Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Judiciário suspende prazos devido à falta de combustíveis

Pedido foi formulado pela OAB/SC

Quinta, 24/5/2018 14:10.
Divulgação
Tribunal de Justiça de Santa Catarina

Publicidade

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina atendeu uma requisição da Ordem dos Advogados do Brasil/SC e determinou a suspensão dos prazos na justiça estadual por dois dias.

A OAB/SC divulgou que o pedido levou em consideração o “grave desabastecimento de combustíveis no Estado, que está impossibilitando advogados e partes em processos de comparecer a audiências e sessões de julgamento”.

“Na Grande Florianópolis e no interior a atuação da advocacia se dá em várias Comarcas, em razão da particularidade catarinense de pequenos municípios. E as próprias testemunhas e partes em processos estão com dificuldades de chegar aos fóruns. O não comparecimento de qualquer das partes traz prejuízos irreparáveis para o resultado processual”, argumentou o presidente da OAB/SC, Paulo Marcondes Brincas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação
Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Tribunal de Justiça de Santa Catarina

Judiciário suspende prazos devido à falta de combustíveis

Pedido foi formulado pela OAB/SC

Publicidade

Quinta, 24/5/2018 14:10.

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina atendeu uma requisição da Ordem dos Advogados do Brasil/SC e determinou a suspensão dos prazos na justiça estadual por dois dias.

A OAB/SC divulgou que o pedido levou em consideração o “grave desabastecimento de combustíveis no Estado, que está impossibilitando advogados e partes em processos de comparecer a audiências e sessões de julgamento”.

“Na Grande Florianópolis e no interior a atuação da advocacia se dá em várias Comarcas, em razão da particularidade catarinense de pequenos municípios. E as próprias testemunhas e partes em processos estão com dificuldades de chegar aos fóruns. O não comparecimento de qualquer das partes traz prejuízos irreparáveis para o resultado processual”, argumentou o presidente da OAB/SC, Paulo Marcondes Brincas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade