Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Reportagem do “Fantástico” sobre Balneário Camboriú ficou no morde e assopra

"Que vão se abugiar" sugere o historiador-cicerone

Segunda, 8/1/2018 10:50.

Publicidade

A reportagem “Arranha-céus de Balneário Camboriú roubam o sol de quem está na praia”, levada ao ar ontem no “Fantástico”, bem que tentou desqualificar Balneário Camboriú devido à falta de sol na faixa de areia após 15h30, mas não teve sucesso porque a repórter encontrou poucos entrevistados dispostos a falar mal da cidade.

Na ausência de fonte negativas a reportagem acabou sendo uma divulgação nacional gratuita da cidade e dos seus edifícios.

Num trecho a atriz Sharon Stone que protagonizou campanha publicitária para uma construtora local tece fartos elogios a Balneário Camboriú.

Em outro, um corretor de imóveis mostra que no prédio que será o mais alto da cidade -e do Brasil- o Yachthouse, passarão temporadas Neymar Junior e outras celebridades.

Na falta do que criticar a repórter descreveu que tantos edifícios criaram corredores de vento.

Só quem criticou abertamente foi o ambientalista e professor Marcos Polette alegando que com tantos edifícios, por volta de 2030 a cidade terá problemas de abastecimento de água. Foi desmentido pelo prefeito Fabrício Oliveira.

O historiador Isaque de Borba Corrêa que ciceroneou a repórter em Balneário Camboriú não gostou do resultado e postou o seguinte comentário em rede social:

A CULPA DOS VENTOS EM BC SÃO OS PRÉDIOS.

Por algum tempo, temi que fosse pior. Aquilo que saiu de mim no ar foi em off. O meu depoimento mesmo não saiu nada.

Fui encurralado para responder sobre sombra. Sem sequer sonhar que era pegadinha, elogiei como sempre a sombra.

Eu quando vou em praia sempre procuro sombra. Questionei os guardas-sóis, mostrei a Prainha com pessoal debaixo da aroeira. Mostrei que a sombra vai até um pouco depois do centro. Por isso filmamos lá de cima do corpo de bombeiros, para mostrar que no Pontal Sul não tem sombra.

Levei lá na passarela para mostrar que não tinha sombra. Falei da praia ensolarada na melhor parte do dia que é de manhã e que isso é irrelevante porque fica todo mundo na sombra.

Como na sombra ela não me pegou. Daí o assunto passou pro esgoto, engarrafamentos e outros impactos ambientais. Nada disso ela me pegou. Só nos prefeitos. Ela pegou forte na questão dos ex-prefeitos da construção.

Me perguntou se o Fabrício era da construção, tudo em off. Daí falei que não – “SÓ O VICE, O VICE SIM”.

-Ele é construtor grande ou mixuruca? - Bem assim.

- Não, é dos grandes, falei cheio de orgulho do meu amigo. Um dos maiores da cidade. Ainda mostrei o prédio dele lá de cima e outro em construção nos fundos do infinity.

Me perguntou o nome do Vice. Tive a noção de enrolar e não dizer, mas o amigo Rick tão inocente quanto eu, ditou o nome. Foi tão em off que o Rick chegou a se aproximar do nosso lado nesse momento. Fiquei meio triste por ter usado o nome do Carlos Humberto de forma meio capciosa. No frigir dos ovos acredito que noves fora, saímos ganhando. Imagens lindas da cidade. Vamos em frente, Deus tem mais para dar que o diabo para tirar. E que vão se abugiar.

Para assistir a reportagem clique aqui.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Reportagem do “Fantástico” sobre Balneário Camboriú ficou no morde e assopra

"Que vão se abugiar" sugere o historiador-cicerone

Publicidade

Segunda, 8/1/2018 10:50.

A reportagem “Arranha-céus de Balneário Camboriú roubam o sol de quem está na praia”, levada ao ar ontem no “Fantástico”, bem que tentou desqualificar Balneário Camboriú devido à falta de sol na faixa de areia após 15h30, mas não teve sucesso porque a repórter encontrou poucos entrevistados dispostos a falar mal da cidade.

Na ausência de fonte negativas a reportagem acabou sendo uma divulgação nacional gratuita da cidade e dos seus edifícios.

Num trecho a atriz Sharon Stone que protagonizou campanha publicitária para uma construtora local tece fartos elogios a Balneário Camboriú.

Em outro, um corretor de imóveis mostra que no prédio que será o mais alto da cidade -e do Brasil- o Yachthouse, passarão temporadas Neymar Junior e outras celebridades.

Na falta do que criticar a repórter descreveu que tantos edifícios criaram corredores de vento.

Só quem criticou abertamente foi o ambientalista e professor Marcos Polette alegando que com tantos edifícios, por volta de 2030 a cidade terá problemas de abastecimento de água. Foi desmentido pelo prefeito Fabrício Oliveira.

O historiador Isaque de Borba Corrêa que ciceroneou a repórter em Balneário Camboriú não gostou do resultado e postou o seguinte comentário em rede social:

A CULPA DOS VENTOS EM BC SÃO OS PRÉDIOS.

Por algum tempo, temi que fosse pior. Aquilo que saiu de mim no ar foi em off. O meu depoimento mesmo não saiu nada.

Fui encurralado para responder sobre sombra. Sem sequer sonhar que era pegadinha, elogiei como sempre a sombra.

Eu quando vou em praia sempre procuro sombra. Questionei os guardas-sóis, mostrei a Prainha com pessoal debaixo da aroeira. Mostrei que a sombra vai até um pouco depois do centro. Por isso filmamos lá de cima do corpo de bombeiros, para mostrar que no Pontal Sul não tem sombra.

Levei lá na passarela para mostrar que não tinha sombra. Falei da praia ensolarada na melhor parte do dia que é de manhã e que isso é irrelevante porque fica todo mundo na sombra.

Como na sombra ela não me pegou. Daí o assunto passou pro esgoto, engarrafamentos e outros impactos ambientais. Nada disso ela me pegou. Só nos prefeitos. Ela pegou forte na questão dos ex-prefeitos da construção.

Me perguntou se o Fabrício era da construção, tudo em off. Daí falei que não – “SÓ O VICE, O VICE SIM”.

-Ele é construtor grande ou mixuruca? - Bem assim.

- Não, é dos grandes, falei cheio de orgulho do meu amigo. Um dos maiores da cidade. Ainda mostrei o prédio dele lá de cima e outro em construção nos fundos do infinity.

Me perguntou o nome do Vice. Tive a noção de enrolar e não dizer, mas o amigo Rick tão inocente quanto eu, ditou o nome. Foi tão em off que o Rick chegou a se aproximar do nosso lado nesse momento. Fiquei meio triste por ter usado o nome do Carlos Humberto de forma meio capciosa. No frigir dos ovos acredito que noves fora, saímos ganhando. Imagens lindas da cidade. Vamos em frente, Deus tem mais para dar que o diabo para tirar. E que vão se abugiar.

Para assistir a reportagem clique aqui.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade