Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Câmara instaurou CPI sobre irregularidades na prefeitura de Balneário Camboriú

Aparentemente atrasada há cinco meses comissão nomeada por Fabrício não é clara sobre relatório

Quarta, 7/2/2018 9:50.
Marcio Gonçalves
Ontem foi a abertura do ano legislativo e logo de cara uma CPI.

Publicidade

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú aprovou ontem à noite, a abertura de CPI “investigar e apurar responsabilidades pelos fatos ocorridos constantes na auditoria interna realizada pela Divisão de Auditoria Geral do Município de Balneário Camboriú, no período de 04/05/2016 a 20/10/2016 junto aos órgãos da Secretaria de Planejamento e Gestão Orçamentária e Secretaria da Fazenda”.

Essa auditoria, concluída no final do governo Piriquito, apontou irregularidades que não existiam e outras que existiram.

Após a conclusão daquela auditoria o engenheiro responsável pela aprovação de projetos na secretaria de Planejamento foi assassinado, reforçando a desconfiança de falcatruas envolvendo construções.

Em 24 de fevereiro do ano passado o prefeito Fabrício Oliveira nomeou por decreto uma comissão composta por Victor Domingues (Secretário de Controle Governamental e Transparência Pública) José Galvani Alberton (Procurador-Geral do Município) e Edson Kratz, Secretário de Planejamento e Obras) para apurar os fatos num prazo de seis meses.

Ontem a reportagem do Página 3 solicitou cópia do resultado do trabalho dessa comissão e a resposta do presidente da comissão, Victor Domingues, através da assessoria de imprensa foi que “não estava pronto, mas seria enviada hoje de manhã”.

Na verdade o prazo para concluir o trabalho era 24 de agosto portanto é estranho que o relatório conclusivo só tenha ficado pronto na noite em que foi votada a instauração da CPI.

A reportagem não conseguiu contato com os dois outros membros da comissão para verificar se a afirmativa de Victor procede ou não.

A reportagem apurou também que a primeira medida da CPI será requisitar esse relatório.

A CPI é composta por Marcelo Achutti (que a requisitou); Gelson Rodrigues; Patrick Machado; Joceli Nazari e um membro do PMDB que será indicado nas próximas horas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Marcio Gonçalves
Ontem foi a abertura do ano legislativo e logo de cara uma CPI.
Ontem foi a abertura do ano legislativo e logo de cara uma CPI.

Câmara instaurou CPI sobre irregularidades na prefeitura de Balneário Camboriú

Aparentemente atrasada há cinco meses comissão nomeada por Fabrício não é clara sobre relatório

Publicidade

Quarta, 7/2/2018 9:50.

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú aprovou ontem à noite, a abertura de CPI “investigar e apurar responsabilidades pelos fatos ocorridos constantes na auditoria interna realizada pela Divisão de Auditoria Geral do Município de Balneário Camboriú, no período de 04/05/2016 a 20/10/2016 junto aos órgãos da Secretaria de Planejamento e Gestão Orçamentária e Secretaria da Fazenda”.

Essa auditoria, concluída no final do governo Piriquito, apontou irregularidades que não existiam e outras que existiram.

Após a conclusão daquela auditoria o engenheiro responsável pela aprovação de projetos na secretaria de Planejamento foi assassinado, reforçando a desconfiança de falcatruas envolvendo construções.

Em 24 de fevereiro do ano passado o prefeito Fabrício Oliveira nomeou por decreto uma comissão composta por Victor Domingues (Secretário de Controle Governamental e Transparência Pública) José Galvani Alberton (Procurador-Geral do Município) e Edson Kratz, Secretário de Planejamento e Obras) para apurar os fatos num prazo de seis meses.

Ontem a reportagem do Página 3 solicitou cópia do resultado do trabalho dessa comissão e a resposta do presidente da comissão, Victor Domingues, através da assessoria de imprensa foi que “não estava pronto, mas seria enviada hoje de manhã”.

Na verdade o prazo para concluir o trabalho era 24 de agosto portanto é estranho que o relatório conclusivo só tenha ficado pronto na noite em que foi votada a instauração da CPI.

A reportagem não conseguiu contato com os dois outros membros da comissão para verificar se a afirmativa de Victor procede ou não.

A reportagem apurou também que a primeira medida da CPI será requisitar esse relatório.

A CPI é composta por Marcelo Achutti (que a requisitou); Gelson Rodrigues; Patrick Machado; Joceli Nazari e um membro do PMDB que será indicado nas próximas horas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade