Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Catarinense que mora na Bélgica relata sentimento de insegurança

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Agência Lusa
Equipes de emergência socorrem feridos em frente à estação Maelbeek do metrô, em Bruxelas. Explosões fizeram o governo fechar todos os serviços de metrô da cidade

Terça, 22/3/2016 10:29.

A catarinense Halissa Odebrecht da Silva que mora em Antuérpia, a 50 Km de Bruxelas onde hoje pela manhã mais de 30 pessoas foram mortas em atentados terroristas, disse ao Página 3, via internet, que o clima é tenso, a empresa onde ela trabalha -uma multinacional do ramo eletrônico- reforçou a segurança e adiou as viagens do seus funcionários nos próximos dias.

Halissa contou que os atentados da manhã de hoje ocorreram quando todos estavam no trabalho ou a caminho e que seus colegas acompanham o noticiário, mas parecem evitar comentários sobre o assunto. É o mesmo clima tenso que se instalou quando dos atentados de novembro em Paris.

Ela trabalha ao lado da estação central de trens de Antuérpia, um possível alvo em caso de ataques. E ontem estava no aeroporto de Bruxelas à mesma hora em que aconteceram as explosões hoje.

A brasileira (foto) natural de Blumenau disse que não pretende deixar a Europa. “Tentamos seguir a vida da forma mais normal possível - tomando certas medidas preventivas (como evitar locais com muito movimento). É horrível esse sentimento de insegurança, que é possível sentir em todos por aqui, porém tentamos não deixar afetar muito a rotina...”, finalizou.

Os atentados

Pelo menos 30 pessoas morreram e 136 ficaram feridas nas explosões de hoje (22) de manhã no Aeroporto Zaventem e na estação de metrô de Maelbeek, em Bruxelas, segundo novo balanço provisório das autoridades.

No aeroporto, 11 pessoas morreram e 81 ficaram feridas, segundo números confirmados pela ministra da Saúde, Maggie De Block, à televisão pública RTBF.

Na estação do metrô, pelo menos 15 pessoas morreram e 55 ficaram feridas, entre elas 10 em estado grave.

Duas explosões, uma delas “provavelmente causada por um ataque suicida” segundo o procurador belga, foram registradas no aeroporto e outra na estação de metrô de Maelbeek.

Estado Islâmico reivindica atentado

O grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou os atentados que sacudiram a capital da Bélgica, Bruxelas, nesta terça-feira (22). A informação é da agência italiana Askanews que cita fontes do próprio grupo terrorista.

Duas explosões atingiram, às 8h no horário local, 4h em Brasília, o Aeroporto Internacional de Bruxelas. As autoridades acreditam que um dos explosivos foi acionado por um homem-bomba. A terceira explosão ocorreu em um trem de metrô na estação de Maelbeek.

Até o momento, os números indicam que pelo menos 28 pessoas morreram e 136 ficaram feridas. O primeiro-ministro belga qualificou as explosões como atentados terroristas.
 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade