Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Morreu Dulce Magalhães, ativista da cultura da paz no mundo
Reprodução

Segunda, 6/2/2017 16:57.

A palestrante, filósofa, pesquisadora e ex-diretora da Associação Empresarial da Região Metropolitana de Florianópolis (Aemflo), Dulce Magalhães morreu nesta segunda-feira em São Paulo. A causa da morte ainda não foi divulgada. Segundo a Aemflo, o corpo deverá chegar a Florianópolis nesta noite.

Dulce era uma ativista da causa da paz. Era uma das 10 mais requisitadas palestrantes do país. Ministrou mais de mil palestras e tinha 16 livros publicados. Fazia parte de um comitê de 80 lideranças mundiais para elaboração de um Programa Global de Cultura e Paz.

No final do ano passado, ajudou a trazer o 10º Fórum Mundial da Paz para Florianópolis. Há 25 anos trabalhava com processos de mudança e aprendizagem. Além de ter estudado na Europa e EUA, Dulce foi a número 1 das 100 lideranças da paz no mundo. Título concedido pela fundação de Genebra em eleição direta com as principais ONGs de cultura de paz da ONU.

Dulce era bastante conhecida em Balneário Camboriú. Suas palestras eram disputadas por aqui. Em fevereiro do ano passado ela palestrou sobre ‘A arte de viver a mudança’, a convite da Unipaz (Universidade Internacional da Paz) e como sempre faltou lugar no espaço do Bairro das Nações.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Política

Fabrício Oliveira é acusado de omissão em relação ao loteamento clandestino Vila Fortaleza


Política


Cidade

Devido a declarações falsas, BC Port é alvo de investigação 


Cidade

Vice-prefeito quer estudar o assunto com mais cuidado 


Publicidade


Publicidade


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Esportes


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Morreu Dulce Magalhães, ativista da cultura da paz no mundo

Reprodução
Segunda, 6/2/2017 16:57.

A palestrante, filósofa, pesquisadora e ex-diretora da Associação Empresarial da Região Metropolitana de Florianópolis (Aemflo), Dulce Magalhães morreu nesta segunda-feira em São Paulo. A causa da morte ainda não foi divulgada. Segundo a Aemflo, o corpo deverá chegar a Florianópolis nesta noite.

Dulce era uma ativista da causa da paz. Era uma das 10 mais requisitadas palestrantes do país. Ministrou mais de mil palestras e tinha 16 livros publicados. Fazia parte de um comitê de 80 lideranças mundiais para elaboração de um Programa Global de Cultura e Paz.

No final do ano passado, ajudou a trazer o 10º Fórum Mundial da Paz para Florianópolis. Há 25 anos trabalhava com processos de mudança e aprendizagem. Além de ter estudado na Europa e EUA, Dulce foi a número 1 das 100 lideranças da paz no mundo. Título concedido pela fundação de Genebra em eleição direta com as principais ONGs de cultura de paz da ONU.

Dulce era bastante conhecida em Balneário Camboriú. Suas palestras eram disputadas por aqui. Em fevereiro do ano passado ela palestrou sobre ‘A arte de viver a mudança’, a convite da Unipaz (Universidade Internacional da Paz) e como sempre faltou lugar no espaço do Bairro das Nações.

Publicidade

Publicidade