Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Confusão virtual: página do Facebook revolta Polícia Militar
Reprodução

Segunda, 16/1/2017 11:55.

Uma postagem da página do Facebook ‘O Balneocamboriuense’ causou revolta de policiais de Balneário Camboriú, pois teria colocado a Polícia Militar como “bandida”. No vídeo, postado na semana passada, aparecem quatro viaturas da Polícia Militar atendendo uma ocorrência envolvendo um vendedor ambulante ilegal.

Entenda o caso

Na publicação aparecem fotos do caso, que aconteceu na quinta-feira (12), na Avenida Atlântica esquina com a Alvin Bauer. A legenda “4 viaturas da PM pra recolher a mercadoria de um ambulante. Imagina se fosse um ladrão”, foi o estopim para a revolta da corporação.

O cabo do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Denício Rosa, responsável pelo setor de Comunicação, relatou o ocorrido no grupo da imprensa no WhatsApp e esclarecendo fatos.

“Qual o objetivo dessa manchete? Sem saber o que aconteceu, sem perguntar o que aconteceu, sem mostrar o que realmente aconteceu? Como se a polícia fosse a bandida e o resto do mundo vítima de uma opressão descabida”, escreveu.

O policial lembrou ainda que a Polícia Militar considera a atitude da pessoa por trás da postagem ‘infeliz’ e que a repudiam.

PM explica a ação

Ao Página 3, Denício esclareceu que duas fiscais da prefeitura abordaram um ambulante que não possuía alvará. Ele estava comercializando óculos de sol falsificados.

A população não gostou e investiu contra as fiscais. Na hora, uma viatura passava por lá e as servidoras da prefeitura pediram ajuda. “Os policiais foram ajudar e nisso a população investiu também contra os PMs. Foi necessário apoio, e por isso vieram as outras três viaturas”, destaca.

Denício informou que houve uma grande muvuca e que a população cercou os policiais que atendiam a ocorrência, pedindo que liberassem o ambulante. “Tentamos nos proteger e ajudar as fiscais, por isso pedimos por reforço”, completou.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Confusão virtual: página do Facebook revolta Polícia Militar

Reprodução
Segunda, 16/1/2017 11:55.

Uma postagem da página do Facebook ‘O Balneocamboriuense’ causou revolta de policiais de Balneário Camboriú, pois teria colocado a Polícia Militar como “bandida”. No vídeo, postado na semana passada, aparecem quatro viaturas da Polícia Militar atendendo uma ocorrência envolvendo um vendedor ambulante ilegal.

Entenda o caso

Na publicação aparecem fotos do caso, que aconteceu na quinta-feira (12), na Avenida Atlântica esquina com a Alvin Bauer. A legenda “4 viaturas da PM pra recolher a mercadoria de um ambulante. Imagina se fosse um ladrão”, foi o estopim para a revolta da corporação.

O cabo do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Denício Rosa, responsável pelo setor de Comunicação, relatou o ocorrido no grupo da imprensa no WhatsApp e esclarecendo fatos.

“Qual o objetivo dessa manchete? Sem saber o que aconteceu, sem perguntar o que aconteceu, sem mostrar o que realmente aconteceu? Como se a polícia fosse a bandida e o resto do mundo vítima de uma opressão descabida”, escreveu.

O policial lembrou ainda que a Polícia Militar considera a atitude da pessoa por trás da postagem ‘infeliz’ e que a repudiam.

PM explica a ação

Ao Página 3, Denício esclareceu que duas fiscais da prefeitura abordaram um ambulante que não possuía alvará. Ele estava comercializando óculos de sol falsificados.

A população não gostou e investiu contra as fiscais. Na hora, uma viatura passava por lá e as servidoras da prefeitura pediram ajuda. “Os policiais foram ajudar e nisso a população investiu também contra os PMs. Foi necessário apoio, e por isso vieram as outras três viaturas”, destaca.

Denício informou que houve uma grande muvuca e que a população cercou os policiais que atendiam a ocorrência, pedindo que liberassem o ambulante. “Tentamos nos proteger e ajudar as fiscais, por isso pedimos por reforço”, completou.

Publicidade

Publicidade