a subir, mas nem todos os pontos já oferecem monitoramento, especialmente nas praias agrestes.

Ele explica que existe uma questão orçamentária e por isso, a contratação de guarda-vidas civis só acontece em novembro.

Até lá, o CBM vai trabalhando com o efetivo que tem, aumentando o número de guarda-vidas conforme o fluxo de pessoas, como nos feriados, por exemplo.

O ideal segundo ele é que os banhistas tomem banho perto dos guarda-vidas, e neste período, que procurem a praia central, que tem o serviço de segurança.

Recomendações dos bombeiros

- Não superestime sua capacidade de nadar. Avalie as consequências de um possível incidente

- Em água doce ou salgada, prefira banhar-se em locais rasos e sem correnteza

- Se notar que está sendo arrastado por uma dessas correntes, mantenha-se calmo e tente acenar ou gritar por socorro enquanto nada transversalmente (para o lado, em vez de para o raso)

- Não tente salvar pessoas vítimas de afogamento sem estar habilitado. Neste caso, lance algum objeto que a ajude a vítima a flutuar e acione guarda-vidas ou a emergência pelo telefone 193

- Crianças exigem cuidado redobrado. Não as perca de vista

- Sempre que possível, opte pelo uso do colete salva-vidas ao invés de objetos flutuantes

- Nunca nade após ingerir bebidas alcoólicas, alimentos ou se estiver passando mal ou com frio

- Evite aproximar-se de costões. Ao caminhar sobre as pedras destes ambientes, observe antes se uma onda não poderá atingi-lo e jogá-lo no mar

- Antes de mergulhar, certifique-se da profundidade. Um acidente pode provocar sequelas irreversíveis

EM LOCAL MONITORADO

- Para maior segurança, banhe-se num raio de 200m do posto de guarda-vidas

- Atente para a sinalização de praia. Observe a bandeira fixada no posto dos guarda vidas:

• Vermelha: risco elevado de afogamentos

• Amarela: risco médio de afogamentos

• Verde: risco baixo de afogamentos

- As bandeiras vermelhas na FAIXA DE AREIA indicam as correntes de retorno. Evite estes pontos.

- Sempre acate as orientações dos guarda-vidas


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Daniele Sisnandes/Página 3
Praia central é a única que tem monitoramento de guarda-vidas o ano todo
Praia central é a única que tem monitoramento de guarda-vidas o ano todo

Afogamentos alertam para necessidade de atenção nas praias

Temperaturas começam a subir, mas não há guarda-vidas em todos os pontos

Publicidade

Segunda, 24/9/2018 16:40.

Neste final de semana ocorreram pelo menos dois casos de afogamentos em praias de Balneário Camboriú. O Corpo de Bombeiros Militar pede cautela dos banhistas, porque nessa época a maioria das praias ainda está sem guarda-vidas.

Os casos

O primeiro afogamento aconteceu no sábado (22), na praia central, que tem monitoramento das 8h às 20h. Um guarda municipal que estava pelas imediações foi acionado, entrou no mar e com ajuda de populares conseguiu tirar a criança que estava se afogando. O atendimento foi finalizado pelos guarda-vidas.

Já o segundo caso, também no sábado (22), aconteceu na praia do Estaleiro, que não tem guarda-vidas e é uma praia de tombo, por isso pega muita gente desprevenida.

Dois garotos só foram salvos graças a ação de populares. Um morador contou que passava pelo costão, quando avistou dois homens tentando resgatar dois adolescentes. Eles estavam tendo dificuldades para sair e como o morador estava com sua prancha, auxiliou para que chegassem à areia.

Os quatro ficaram muito abalados e cansados. Os jovens chegaram a vomitar, mas estavam conscientes e não foi necessário chamar o serviço de urgência.

A cobrança dos moradores quanto à praia do Estaleiro e Estaleirinho é grande porque as duas receberão a Bandeira Azul, portanto ficarão cada vez mais conhecidas e movimentadas, porém sem segurança para banhistas até o começo da temporada.

O que diz o CBM

O major Maico Francisco de Alcântara, que está respondendo pelo comando do 13º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar, pede que as pessoas redobrem a atenção neste período, início de primavera, quando as temperaturas começam a subir, mas nem todos os pontos já oferecem monitoramento, especialmente nas praias agrestes.

Ele explica que existe uma questão orçamentária e por isso, a contratação de guarda-vidas civis só acontece em novembro.

Até lá, o CBM vai trabalhando com o efetivo que tem, aumentando o número de guarda-vidas conforme o fluxo de pessoas, como nos feriados, por exemplo.

O ideal segundo ele é que os banhistas tomem banho perto dos guarda-vidas, e neste período, que procurem a praia central, que tem o serviço de segurança.

Recomendações dos bombeiros

- Não superestime sua capacidade de nadar. Avalie as consequências de um possível incidente

- Em água doce ou salgada, prefira banhar-se em locais rasos e sem correnteza

- Se notar que está sendo arrastado por uma dessas correntes, mantenha-se calmo e tente acenar ou gritar por socorro enquanto nada transversalmente (para o lado, em vez de para o raso)

- Não tente salvar pessoas vítimas de afogamento sem estar habilitado. Neste caso, lance algum objeto que a ajude a vítima a flutuar e acione guarda-vidas ou a emergência pelo telefone 193

- Crianças exigem cuidado redobrado. Não as perca de vista

- Sempre que possível, opte pelo uso do colete salva-vidas ao invés de objetos flutuantes

- Nunca nade após ingerir bebidas alcoólicas, alimentos ou se estiver passando mal ou com frio

- Evite aproximar-se de costões. Ao caminhar sobre as pedras destes ambientes, observe antes se uma onda não poderá atingi-lo e jogá-lo no mar

- Antes de mergulhar, certifique-se da profundidade. Um acidente pode provocar sequelas irreversíveis

EM LOCAL MONITORADO

- Para maior segurança, banhe-se num raio de 200m do posto de guarda-vidas

- Atente para a sinalização de praia. Observe a bandeira fixada no posto dos guarda vidas:

• Vermelha: risco elevado de afogamentos

• Amarela: risco médio de afogamentos

• Verde: risco baixo de afogamentos

- As bandeiras vermelhas na FAIXA DE AREIA indicam as correntes de retorno. Evite estes pontos.

- Sempre acate as orientações dos guarda-vidas


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade