Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Apoio da população a caminhoneiros causa perplexidade, diz Economist

Clima de desconfiança causado pelos escândalos de corrupção recentes fortaleceu o movimento

Sexta, 1/6/2018 10:57.
O Tempo/Folhapress.

Publicidade

(FOLHAPRESS) - O apoio da população à paralisação dos caminhoneiros causa perplexidade, diz reportagem na revista inglesa The Economist.
O que explica o sentimento favorável às manifestações é o fato de que os brasileiros ainda pagam impostos altos e não recebem serviços de qualidade em troca e, devido aos escândalos de corrupção, têm um sentimento de indignação generalizada contra a classe política, segundo a publicação.

A reportagem, publicada na edição que vai às bancas neste sábado (2), aponta que o presidente Michel Temer cedeu à pressão da categoria ("caminhoneiros autônomos usando o WhatsApp") para evitar o colapso político e econômico do país.

A presença de apoiadores de uma eventual intervenção militar entre os caminhoneiros também foi tratada com surpresa pelo jornal britânico Guardian.

De acordo com a publicação, o assunto é "profundamente polêmico no Brasil, que viveu sob uma ditadura militar por 21 anos, durante a qual centenas inimigos do regime eram executados e torturados", diz a reportagem da última quarta-feira (30).

O jornal também afirma que o clima de desconfiança causado pelos escândalos de corrupção recentes fortaleceu o movimento daqueles que defendem uma intervenção militar.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
O Tempo/Folhapress.

Apoio da população a caminhoneiros causa perplexidade, diz Economist

Clima de desconfiança causado pelos escândalos de corrupção recentes fortaleceu o movimento

Publicidade

Sexta, 1/6/2018 10:57.

(FOLHAPRESS) - O apoio da população à paralisação dos caminhoneiros causa perplexidade, diz reportagem na revista inglesa The Economist.
O que explica o sentimento favorável às manifestações é o fato de que os brasileiros ainda pagam impostos altos e não recebem serviços de qualidade em troca e, devido aos escândalos de corrupção, têm um sentimento de indignação generalizada contra a classe política, segundo a publicação.

A reportagem, publicada na edição que vai às bancas neste sábado (2), aponta que o presidente Michel Temer cedeu à pressão da categoria ("caminhoneiros autônomos usando o WhatsApp") para evitar o colapso político e econômico do país.

A presença de apoiadores de uma eventual intervenção militar entre os caminhoneiros também foi tratada com surpresa pelo jornal britânico Guardian.

De acordo com a publicação, o assunto é "profundamente polêmico no Brasil, que viveu sob uma ditadura militar por 21 anos, durante a qual centenas inimigos do regime eram executados e torturados", diz a reportagem da última quarta-feira (30).

O jornal também afirma que o clima de desconfiança causado pelos escândalos de corrupção recentes fortaleceu o movimento daqueles que defendem uma intervenção militar.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade