Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Corpo de jovem chapecoense é encontrado na Praia Brava

Terça, 8/11/2016 8:35.

O corpo do jovem chapecoense Harry Júnior, 21 anos, foi encontrado na tarde de segunda-feira (7) nas proximidades da Lagoa do Cassino, na Praia Brava de Itajaí. Ele estava desaparecido desde a última sexta-feira (4), ocasião em que entrou no mar da Brava para se banhar.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros de Itajaí, mergulhadores trabalhavam para encontrar o corpo de Harry desde instantes após o afogamento do jovem. Ele foi puxado por uma corrente de retorno e não foi mais visto.

Os bombeiros informaram que a vítima chegou até a praia com o carro da empresa em que trabalhava, deixou a chave do veículo e o celular em um quiosque e entrou no mar. Ele chegou a pedir por socorro e um surfista tentou salvá-lo, mas sem sucesso.

O local em que Harry escolheu para nadar é perigoso porque há muitas correntes de retorno. Para piorar a situação, ele estava longe do posto de guarda-vidas (o mais próximo estava a 700m).

O corpo foi encaminhado a Chapecó, onde será velado e sepultado.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Corpo de jovem chapecoense é encontrado na Praia Brava

Terça, 8/11/2016 8:35.

O corpo do jovem chapecoense Harry Júnior, 21 anos, foi encontrado na tarde de segunda-feira (7) nas proximidades da Lagoa do Cassino, na Praia Brava de Itajaí. Ele estava desaparecido desde a última sexta-feira (4), ocasião em que entrou no mar da Brava para se banhar.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros de Itajaí, mergulhadores trabalhavam para encontrar o corpo de Harry desde instantes após o afogamento do jovem. Ele foi puxado por uma corrente de retorno e não foi mais visto.

Os bombeiros informaram que a vítima chegou até a praia com o carro da empresa em que trabalhava, deixou a chave do veículo e o celular em um quiosque e entrou no mar. Ele chegou a pedir por socorro e um surfista tentou salvá-lo, mas sem sucesso.

O local em que Harry escolheu para nadar é perigoso porque há muitas correntes de retorno. Para piorar a situação, ele estava longe do posto de guarda-vidas (o mais próximo estava a 700m).

O corpo foi encaminhado a Chapecó, onde será velado e sepultado.

Publicidade

Publicidade