Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Colega de oceanógrafo assassinado manifesta sua opinião

Terça, 3/1/2017 13:55.

Caro Editor do Página 3, Waldemar Cezar Neto

Gostaria de me manifestar publicamente, referente ao lamentável ocorrido na madrugada deste dia primeiro, às 03:20 horas, na rua 2650, quando Wiliam Gardelin, 29 anos, oceanógrafo, morador residente de Balneário Camboriú, meu amigo, colega, e meu ex-funcionário, foi covardemente assassino por dois bárbaros de plantão.

Na realidade, o que estamos presenciando em Balneário Camboriú e Camboriú é que os bandidos, marginais, pululam livremente pela cidade (na realidade, pelas duas cidades, Balneário Camboriú e Camboriú), comercializando drogas, praticando assaltos, realizando sequestros ralâmpagos, e eventualmente, cometendo algum crime, seja para queima de arquivo, ou simplesmente queimar (matar, aniquilar) um mau pagador e consumidor de drogas, ou um traficante rival.

Em algumas oportunidades, após um assalto ou sequestro, tiram a vida de inocentes moradores e/ou turistas de nossa cidade, como este lamentável, covarde e injusto assassinato do Wiliam.

Isso é, estamos à mercê da marginália do crime, do tráfico das drogas, e não posso admitir que aceitemos como se tudo isso não estivesse acontecendo em nossas cidades.

Pessoal, somos uma cidade turística, civilizada, somos talvez o mais importante destino turístico de Santa Catarina, um dos mais importantes do Cone Sul. Temos orgulho de sermos catarinenses, e talvez, o lado diferencial deste país injusto.

Mas fazem menos de 2 anos, meu sócio, em plena Praia dos Amores, perto das 24 horas, foi assaltado e viveu um sequestro relâmpago……Teve sorte, pois conseguiu fugir da marginália, dois meninos, "de menores", de dentro do carro, lá no Morro do Boi. Ficaram com a carteira, o carro, o celular, e o computador…

Na polícia, de posse do rastreador do celular, disse ao delegado: o marginal está no local tal…Vamos lá….Que nada. Disse o delegado: sei que aquele local é um ponto de desova de material de roubo, mas para entrarmos lá, precisamos de uma autorização judicial, e isso é moroso.

Bom, o carro foi recuperado pela Policia Militar dois dias depois, em Camboriú. Bom, meu sócio teve seu carro de volta…e pasmem, de forma incrível, dois dias depois, às 14 horas de um dia ensolarado, o "de menor" retornou ao local do crime, na Praia dos Amores, e furtou mais uma vez o mesmo veículo.

Acreditamos que foi birra...

Dois dias depois, um dos dois “de menor” foi preso, dentro do carro, no estacionamento de uma casa noturna famosa de Camboriú, certamente, fazendo o que sabe fazer: tráfico de drogas.

Pasmem os senhores, o de menor foi liberado, por ser menor…assim que os pais o pegaram na Delegacia.

Isso é, mesmo tendo cometido um assalto, sequestro, a mão armada, o “de menor” foi rapidamente solto.

Bom, tínhamos o nome do rapaz, e fomos bisbilhotar nas redes sociais…O "de menor", tem página no Facebook, onde ostenta a sua motocicleta de alta cilindrada, de vários milhares de reais, roupas de grifes, etc….e posando de marginal, de homem ("de menor") do crime, do tráfico.

Poucos meses depois, outro colega meu foi abordado em plena luz do dia em uma rua central de Balneário, por dois rapazes, sendo que um estava armado.

Não sabiam eles que este meu colega era faixa preta de taekwondo. Imobilizou os dois "de menores", retirou a sua arma, e a apontou para suas cabeças, mas não disparou……Disse a eles, fujam, corram, enquanto ainda há tempo…

Pois fazer o que? Chamar a polícia? Com uma arma na mão? Pois os dois assaltantes, marginais eram "de menor" e ele de maior. E, agravante, com uma arma na mão….já que o porte de arma, em via pública, é proibido, e pode certamente dar cadeia e muita incomodação ao meu amigo.

Esta é a Balneário Camboriú que estamos vivendo, e lamento estas discussões desnecessárias entre o comandante da Policia Militar e o Waldemar Cezar Neto, pois ambos, estão na mesma cruzada, ambos estão brigando ao lado da justiça, por uma Balneário mais justa, sem violência, sem crimes.

O Waldemar Cezar tentando através da imprensa, justa, limpa, e nunca marrom, clamar por uma cidade melhor, uma Balneário Camboriú, limpa, pujante, cheia de gente de bem, longe do crime, longe do tráfico de drogas…

E o Comandante Hoffman, em seu trabalho pesado e ingrato, de proteger a cidade, de limpar a cidade desta marginália sem escrúpulos e assassina……e infelizmente, não tem ninguém do lado dele.

Onde está o Ministério Público? Certamente que a justiça brasileira é muito injusta, sabemos que os policiais, depois do "de menor" ou até mesmo o "de maior" serem presos, ficam mais tempo retidos na Delegacia preenchendo documentos e dando satisfações aos policiais sobre a ocorrência do que os marginais... que assim que os pais chegam levam os seus queridos filhos para os seus lares….

Fazer o quê?

Por isso conclamo ao Prefeito Fabricio de Oliveira, recém empossado: por favor, dê atenção a esta triste realidade. Por favor, sente com os prefeitos de Camboriú e de Itajaí e vamos resolver este problema, juntamente com a Policia Militar, e com o Ministério Público... todos em uma mesma cruzada.

Se por acaso não é possível acabarmos com o crime no Brasil, vamos ao menos, levar, empurrar, estes marginais, para longe de nossa região…acho que os empresários tem a sua boa dose de responsabilidade nesta realidade… especialmente os empresários do entretenimento noturno…

Sim, pois os marginais vêm fazer o comércio de drogas, para alimentar os frequentadores de nossas badaladas (e sofisticadas) casas noturnas, e nas folgas, ou nas oportunidades, estes marginais, por várias razões, em paralelo à venda de drogas, cometem os crimes, sejam eles pequenos furtos, ou sequestros relâmpago e, em algumas oportunidades, crimes, crimes de jovens inocentes, que tinham um futuro promissor pela frente…

Lamento por tudo…Lamento pelo Wiliam Gardelim, lamento pela falta que fará a sua família, lamento a perda de seus amigos, lamento que Balneário toda esta chorando pelo Wiliam, está chorando por esta triste realidade..

E lamento pela falta de condições da Polícia Militar, lamento pelo Justiça brasileira, que de justa, tem muito pouco.

E lamento por esta discussão entre dois sujeitos que estão fazendo o seu trabalho, estão dando o melhor de si, como cidadãos, pelo bem de Balneário Camboriú…..seja o Waldemar Cezar, seja o Comandante Hoffman.

Fernando Diehl, Oceanógrafo, Morador de Balneário Camboriú 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Colega de oceanógrafo assassinado manifesta sua opinião

Terça, 3/1/2017 13:55.

Caro Editor do Página 3, Waldemar Cezar Neto

Gostaria de me manifestar publicamente, referente ao lamentável ocorrido na madrugada deste dia primeiro, às 03:20 horas, na rua 2650, quando Wiliam Gardelin, 29 anos, oceanógrafo, morador residente de Balneário Camboriú, meu amigo, colega, e meu ex-funcionário, foi covardemente assassino por dois bárbaros de plantão.

Na realidade, o que estamos presenciando em Balneário Camboriú e Camboriú é que os bandidos, marginais, pululam livremente pela cidade (na realidade, pelas duas cidades, Balneário Camboriú e Camboriú), comercializando drogas, praticando assaltos, realizando sequestros ralâmpagos, e eventualmente, cometendo algum crime, seja para queima de arquivo, ou simplesmente queimar (matar, aniquilar) um mau pagador e consumidor de drogas, ou um traficante rival.

Em algumas oportunidades, após um assalto ou sequestro, tiram a vida de inocentes moradores e/ou turistas de nossa cidade, como este lamentável, covarde e injusto assassinato do Wiliam.

Isso é, estamos à mercê da marginália do crime, do tráfico das drogas, e não posso admitir que aceitemos como se tudo isso não estivesse acontecendo em nossas cidades.

Pessoal, somos uma cidade turística, civilizada, somos talvez o mais importante destino turístico de Santa Catarina, um dos mais importantes do Cone Sul. Temos orgulho de sermos catarinenses, e talvez, o lado diferencial deste país injusto.

Mas fazem menos de 2 anos, meu sócio, em plena Praia dos Amores, perto das 24 horas, foi assaltado e viveu um sequestro relâmpago……Teve sorte, pois conseguiu fugir da marginália, dois meninos, "de menores", de dentro do carro, lá no Morro do Boi. Ficaram com a carteira, o carro, o celular, e o computador…

Na polícia, de posse do rastreador do celular, disse ao delegado: o marginal está no local tal…Vamos lá….Que nada. Disse o delegado: sei que aquele local é um ponto de desova de material de roubo, mas para entrarmos lá, precisamos de uma autorização judicial, e isso é moroso.

Bom, o carro foi recuperado pela Policia Militar dois dias depois, em Camboriú. Bom, meu sócio teve seu carro de volta…e pasmem, de forma incrível, dois dias depois, às 14 horas de um dia ensolarado, o "de menor" retornou ao local do crime, na Praia dos Amores, e furtou mais uma vez o mesmo veículo.

Acreditamos que foi birra...

Dois dias depois, um dos dois “de menor” foi preso, dentro do carro, no estacionamento de uma casa noturna famosa de Camboriú, certamente, fazendo o que sabe fazer: tráfico de drogas.

Pasmem os senhores, o de menor foi liberado, por ser menor…assim que os pais o pegaram na Delegacia.

Isso é, mesmo tendo cometido um assalto, sequestro, a mão armada, o “de menor” foi rapidamente solto.

Bom, tínhamos o nome do rapaz, e fomos bisbilhotar nas redes sociais…O "de menor", tem página no Facebook, onde ostenta a sua motocicleta de alta cilindrada, de vários milhares de reais, roupas de grifes, etc….e posando de marginal, de homem ("de menor") do crime, do tráfico.

Poucos meses depois, outro colega meu foi abordado em plena luz do dia em uma rua central de Balneário, por dois rapazes, sendo que um estava armado.

Não sabiam eles que este meu colega era faixa preta de taekwondo. Imobilizou os dois "de menores", retirou a sua arma, e a apontou para suas cabeças, mas não disparou……Disse a eles, fujam, corram, enquanto ainda há tempo…

Pois fazer o que? Chamar a polícia? Com uma arma na mão? Pois os dois assaltantes, marginais eram "de menor" e ele de maior. E, agravante, com uma arma na mão….já que o porte de arma, em via pública, é proibido, e pode certamente dar cadeia e muita incomodação ao meu amigo.

Esta é a Balneário Camboriú que estamos vivendo, e lamento estas discussões desnecessárias entre o comandante da Policia Militar e o Waldemar Cezar Neto, pois ambos, estão na mesma cruzada, ambos estão brigando ao lado da justiça, por uma Balneário mais justa, sem violência, sem crimes.

O Waldemar Cezar tentando através da imprensa, justa, limpa, e nunca marrom, clamar por uma cidade melhor, uma Balneário Camboriú, limpa, pujante, cheia de gente de bem, longe do crime, longe do tráfico de drogas…

E o Comandante Hoffman, em seu trabalho pesado e ingrato, de proteger a cidade, de limpar a cidade desta marginália sem escrúpulos e assassina……e infelizmente, não tem ninguém do lado dele.

Onde está o Ministério Público? Certamente que a justiça brasileira é muito injusta, sabemos que os policiais, depois do "de menor" ou até mesmo o "de maior" serem presos, ficam mais tempo retidos na Delegacia preenchendo documentos e dando satisfações aos policiais sobre a ocorrência do que os marginais... que assim que os pais chegam levam os seus queridos filhos para os seus lares….

Fazer o quê?

Por isso conclamo ao Prefeito Fabricio de Oliveira, recém empossado: por favor, dê atenção a esta triste realidade. Por favor, sente com os prefeitos de Camboriú e de Itajaí e vamos resolver este problema, juntamente com a Policia Militar, e com o Ministério Público... todos em uma mesma cruzada.

Se por acaso não é possível acabarmos com o crime no Brasil, vamos ao menos, levar, empurrar, estes marginais, para longe de nossa região…acho que os empresários tem a sua boa dose de responsabilidade nesta realidade… especialmente os empresários do entretenimento noturno…

Sim, pois os marginais vêm fazer o comércio de drogas, para alimentar os frequentadores de nossas badaladas (e sofisticadas) casas noturnas, e nas folgas, ou nas oportunidades, estes marginais, por várias razões, em paralelo à venda de drogas, cometem os crimes, sejam eles pequenos furtos, ou sequestros relâmpago e, em algumas oportunidades, crimes, crimes de jovens inocentes, que tinham um futuro promissor pela frente…

Lamento por tudo…Lamento pelo Wiliam Gardelim, lamento pela falta que fará a sua família, lamento a perda de seus amigos, lamento que Balneário toda esta chorando pelo Wiliam, está chorando por esta triste realidade..

E lamento pela falta de condições da Polícia Militar, lamento pelo Justiça brasileira, que de justa, tem muito pouco.

E lamento por esta discussão entre dois sujeitos que estão fazendo o seu trabalho, estão dando o melhor de si, como cidadãos, pelo bem de Balneário Camboriú…..seja o Waldemar Cezar, seja o Comandante Hoffman.

Fernando Diehl, Oceanógrafo, Morador de Balneário Camboriú 

Publicidade

Publicidade