Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Página 3 já mostrou no passado que comandante da PM manipula informações
Página 3 não aceita manipulação de informações por parte de servidores públicos.

Terça, 3/1/2017 7:18.

O episódio em que o comandante da PM local, José Evaldo Hoffmann Junior, alega que na Operação Réveillon não houve ocorrências relevantes, mesmo sabendo que um morador foi assaltado e morto a 300 metros de distância da praia central, não é o primeiro em que aquele oficial manipula informações.      

 

Em ocasiões anteriores o Página 3 informou que o comandante do 12 BPM manipulou informações para esconder da sociedade a real situação da segurança pública.

Prepotente, em represália ao noticiário Evaldo Hoffmann há mais de um ano cortou o editor do Página 3, Waldemar Cezar Neto, da lista de jornalista que recebem diariamente os boletins policiais.

Em junho de 2015 o Página 3 informou que a Polícia Militar em Balneário Camboriú estava maquiando as informações que enviava diariamente à imprensa e dessa forma escondendo do público a maioria das ocorrências.

Nos comunicados constavam quase que apenas os casos em que os criminosos foram presos.

Na ocasião o Página 3 informou que desde a troca do comando da PM na cidade a maquiagem das informações passou a ocorrer. Em raríssimos informativos distribuídos à imprensa os criminosos escaparam, sempre foram presos.

Antes da troca do comando acontecia exatamente o contrário, na maioria dos crimes cometidos os criminosos escapavam e essa é a realidade há anos, uma série de furtos e assaltos sem a identificação ou prisão dos culpados.

Continuava sendo assim, mas o comandante adulterava a realidade.

O Página 3 existe há 25 anos na cidade e nunca teve atrito de espécie alguma com policiais militares, pelo contrário sempre foram ótimas as relações com os soldados e os oficiais. 

Só com esse comandante existem atritos porque ele manipula informações, é arbitrário e o Página 3 não aceita este comportamento.

Em abril deste ano o Página 3 noticiou novamente a manipulação de informações por parte do comandante da Polícia Militar, ao repercutir reclamações de moradores da Interpraias.

Esses moradores postaram nas redes sociais que “a imprensa não divulgou, mas de segunda-feira até sexta-feira (entre os dias 4 e 8) tivemos as seguintes ocorrências na Região da Interpraias: domingo para segunda furto em quiosque na Praia do Estaleirinho; terça à noite, às 21h, assalto com emprego de arma de fogo em estabelecimento comercial na Praia do Estaleirinho; quarta para quinta, 1h da manhã, assalto à residência na Praia do Estaleirinho, levando cerca de R$ 6 mil e amarrando os proprietários, e quinta para sexta assalto também na Rodovia Interpraias levando uma S10, veículo já recuperado e bandidos capturados”.

O Página 3 não noticiou porque as informações foram maquiadas, dessas ocorrências o jornal só ficou sabendo da última, por coincidência a única em que a PM teve sucesso recuperando o veículo.

Região sob criminalidade endêmica

Em 2016 os municípios de Balneário Camboriú e Camboriú, área sob responsabilidade do 12 BPM, registrou 23 homicídios.

As duas cidade somadas têm 210 mil habitantes portanto 23 homicídios em um ano coloca a região no que os especialistas definem como criminalidade endêmica.

Neste ano de 2017, em apenas três dias aconteceram dois homicídios em Balneário Camboriú.  

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Balneário Camboriú passa a ser a cidade brasileira com mais bandeiras azuis


Política

Estratégia é oferecer cargos nos Estados aos deputados avulsos


Justiça

Ele considera ilegal a lei municipal que permitiu o empreendimento 


Cidade

O acordo põe fim a anos de insegurança e desgaste jurídico


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Página 3 já mostrou no passado que comandante da PM manipula informações

Página 3 não aceita manipulação de informações por parte de servidores públicos.
Página 3 não aceita manipulação de informações por parte de servidores públicos.
Terça, 3/1/2017 7:18.

O episódio em que o comandante da PM local, José Evaldo Hoffmann Junior, alega que na Operação Réveillon não houve ocorrências relevantes, mesmo sabendo que um morador foi assaltado e morto a 300 metros de distância da praia central, não é o primeiro em que aquele oficial manipula informações.      

 

Em ocasiões anteriores o Página 3 informou que o comandante do 12 BPM manipulou informações para esconder da sociedade a real situação da segurança pública.

Prepotente, em represália ao noticiário Evaldo Hoffmann há mais de um ano cortou o editor do Página 3, Waldemar Cezar Neto, da lista de jornalista que recebem diariamente os boletins policiais.

Em junho de 2015 o Página 3 informou que a Polícia Militar em Balneário Camboriú estava maquiando as informações que enviava diariamente à imprensa e dessa forma escondendo do público a maioria das ocorrências.

Nos comunicados constavam quase que apenas os casos em que os criminosos foram presos.

Na ocasião o Página 3 informou que desde a troca do comando da PM na cidade a maquiagem das informações passou a ocorrer. Em raríssimos informativos distribuídos à imprensa os criminosos escaparam, sempre foram presos.

Antes da troca do comando acontecia exatamente o contrário, na maioria dos crimes cometidos os criminosos escapavam e essa é a realidade há anos, uma série de furtos e assaltos sem a identificação ou prisão dos culpados.

Continuava sendo assim, mas o comandante adulterava a realidade.

O Página 3 existe há 25 anos na cidade e nunca teve atrito de espécie alguma com policiais militares, pelo contrário sempre foram ótimas as relações com os soldados e os oficiais. 

Só com esse comandante existem atritos porque ele manipula informações, é arbitrário e o Página 3 não aceita este comportamento.

Em abril deste ano o Página 3 noticiou novamente a manipulação de informações por parte do comandante da Polícia Militar, ao repercutir reclamações de moradores da Interpraias.

Esses moradores postaram nas redes sociais que “a imprensa não divulgou, mas de segunda-feira até sexta-feira (entre os dias 4 e 8) tivemos as seguintes ocorrências na Região da Interpraias: domingo para segunda furto em quiosque na Praia do Estaleirinho; terça à noite, às 21h, assalto com emprego de arma de fogo em estabelecimento comercial na Praia do Estaleirinho; quarta para quinta, 1h da manhã, assalto à residência na Praia do Estaleirinho, levando cerca de R$ 6 mil e amarrando os proprietários, e quinta para sexta assalto também na Rodovia Interpraias levando uma S10, veículo já recuperado e bandidos capturados”.

O Página 3 não noticiou porque as informações foram maquiadas, dessas ocorrências o jornal só ficou sabendo da última, por coincidência a única em que a PM teve sucesso recuperando o veículo.

Região sob criminalidade endêmica

Em 2016 os municípios de Balneário Camboriú e Camboriú, área sob responsabilidade do 12 BPM, registrou 23 homicídios.

As duas cidade somadas têm 210 mil habitantes portanto 23 homicídios em um ano coloca a região no que os especialistas definem como criminalidade endêmica.

Neste ano de 2017, em apenas três dias aconteceram dois homicídios em Balneário Camboriú.  

Publicidade

Publicidade